Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 22 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Ministério Público de Diadema enquadra Câmara sobre uso da frota


Junior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

08/06/2019 | 06:20


O Ministério Público de Diadema enviou ao Legislativo diademense série de questionamentos sobre o uso dos veículos oficiais da casa. A suspeita é a de que os carros, todos zero-quilômetro e comprados recentemente, estão sendo conduzidos de forma irregular por vereadores e assessores. Os questionamentos ainda não se tratam de inquérito formal ou de ação na Justiça, mas podem culminar com investigação formal.

A investida da Promotoria ao Legislativo diademense se dá devido a dois ocorridos envolvendo o uso de carros oficiais. Um deles foi revelado pelo Diário em fevereiro. Vereador em primeiro mandato, Paulo Bezerra (PV) usou o veículo, que deveria ser usado exclusivamente para serviços do mandato, para buscar a namorada no Shopping Praça da Moça, em Diadema. Na época, o verde negou o fato e alegou que passou pela rua do centro de compras, mas que não estacionou no local nem foi buscar ninguém porque estava a caminho de uma reunião.

O segundo fato que fez o MP enquadrar a Câmara foi outra denúncia, revelada pelo jornal Repórter Diário em abril, de que um dos veículos oficiais da casa era estacionado e pernoitava frequentemente no pátio de um posto de gasolina 24 horas, localizado no bairro Jardim Inamar, na periferia da cidade. O carro, de placa EBP 9610, está a serviço do gabinete do vereador Célio Boi (PSB) que, ao jornal, alegou desconhecimento do fato e justificou que o veículo ficava sob responsabilidade do assessor, quem ele prometeu exonerar.

Presidente da Câmara de Diadema, Pretinho do Água Santa (DEM) afirmou que o MP “pediu mais atenção no uso dos carros oficiais”. “Nós passamos isso para todos os vereadores. O Ministério Público fez apenas uma orientação e pediu informações. (Isso ocorreu porque) Às vezes, acontecem alguns abusos por parte de assessores, mas os próprios vereadores, de imediato, exoneraram esses auxiliares”, justificou o parlamentar.

O Diário revelou em dezembro que a Câmara de Diadema gastou ao todo R$ 55,9 mil, por carro, para comprar veículos zero-quilômetro para renovar a frota oficial da casa. Sob gestão do vereador Marcos Michels (PSB), o Legislativo adquiriu 21 novos Volkswagen Voyage. Na ocasião, o então presidente da casa prometeu editar regulamento interno para moralizar o uso dos carros oficiais, que frequentemente são flagrados transitando pela cidade fora do horário de expediente da Câmara e até aos fins de semana. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ministério Público de Diadema enquadra Câmara sobre uso da frota

Junior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

08/06/2019 | 06:20


O Ministério Público de Diadema enviou ao Legislativo diademense série de questionamentos sobre o uso dos veículos oficiais da casa. A suspeita é a de que os carros, todos zero-quilômetro e comprados recentemente, estão sendo conduzidos de forma irregular por vereadores e assessores. Os questionamentos ainda não se tratam de inquérito formal ou de ação na Justiça, mas podem culminar com investigação formal.

A investida da Promotoria ao Legislativo diademense se dá devido a dois ocorridos envolvendo o uso de carros oficiais. Um deles foi revelado pelo Diário em fevereiro. Vereador em primeiro mandato, Paulo Bezerra (PV) usou o veículo, que deveria ser usado exclusivamente para serviços do mandato, para buscar a namorada no Shopping Praça da Moça, em Diadema. Na época, o verde negou o fato e alegou que passou pela rua do centro de compras, mas que não estacionou no local nem foi buscar ninguém porque estava a caminho de uma reunião.

O segundo fato que fez o MP enquadrar a Câmara foi outra denúncia, revelada pelo jornal Repórter Diário em abril, de que um dos veículos oficiais da casa era estacionado e pernoitava frequentemente no pátio de um posto de gasolina 24 horas, localizado no bairro Jardim Inamar, na periferia da cidade. O carro, de placa EBP 9610, está a serviço do gabinete do vereador Célio Boi (PSB) que, ao jornal, alegou desconhecimento do fato e justificou que o veículo ficava sob responsabilidade do assessor, quem ele prometeu exonerar.

Presidente da Câmara de Diadema, Pretinho do Água Santa (DEM) afirmou que o MP “pediu mais atenção no uso dos carros oficiais”. “Nós passamos isso para todos os vereadores. O Ministério Público fez apenas uma orientação e pediu informações. (Isso ocorreu porque) Às vezes, acontecem alguns abusos por parte de assessores, mas os próprios vereadores, de imediato, exoneraram esses auxiliares”, justificou o parlamentar.

O Diário revelou em dezembro que a Câmara de Diadema gastou ao todo R$ 55,9 mil, por carro, para comprar veículos zero-quilômetro para renovar a frota oficial da casa. Sob gestão do vereador Marcos Michels (PSB), o Legislativo adquiriu 21 novos Volkswagen Voyage. Na ocasião, o então presidente da casa prometeu editar regulamento interno para moralizar o uso dos carros oficiais, que frequentemente são flagrados transitando pela cidade fora do horário de expediente da Câmara e até aos fins de semana. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;