Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 16 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Petróleo se mantém em forte alta com suposto ataque a dois navios no Golfo de Omã

Pixabay Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


13/06/2019 | 07:44


Dois navios petroleiros foram danificados num suposto ataque no Golfo de Omã, na costa do Irã, nesta quinta-feira, segundo autoridades japonesas e operadores de navios. A notícia, que mais cedo foi descrita como "um incidente envolvendo uma explosão" na região, dá forte impulso aos preços do petróleo desde a madrugada.

O Comando Central de Forças Navais dos EUA em Bahrein, que supervisiona operações navais americanas na área, recebeu dois pedidos de socorro relativos a ataques a petroleiros, segundo comunicado da entidade. Um destroier americano está prestando assistência aos navios.

As tensões entre EUA e Irã se agravaram desde que quatro embarcações foram alvos de um ataque no Golfo de Omã no mês passado.

O episódio de hoje acontece num momento em que o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, faz uma visita oficial ao Irã.

Às 7h40 (de Brasília), o barril do petróleo tipo Brent para entrega em agosto subia 3,45% na ICE, a US$ 62,04, depois de chegar a ser negociado mais cedo a US$ 62,64, com alta de mais de 4%. Já o barril do WTÏ para julho avançava 2,97% na Nymex, a US$ 52,66.

Ontem, os futuros de petróleo sofreram tombos de 3,7% a 4%, em reação a um inesperado aumento nos estoques de petróleo bruto dos EUA na semana passada, de cerca de 2 milhões de barris, apontado em pesquisa do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) norte-americano. Com informações da Dow Jones Newswires.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Petróleo se mantém em forte alta com suposto ataque a dois navios no Golfo de Omã


13/06/2019 | 07:44


Dois navios petroleiros foram danificados num suposto ataque no Golfo de Omã, na costa do Irã, nesta quinta-feira, segundo autoridades japonesas e operadores de navios. A notícia, que mais cedo foi descrita como "um incidente envolvendo uma explosão" na região, dá forte impulso aos preços do petróleo desde a madrugada.

O Comando Central de Forças Navais dos EUA em Bahrein, que supervisiona operações navais americanas na área, recebeu dois pedidos de socorro relativos a ataques a petroleiros, segundo comunicado da entidade. Um destroier americano está prestando assistência aos navios.

As tensões entre EUA e Irã se agravaram desde que quatro embarcações foram alvos de um ataque no Golfo de Omã no mês passado.

O episódio de hoje acontece num momento em que o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, faz uma visita oficial ao Irã.

Às 7h40 (de Brasília), o barril do petróleo tipo Brent para entrega em agosto subia 3,45% na ICE, a US$ 62,04, depois de chegar a ser negociado mais cedo a US$ 62,64, com alta de mais de 4%. Já o barril do WTÏ para julho avançava 2,97% na Nymex, a US$ 52,66.

Ontem, os futuros de petróleo sofreram tombos de 3,7% a 4%, em reação a um inesperado aumento nos estoques de petróleo bruto dos EUA na semana passada, de cerca de 2 milhões de barris, apontado em pesquisa do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) norte-americano. Com informações da Dow Jones Newswires.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;