Fechar
Publicidade

Sábado, 25 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

São Caetano quer solução para edifício que ruiu

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Laje de condomínio que abriga 89 famílias e 19 comércios em São Caetano desabou parcialmente


Luís Felipe Soares
Vanessa Soares
Do Diário do Grande ABC

10/06/2019 | 00:40


A Prefeitura de São Caetano e o Governo do Estado prometem encontrar solução definitiva para moradia irregular em edificação que sofreu, na noite de sábado, desabamento parcial de laje do Condomínio Di Thiene, na esquina das ruas Conde Francisco de Matarazzo e Heloísa Pamplona, no bairro Fundação. Oito pessoas ficaram levemente feridas.

Pela manhã, o secretário executivo de Habitação do governo do Estado, Fernando Marangoni (DEM), e o prefeito Auricchio Júnior (PSDB) estiveram no local e afirmaram que seriam tomadas providências para resolver a situação dos atingidos. Ao todo, 89 famílias, que somam cerca de 250 pessoas, moram no condomínio, que também abriga 19 comércios. Foi pedido para a Defesa Civil e para a Secretaria Municipal de Obras e Habitação a realização de estudo técnico da habitabilidade e segurança do local. Em paralelo, será iniciada ação para identificar os verdadeiros donos do imóvel. O prazo estipulado é que ambas informações sejam colhidas em 15 dias.

“Trata-se de imóvel particular, que tem uma questão fundiária a ser esclarecida há mais de 60 anos”, explica o prefeito. “Não existem donos identificados e nenhum com titularidade oficial da área. Passa a ser um problema de ontem (sábado) para hoje (domingo), que não existia até as outras tentativas de intervenção da Prefeitura um problema claro de segurança e habitabilidade. Precisaremos ter paciência.”

Foi determinada evacuação total e isolamento completo, do subsolo ao segundo andar, até a produção do laudo. Ainda não se sabe o real motivo do acidente, mas, a construção já apresentava problemas há muito tempo. “As rachaduras foram provocadas pela água que fica infiltrada na laje sempre que chove”, contou Erilane Pereira da Silva, residente há seis anos. 

O chefe do Executivo da cidade comandou ontem reunião extraordinária com presença de secretários do município, o presidente da Câmara, vereador Pio Mielo (MDB) e o deputado estadual Thiago Auricchio (PR) para tratar dos próximos passos do caso. <EM>

Dos desabrigados, 88 famílias estão em hoteis locais e a Prefeitura irá oferecer moradia temporária nas instalações do Centro Recreativo Esportivo Fundação, no bairro Fundação, que fornecerá alojamento, alimentação e segurança até o fim dos estudo fundiário do prédio, que será assinado hoje pela Secretaria da Habitação do Governo do Estado de São Paulo, em convênio com a Prefeitura de São Caetano.

Somente carros leves estão liberados para trânsito na região. As linhas de ônibus que costumam passar pelo local terão itinerário alterado, bem como o estacionamento rotativo. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

São Caetano quer solução para edifício que ruiu

Laje de condomínio que abriga 89 famílias e 19 comércios em São Caetano desabou parcialmente

Luís Felipe Soares
Vanessa Soares
Do Diário do Grande ABC

10/06/2019 | 00:40


A Prefeitura de São Caetano e o Governo do Estado prometem encontrar solução definitiva para moradia irregular em edificação que sofreu, na noite de sábado, desabamento parcial de laje do Condomínio Di Thiene, na esquina das ruas Conde Francisco de Matarazzo e Heloísa Pamplona, no bairro Fundação. Oito pessoas ficaram levemente feridas.

Pela manhã, o secretário executivo de Habitação do governo do Estado, Fernando Marangoni (DEM), e o prefeito Auricchio Júnior (PSDB) estiveram no local e afirmaram que seriam tomadas providências para resolver a situação dos atingidos. Ao todo, 89 famílias, que somam cerca de 250 pessoas, moram no condomínio, que também abriga 19 comércios. Foi pedido para a Defesa Civil e para a Secretaria Municipal de Obras e Habitação a realização de estudo técnico da habitabilidade e segurança do local. Em paralelo, será iniciada ação para identificar os verdadeiros donos do imóvel. O prazo estipulado é que ambas informações sejam colhidas em 15 dias.

“Trata-se de imóvel particular, que tem uma questão fundiária a ser esclarecida há mais de 60 anos”, explica o prefeito. “Não existem donos identificados e nenhum com titularidade oficial da área. Passa a ser um problema de ontem (sábado) para hoje (domingo), que não existia até as outras tentativas de intervenção da Prefeitura um problema claro de segurança e habitabilidade. Precisaremos ter paciência.”

Foi determinada evacuação total e isolamento completo, do subsolo ao segundo andar, até a produção do laudo. Ainda não se sabe o real motivo do acidente, mas, a construção já apresentava problemas há muito tempo. “As rachaduras foram provocadas pela água que fica infiltrada na laje sempre que chove”, contou Erilane Pereira da Silva, residente há seis anos. 

O chefe do Executivo da cidade comandou ontem reunião extraordinária com presença de secretários do município, o presidente da Câmara, vereador Pio Mielo (MDB) e o deputado estadual Thiago Auricchio (PR) para tratar dos próximos passos do caso. <EM>

Dos desabrigados, 88 famílias estão em hoteis locais e a Prefeitura irá oferecer moradia temporária nas instalações do Centro Recreativo Esportivo Fundação, no bairro Fundação, que fornecerá alojamento, alimentação e segurança até o fim dos estudo fundiário do prédio, que será assinado hoje pela Secretaria da Habitação do Governo do Estado de São Paulo, em convênio com a Prefeitura de São Caetano.

Somente carros leves estão liberados para trânsito na região. As linhas de ônibus que costumam passar pelo local terão itinerário alterado, bem como o estacionamento rotativo. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;