Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 17 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Porta-voz: Bolsonaro não tem ainda data da demissão do presidente dos Correios



17/06/2019 | 20:02


O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, afirmou nesta segunda-feira, 17, que ainda não há previsão para que o presidente Jair Bolsonaro efetive a demissão do presidente dos Correios, general Juarez Aparecido de Paula Cunha. Na última sexta-feira, durante café da manhã com jornalistas, Bolsonaro anunciou que iria demitir o general porque ele "foi ao Congresso e agiu como sindicalista".

"Ele ainda não decidiu com relação ao momento da efetivação e, tampouco, por consequência, possui um nome já avaliado e acordado por ele e o Ministério da Ciência, Tecnologia e etc", disse o porta-voz a jornalistas na noite desta segunda-feira, 17.

No último dia 5 de junho, o presidente dos Correios esteve no Congresso quando fez críticas ao processo de privatização da empresa. Segundo o jornal Gazeta do Povo, na ocasião, o presidente dos Correios disse: "Eu não queria falar de privatização, até porque não é problema meu, se privatizarem uma parte dos Correios, eu acredito que vai ser do lado bom, o que tirar daqui vai faltar lá. E quem vai pagar essa conta? Esse alguém será o Estado brasileiro ou o cidadão brasileiro que paga imposto. É um negócio complicado", disse.

O discurso vai na contramão do próprio governo. O presidente Jair Bolsonaro é quem determinou a venda da empresa. O general assumiu a estatal ainda no governo do ex-presidente Michel Temer, quando a empresa estava sob o guarda-chuva do ex-ministro das Comunicações, Gilberto Kassab.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Porta-voz: Bolsonaro não tem ainda data da demissão do presidente dos Correios


17/06/2019 | 20:02


O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, afirmou nesta segunda-feira, 17, que ainda não há previsão para que o presidente Jair Bolsonaro efetive a demissão do presidente dos Correios, general Juarez Aparecido de Paula Cunha. Na última sexta-feira, durante café da manhã com jornalistas, Bolsonaro anunciou que iria demitir o general porque ele "foi ao Congresso e agiu como sindicalista".

"Ele ainda não decidiu com relação ao momento da efetivação e, tampouco, por consequência, possui um nome já avaliado e acordado por ele e o Ministério da Ciência, Tecnologia e etc", disse o porta-voz a jornalistas na noite desta segunda-feira, 17.

No último dia 5 de junho, o presidente dos Correios esteve no Congresso quando fez críticas ao processo de privatização da empresa. Segundo o jornal Gazeta do Povo, na ocasião, o presidente dos Correios disse: "Eu não queria falar de privatização, até porque não é problema meu, se privatizarem uma parte dos Correios, eu acredito que vai ser do lado bom, o que tirar daqui vai faltar lá. E quem vai pagar essa conta? Esse alguém será o Estado brasileiro ou o cidadão brasileiro que paga imposto. É um negócio complicado", disse.

O discurso vai na contramão do próprio governo. O presidente Jair Bolsonaro é quem determinou a venda da empresa. O general assumiu a estatal ainda no governo do ex-presidente Michel Temer, quando a empresa estava sob o guarda-chuva do ex-ministro das Comunicações, Gilberto Kassab.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;