Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 17 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

XP Asset: Copom indica que espaço para corte de juros é maior que o esperado



19/06/2019 | 19:41


O Comitê de Política Monetária (Copom) sinalizou nesta quarta-feira, 19, em seu comunicado, que há espaço maior do que o antecipado anteriormente para queda de juros, afirma Isabela Guarino, economista-chefe da XP Asset Management. O Copom deixa claro, contudo, que isso não ocorrerá antes de uma evolução mais concreta da reforma da Previdência: "Eu leio isso como aprovação em plenário na Câmara pelo menos em primeiro turno", disse.

Para a economista, o tom do discurso foi "dove" no sentido de que há uma melhora no balanço de riscos para a inflação. O Copom aponta que a atividade fraca - o comitê avalia que houve "interrupção do processo de recuperação" da economia - pode influenciar a inflação para baixo. Além disso, avalia que a situação externa melhorou e indica projeções abaixo do esperado (segundo boletim Focus) para este e o próximo ano.

Ela destaca que o Copom optou por retirar o termo "simétrico" do balanço de riscos. Isso porque a conjunção dos fatores acima indicaria que o balanço de riscos para a inflação não está mais equilibrado entre os fatores de queda e alta dos juros.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

XP Asset: Copom indica que espaço para corte de juros é maior que o esperado


19/06/2019 | 19:41


O Comitê de Política Monetária (Copom) sinalizou nesta quarta-feira, 19, em seu comunicado, que há espaço maior do que o antecipado anteriormente para queda de juros, afirma Isabela Guarino, economista-chefe da XP Asset Management. O Copom deixa claro, contudo, que isso não ocorrerá antes de uma evolução mais concreta da reforma da Previdência: "Eu leio isso como aprovação em plenário na Câmara pelo menos em primeiro turno", disse.

Para a economista, o tom do discurso foi "dove" no sentido de que há uma melhora no balanço de riscos para a inflação. O Copom aponta que a atividade fraca - o comitê avalia que houve "interrupção do processo de recuperação" da economia - pode influenciar a inflação para baixo. Além disso, avalia que a situação externa melhorou e indica projeções abaixo do esperado (segundo boletim Focus) para este e o próximo ano.

Ela destaca que o Copom optou por retirar o termo "simétrico" do balanço de riscos. Isso porque a conjunção dos fatores acima indicaria que o balanço de riscos para a inflação não está mais equilibrado entre os fatores de queda e alta dos juros.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;