Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 18 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Média de pagamento na renegociação de dívidas ficou perto de R$ 500, diz Caixa



12/06/2019 | 13:13


O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, afirmou nesta quarta-feira, 12, durante entrevista à imprensa, que no programa de renegociação de dívidas promovido pela instituição a média de pagamento ficou em "R$ 500 ou R$ 600".

Ele lembrou que, há algumas semanas, a Caixa anunciou um programa de renegociação de crédito, que favorece 3 milhões de pessoas. "Mais de 125 mil pessoas, em pouco mais de uma semana, voltaram a ter autonomia financeira", disse ele, em referência às pessoas físicas que renegociaram a dívida com o banco público. Estão no escopo do programa de renegociação pessoas com dívidas de até R$ 2 mil. "O desconto médio (na dívida) foi de 82,78%", afirmou.

"Na semana passada, anunciamos a segunda medida de renegociação de dívida, de 600 mil imóveis. Dá também mais de 2 milhões de beneficiados", pontuou Guimarães. "São imóveis também atrasados há mais de um ano, inclusive do Minha Casa. Com uma prestação paga, você formaliza tudo."

Guimarães afirmou que, até agora, cerca de 25 mil imóveis entraram neste processo de renegociação.

A Caixa pretende, no entanto, fazer uma campanha na mídia para tratar dessas renegociações.

Indexador

O presidente da Caixa voltou a dizer que estuda mudar o indexador do crédito imobiliário, hoje a TR. Ele afirmou que a discussão é "em cima do IPCA", mas disse que o tema ainda está em estudo. "Não faz sentido emprestar por 30 anos com indexador que não tem hedge. Não tem indexador de TR", afirmou.

De acordo com Guimarães, o foco do banco é ser "social", com a concessão de crédito a empresas menores.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Média de pagamento na renegociação de dívidas ficou perto de R$ 500, diz Caixa


12/06/2019 | 13:13


O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, afirmou nesta quarta-feira, 12, durante entrevista à imprensa, que no programa de renegociação de dívidas promovido pela instituição a média de pagamento ficou em "R$ 500 ou R$ 600".

Ele lembrou que, há algumas semanas, a Caixa anunciou um programa de renegociação de crédito, que favorece 3 milhões de pessoas. "Mais de 125 mil pessoas, em pouco mais de uma semana, voltaram a ter autonomia financeira", disse ele, em referência às pessoas físicas que renegociaram a dívida com o banco público. Estão no escopo do programa de renegociação pessoas com dívidas de até R$ 2 mil. "O desconto médio (na dívida) foi de 82,78%", afirmou.

"Na semana passada, anunciamos a segunda medida de renegociação de dívida, de 600 mil imóveis. Dá também mais de 2 milhões de beneficiados", pontuou Guimarães. "São imóveis também atrasados há mais de um ano, inclusive do Minha Casa. Com uma prestação paga, você formaliza tudo."

Guimarães afirmou que, até agora, cerca de 25 mil imóveis entraram neste processo de renegociação.

A Caixa pretende, no entanto, fazer uma campanha na mídia para tratar dessas renegociações.

Indexador

O presidente da Caixa voltou a dizer que estuda mudar o indexador do crédito imobiliário, hoje a TR. Ele afirmou que a discussão é "em cima do IPCA", mas disse que o tema ainda está em estudo. "Não faz sentido emprestar por 30 anos com indexador que não tem hedge. Não tem indexador de TR", afirmou.

De acordo com Guimarães, o foco do banco é ser "social", com a concessão de crédito a empresas menores.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;