Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 16 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Torcida se despede de reduto; Timão, da Copa do Brasil

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Enquanto fãs deram adeus a local de reunião em Santo André, equipe jogou bem, mas desperdiçou muitas chances e foi eliminada


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

05/06/2019 | 00:07


Centenas de corintianos se reuniram na Rua Fenícia, em Santo André, em busca de uma despedida em grande estilo do reduto onde estiveram acostumados a comemorar vitórias e títulos alvinegros. Ontem, entretanto, o adeus foi melancólico. O Timão até fez boa partida, criou alternativas e oportunidades, mas Diego Alves e a trave ou travessão não permitiram que a bola entrasse. E pior: um gol de Rodrigo Caio no fim deu nova vitória por 1 a 0 ao Flamengo, que avançou às quartas de final da Copa do Brasil.

O técnico Fábio Carille armou a equipe corintiana com Sornoza e Jadson como responsáveis pela criação e Clayson e Vagner Love mais adiantados. Mas quem fez falta ao time foi Fagner. Sobretudo porque Michel Macedo não conseguiu suprir à altura a ausência do lateral-direito – que, mesmo machucado (coxa esquerda), está com a Seleção Brasileira para a Copa América.

O Flamengo mantinha a posse de bola, mas encontrava demasiada dificuldade para superar as linhas defensivas alvinegras. Na base da raça, o Corinthians criou quatro grandes chances de balançar as redes, com Clayson, Sornoza (duas vezes) e, a principal delas, com Ralf, que parou no travessão. Do outro lado, Cássio – na despedida antes de se apresentar a Tite na Seleção – salvou em cabeçada fulminante de Everton Ribeiro.

Para a segunda etapa não restava outra alternativa ao Corinthians que não fosse atacar. Um gol levaria a definição aos pênaltis. Vagner Love chamou a responsabilidade. Na primeira, parou em Diego Alves. Em outras duas oportunidades, errou por pouco. As respostas do Flamengo vieram primeiro em cabeçada de Bruno Henrique que acertou a trave direita. E, depois, aos 42 minutos, Everton Ribeiro cruzou e Rodrigo Caio apareceu por trás da zaga para desviar para as redes, definindo a situação no Maracanã. Boselli e Jadson ainda acertaram travessão e trave, respectivamente. Mas era daquelas noites que a bola não ia entrar.

“A gente vem de sequência legal de jogos, falando de rendimento, não de resultados. Com entendimento, marcação forte, rodar a bola, hoje (ontem) conseguimos fazer isso várias vezes. Acredito que temos espaço para crescer mais ainda nessa temporada”, amenizou Fábio Carille. “O importante é que o grupo está assimilando bem, e a gente segue firme em duas competições (Brasileiro e Sul-Americana).” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Torcida se despede de reduto; Timão, da Copa do Brasil

Enquanto fãs deram adeus a local de reunião em Santo André, equipe jogou bem, mas desperdiçou muitas chances e foi eliminada

Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

05/06/2019 | 00:07


Centenas de corintianos se reuniram na Rua Fenícia, em Santo André, em busca de uma despedida em grande estilo do reduto onde estiveram acostumados a comemorar vitórias e títulos alvinegros. Ontem, entretanto, o adeus foi melancólico. O Timão até fez boa partida, criou alternativas e oportunidades, mas Diego Alves e a trave ou travessão não permitiram que a bola entrasse. E pior: um gol de Rodrigo Caio no fim deu nova vitória por 1 a 0 ao Flamengo, que avançou às quartas de final da Copa do Brasil.

O técnico Fábio Carille armou a equipe corintiana com Sornoza e Jadson como responsáveis pela criação e Clayson e Vagner Love mais adiantados. Mas quem fez falta ao time foi Fagner. Sobretudo porque Michel Macedo não conseguiu suprir à altura a ausência do lateral-direito – que, mesmo machucado (coxa esquerda), está com a Seleção Brasileira para a Copa América.

O Flamengo mantinha a posse de bola, mas encontrava demasiada dificuldade para superar as linhas defensivas alvinegras. Na base da raça, o Corinthians criou quatro grandes chances de balançar as redes, com Clayson, Sornoza (duas vezes) e, a principal delas, com Ralf, que parou no travessão. Do outro lado, Cássio – na despedida antes de se apresentar a Tite na Seleção – salvou em cabeçada fulminante de Everton Ribeiro.

Para a segunda etapa não restava outra alternativa ao Corinthians que não fosse atacar. Um gol levaria a definição aos pênaltis. Vagner Love chamou a responsabilidade. Na primeira, parou em Diego Alves. Em outras duas oportunidades, errou por pouco. As respostas do Flamengo vieram primeiro em cabeçada de Bruno Henrique que acertou a trave direita. E, depois, aos 42 minutos, Everton Ribeiro cruzou e Rodrigo Caio apareceu por trás da zaga para desviar para as redes, definindo a situação no Maracanã. Boselli e Jadson ainda acertaram travessão e trave, respectivamente. Mas era daquelas noites que a bola não ia entrar.

“A gente vem de sequência legal de jogos, falando de rendimento, não de resultados. Com entendimento, marcação forte, rodar a bola, hoje (ontem) conseguimos fazer isso várias vezes. Acredito que temos espaço para crescer mais ainda nessa temporada”, amenizou Fábio Carille. “O importante é que o grupo está assimilando bem, e a gente segue firme em duas competições (Brasileiro e Sul-Americana).” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;