Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 18 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Dead Fish apresenta disco de estúdio

Marcelo Marafante/Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Grupo, formado por baterista da regi˜ão, faz show de lançamento amanhã na Capital


Vinícius Castelli
Do Diário do Grande ABC

14/06/2019 | 07:58


Nada de poesia tampouco histórias de amor. O recado do Dead Fish é violento, sobre a real vida do brasileiro. É assim que a banda de hardcore aquece as plataformas digitais e prateleiras de lojas de discos com seu novo trabalho, Ponto Cego (Deck, R$ 30, em média), oitavo da carreira.

Nascida em Vitória, Espírito Santo, no início dos anos 1990, a banda é formada por Ric Mastria (guitarra), Rodrigo Lima (voz) e pelo baterista do Grande ABC Marco Melloni, responsável também pelas baquetas do grupo local Ação Direta.

Riffs de guitarra velozes, bateria marcada e refrões grudentos, como na faixa A Inevitável Mudança, mostram o tom do novo trabalho e um ar de renovação ao veterano grupo, que soma 28 anos de estrada.

A produção é assinada por Rafael Ramos e, a mixagem, pelo norte-americano Bill Stevenson (Descendents e Black Flag).

Ao longo das 15 músicas de Ponto Cego, a banda conta da vida de um cidadão brasileiro de classe média e promove um recorte das situações política, econômica e social do Brasil, desde o impeachment de Dilma Rousseff (PT) à eleição de Jair Bolsonaro (PSL). Cidadão de bem, políticas de privatização, alienação de parte da sociedade diante de assuntos sérios e autoritarismo são alguns dos assuntos tratados.

O show de lançamento é amanhã, na Capital, no palco da Audio (Av.Francisco Matarazzo, 694), a partir das 22h. Os ingressos custam de R$ 60 e R$ 70 e podem ser comprados no local e pelo site www.ticket360.com.br.

Na região a banda se apresenta dia 29, a partir das 19h, ao lado do CPM 22, no Tênis Clube de Santo André (Rua Bernardino de Campos, 300). As entradas custam de R$ 35 a R$ 120 e podem ser compradas pelo site www.ticketbrasil.com.br.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Dead Fish apresenta disco de estúdio

Grupo, formado por baterista da regi˜ão, faz show de lançamento amanhã na Capital

Vinícius Castelli
Do Diário do Grande ABC

14/06/2019 | 07:58


Nada de poesia tampouco histórias de amor. O recado do Dead Fish é violento, sobre a real vida do brasileiro. É assim que a banda de hardcore aquece as plataformas digitais e prateleiras de lojas de discos com seu novo trabalho, Ponto Cego (Deck, R$ 30, em média), oitavo da carreira.

Nascida em Vitória, Espírito Santo, no início dos anos 1990, a banda é formada por Ric Mastria (guitarra), Rodrigo Lima (voz) e pelo baterista do Grande ABC Marco Melloni, responsável também pelas baquetas do grupo local Ação Direta.

Riffs de guitarra velozes, bateria marcada e refrões grudentos, como na faixa A Inevitável Mudança, mostram o tom do novo trabalho e um ar de renovação ao veterano grupo, que soma 28 anos de estrada.

A produção é assinada por Rafael Ramos e, a mixagem, pelo norte-americano Bill Stevenson (Descendents e Black Flag).

Ao longo das 15 músicas de Ponto Cego, a banda conta da vida de um cidadão brasileiro de classe média e promove um recorte das situações política, econômica e social do Brasil, desde o impeachment de Dilma Rousseff (PT) à eleição de Jair Bolsonaro (PSL). Cidadão de bem, políticas de privatização, alienação de parte da sociedade diante de assuntos sérios e autoritarismo são alguns dos assuntos tratados.

O show de lançamento é amanhã, na Capital, no palco da Audio (Av.Francisco Matarazzo, 694), a partir das 22h. Os ingressos custam de R$ 60 e R$ 70 e podem ser comprados no local e pelo site www.ticket360.com.br.

Na região a banda se apresenta dia 29, a partir das 19h, ao lado do CPM 22, no Tênis Clube de Santo André (Rua Bernardino de Campos, 300). As entradas custam de R$ 35 a R$ 120 e podem ser compradas pelo site www.ticketbrasil.com.br.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;