Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 17 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

diarinho@dgabc.com.br | 4435-8396

Desmatamento na Amazônia aumenta 20% entre agosto de 2018 e abril de 2019


Luís Felipe Soares

09/06/2019 | 07:09


A situação da Amazônia está cada vez mais difícil. O futuro da maior floresta tropical do planeta sempre aparece em discussões sobre como ocorre o contato do ser humano com a natureza e acaba sendo exemplo negativo a entrar em pauta. Os dados mais recentes do Imazon (Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia) apontam que o desmatamento no local aumentou 20% entre agosto de 2018 e abril de 2019, o que corresponde a perda de área de cerca de 2.169 km², principalmente entre os Estados do Pará, Mato Grosso e Amazonas.

O nível de desflorestamento aumentou 73% na Amazônia brasileira entre 2012 e 2018. Cerca de 8.000 km² foram perdidos somente no ano passado, o que equivale a quase seis cidades de São Paulo juntas. O presidente Jair Bolsonaro (PSL) pretende aumentar o acesso à Amazônia para exploração nos próximos tempos e lançou algumas medidas que afrouxam certas restrições às atividades agrícolas e de mineração em áreas protegidas. 

Neste ano, estima-se que o desmatamento tenho caído 40% nos primeiros quatro meses da temporada em comparação ao mesmo período em 2018. O ritmo desse caos está em queda muito por causa de chuvas atípicas e muito fortes que têm ocorrido na região, o que atrapalha, por exemplo, queimadas orquestradas por fazendeiros.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Desmatamento na Amazônia aumenta 20% entre agosto de 2018 e abril de 2019

Luís Felipe Soares

09/06/2019 | 07:09


A situação da Amazônia está cada vez mais difícil. O futuro da maior floresta tropical do planeta sempre aparece em discussões sobre como ocorre o contato do ser humano com a natureza e acaba sendo exemplo negativo a entrar em pauta. Os dados mais recentes do Imazon (Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia) apontam que o desmatamento no local aumentou 20% entre agosto de 2018 e abril de 2019, o que corresponde a perda de área de cerca de 2.169 km², principalmente entre os Estados do Pará, Mato Grosso e Amazonas.

O nível de desflorestamento aumentou 73% na Amazônia brasileira entre 2012 e 2018. Cerca de 8.000 km² foram perdidos somente no ano passado, o que equivale a quase seis cidades de São Paulo juntas. O presidente Jair Bolsonaro (PSL) pretende aumentar o acesso à Amazônia para exploração nos próximos tempos e lançou algumas medidas que afrouxam certas restrições às atividades agrícolas e de mineração em áreas protegidas. 

Neste ano, estima-se que o desmatamento tenho caído 40% nos primeiros quatro meses da temporada em comparação ao mesmo período em 2018. O ritmo desse caos está em queda muito por causa de chuvas atípicas e muito fortes que têm ocorrido na região, o que atrapalha, por exemplo, queimadas orquestradas por fazendeiros.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;