Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 14 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

O Semasa é do povo de Santo André


Do Diário do Grande ABC

01/06/2019 | 11:14


O Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) é do povo de Santo André. Entra gestão e sai gestão ela continua dando lucro. Continua atendendo a todos os munícipes da melhor forma possível, continua, apesar de todas as dificuldades, fazendo obras por toda a cidade, e é assim que os ‘semasianos’ cuidam da cidade. Aliás, neste ano o Semasa faz 50 anos. Meia década de trabalho, de construção, de suor, de esforço. Gerações passaram por essa empresa pública, a qual ganhou vários prêmios nacionais e internacionais pela excelência dos serviços prestados.

Ocorre que o preço da água sempre foi motivo de contestação de vários prefeitos, o que gerou montante de dívida. Reconheçamos, há problema de dívida no Semasa. Nós devemos, não negamos. Porém, queremos auditoria independente, de saber quando foi, onde foi, se estão cobrando valor muito maior do que realmente é a dívida. Esse assunto não pode ser encerrado no crepúsculo de sessão na Câmara. Queremos resolver essa questão, mas sem ferir a autonomia do controle de água do município nem colocar nossos funcionários em risco de qualquer espécie. Qualquer pessoa sabe que PDV (Programa de Demissão Voluntária) sempre coloca sob pressão o funcionário que não quer sair do local de trabalho. Tampouco a Prefeitura tem caixa suficiente para absorver 1.000 funcionários a mais na sua folha de pagamento. Sem os recursos do Semasa, estamos prevendo grave crise financeira para a Prefeitura nesse sentido. Então, o que há de se fazer? Vender nossa empresa de água é a solução para todos os problemas? Digo veementemente que não.

Primeiro que a água da Sabesp, em muitos municípios, como São Bernardo, ultimamente tem vindo de forma intermitente e barrenta, como foi noticiado. Segundo, a Sabesp, que é empresa de economia mista, não apresentou nenhum plano de investimento detalhado com a nossa cidade. Terceiro, a Sabesp é empresa também controlada por acionistas internacionais, que não têm compromisso com Santo André e seus munícipes.

Em cidades onde a Sabesp já opera no Grande ABC, ela cobra cerca de 15% a 25% a mais na conta de água. Como vai se justificar isso para nossa população em período de crise econômica e baixo crescimento econômico? Precisa-se chamar todos os envolvidos: Prefeitura, Semasa, sindicato, associações, Câmara, Comugesan, enfim, todos os envolvidos para solucionar a questão. Várias cidades parcelaram suas dívidas. Tudo tem solução se houver vontade. Há vários exemplos que provam isso, mas com certeza o mais pernicioso é entregar a menina dos olhos de Santo André a forasteiros.

Rodrigo Gomes é dirigente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santo André.

PALAVRA DO LEITOR

Acorde!
Pela repercussão das manifestações em todo o País no dia 26, em prol do governo, a população espera que daqui para frente o presidente da República comece a governar com autoridade e determinação, para que reivindicações e mudanças que a população brasileira tanto deseja sejam cumpridas. Portanto, chegou a hora de ouvir a voz daqueles que realmente trabalham e querem o bem do Brasil. Chega de negociar com quem só têm interesse no poder e em benefícios próprios. Ou seja, essas pessoas não levarão o País a lugar nenhum. É gastar vela com defunto ruim.
Sérgio Antonio Ambrósio
Mauá

Colaborem!
Na minha opinião, torcer para o seu time ganhar é bom. Mas torcer para o adversário perder porque seu time é ruim parece-me mediocridade. Tenho notado com frequência, até mais que razoável, que os viúvos e viúvas de Lula postam nesta Palavra do Leitor picuinhas contra o atual governo, torcendo para que nada dê certo, a turma do ‘quanto pior, melhor’. Se for por simples ideologia é lastimável. Se for porque perdeu alguma mamata, então. Não seria mais lógico deixar as ideologias partidárias de lado e procurar colaborar para que o Brasil melhore? Afinal, estão no mesmo barco ou não? Existe bem perto de nós barco que está à deriva devido às ideologias fanáticas e oportunismo chamado Venezuela. Com todo o respeito, peço que vejam o exemplo e reflitam. Votei no Alckmin no primeiro turno e não votei no segundo por não ser mais obrigado a votar.
Donaldo Dagnone
Santo André

Resposta
Em resposta à carta da leitora Caroline Alves de Souza Marchetti (Insegurança, dia 19), esclarecemos que o patrulhamento feito pela Polícia Militar é preventivo, sendo que ações de prevenção e combate se tornam mais efetivas com apoio e mobilização da comunidade. Patrulhamento ostensivo e preventivo vem sendo realizado, de forma a demandar a utilização de diversos programas de policiamento disponíveis na área, como radiopatrulhamento ‘atendimento 190’, e também são realizados diversos tipos de operações policiais-militares, tais como a Operação Cavalo de Aço Regional, com foco na fiscalização de motocicletas, a Operação Força Metropolitana, que conta com a presença do efetivo administrativo dos quartéis, e as Forças Táticas e policiais militares de outros batalhões da região. O objetivo é o de realizar o combate a possíveis ações criminosas contra o patrimônio, entre outros crimes. Como dados estatísticos, nos meses de abril e maio foram realizadas 114 operações, resultando em 26 flagrantes com 29 pessoas detidas. Desta forma, não menos importante, todo morador pode contribuir sobremaneira para o fortalecimento da segurança de seu bairro, trazendo informações, assim como ocorreu neste caso. Convidamos o leitor a participar da próxima reunião do Conseg, em 10 de junho, às 20h, no Salão da Igreja Metodista, Rua Alfeu Tavares, 85, Rudge Ramos – São Bernardo.
Carlos Chermma da Silva, capitão PM chefe da seção comunicação social

Exemplares
Caro leitor Juvenal Avelino Suzélio, pare de assistir e pegar informações de certo canal de TV (Fora, Bolsonaro, dia 29). Assista a outros canais, que cobriram durante todo o dia. O problema é que deve ter acabado a ‘teta’ e agora fica cheio de mimimi. Quanto ao pior governo, estou vendo que é totalmente tendencioso. Para o senhor, FHC, Lula e Dilma foram exemplos de governos exemplares.
Ailton Natalino de Lima
São Bernardo

Prefeito das reformas
Caso Lauro Michels decida mesmo enterrar promessa feita da campanha, de construir hospital, ele estará se perpetuando na história da administração pública de Diadema como o prefeito das reformas. Desde seu primeiro mandato o que se viu foram notícias sobre a Prefeitura reformando escolas, creches, unidades de saúde e outras da municipalidade. Ou seja, decorridos quase sete anos de mandato de Michels, não se vê na cidade obra importante que possa deixar na memória da população que é a marca do mandato do chefe do Executivo. Segundo reportagem neste Diário (Política, dia 30), com a fracassada ideia de se construir grande hospital em Piraporinha, ficará restrita a mais uma reforma, no caso do prédio da Rua Oriente Monti, onde antigamente funcionou, durante anos, o Hospital Diadema.
Arlindo Ligeirinho Ribeiro
Diadema 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

O Semasa é do povo de Santo André

Do Diário do Grande ABC

01/06/2019 | 11:14


O Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) é do povo de Santo André. Entra gestão e sai gestão ela continua dando lucro. Continua atendendo a todos os munícipes da melhor forma possível, continua, apesar de todas as dificuldades, fazendo obras por toda a cidade, e é assim que os ‘semasianos’ cuidam da cidade. Aliás, neste ano o Semasa faz 50 anos. Meia década de trabalho, de construção, de suor, de esforço. Gerações passaram por essa empresa pública, a qual ganhou vários prêmios nacionais e internacionais pela excelência dos serviços prestados.

Ocorre que o preço da água sempre foi motivo de contestação de vários prefeitos, o que gerou montante de dívida. Reconheçamos, há problema de dívida no Semasa. Nós devemos, não negamos. Porém, queremos auditoria independente, de saber quando foi, onde foi, se estão cobrando valor muito maior do que realmente é a dívida. Esse assunto não pode ser encerrado no crepúsculo de sessão na Câmara. Queremos resolver essa questão, mas sem ferir a autonomia do controle de água do município nem colocar nossos funcionários em risco de qualquer espécie. Qualquer pessoa sabe que PDV (Programa de Demissão Voluntária) sempre coloca sob pressão o funcionário que não quer sair do local de trabalho. Tampouco a Prefeitura tem caixa suficiente para absorver 1.000 funcionários a mais na sua folha de pagamento. Sem os recursos do Semasa, estamos prevendo grave crise financeira para a Prefeitura nesse sentido. Então, o que há de se fazer? Vender nossa empresa de água é a solução para todos os problemas? Digo veementemente que não.

Primeiro que a água da Sabesp, em muitos municípios, como São Bernardo, ultimamente tem vindo de forma intermitente e barrenta, como foi noticiado. Segundo, a Sabesp, que é empresa de economia mista, não apresentou nenhum plano de investimento detalhado com a nossa cidade. Terceiro, a Sabesp é empresa também controlada por acionistas internacionais, que não têm compromisso com Santo André e seus munícipes.

Em cidades onde a Sabesp já opera no Grande ABC, ela cobra cerca de 15% a 25% a mais na conta de água. Como vai se justificar isso para nossa população em período de crise econômica e baixo crescimento econômico? Precisa-se chamar todos os envolvidos: Prefeitura, Semasa, sindicato, associações, Câmara, Comugesan, enfim, todos os envolvidos para solucionar a questão. Várias cidades parcelaram suas dívidas. Tudo tem solução se houver vontade. Há vários exemplos que provam isso, mas com certeza o mais pernicioso é entregar a menina dos olhos de Santo André a forasteiros.

Rodrigo Gomes é dirigente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santo André.

PALAVRA DO LEITOR

Acorde!
Pela repercussão das manifestações em todo o País no dia 26, em prol do governo, a população espera que daqui para frente o presidente da República comece a governar com autoridade e determinação, para que reivindicações e mudanças que a população brasileira tanto deseja sejam cumpridas. Portanto, chegou a hora de ouvir a voz daqueles que realmente trabalham e querem o bem do Brasil. Chega de negociar com quem só têm interesse no poder e em benefícios próprios. Ou seja, essas pessoas não levarão o País a lugar nenhum. É gastar vela com defunto ruim.
Sérgio Antonio Ambrósio
Mauá

Colaborem!
Na minha opinião, torcer para o seu time ganhar é bom. Mas torcer para o adversário perder porque seu time é ruim parece-me mediocridade. Tenho notado com frequência, até mais que razoável, que os viúvos e viúvas de Lula postam nesta Palavra do Leitor picuinhas contra o atual governo, torcendo para que nada dê certo, a turma do ‘quanto pior, melhor’. Se for por simples ideologia é lastimável. Se for porque perdeu alguma mamata, então. Não seria mais lógico deixar as ideologias partidárias de lado e procurar colaborar para que o Brasil melhore? Afinal, estão no mesmo barco ou não? Existe bem perto de nós barco que está à deriva devido às ideologias fanáticas e oportunismo chamado Venezuela. Com todo o respeito, peço que vejam o exemplo e reflitam. Votei no Alckmin no primeiro turno e não votei no segundo por não ser mais obrigado a votar.
Donaldo Dagnone
Santo André

Resposta
Em resposta à carta da leitora Caroline Alves de Souza Marchetti (Insegurança, dia 19), esclarecemos que o patrulhamento feito pela Polícia Militar é preventivo, sendo que ações de prevenção e combate se tornam mais efetivas com apoio e mobilização da comunidade. Patrulhamento ostensivo e preventivo vem sendo realizado, de forma a demandar a utilização de diversos programas de policiamento disponíveis na área, como radiopatrulhamento ‘atendimento 190’, e também são realizados diversos tipos de operações policiais-militares, tais como a Operação Cavalo de Aço Regional, com foco na fiscalização de motocicletas, a Operação Força Metropolitana, que conta com a presença do efetivo administrativo dos quartéis, e as Forças Táticas e policiais militares de outros batalhões da região. O objetivo é o de realizar o combate a possíveis ações criminosas contra o patrimônio, entre outros crimes. Como dados estatísticos, nos meses de abril e maio foram realizadas 114 operações, resultando em 26 flagrantes com 29 pessoas detidas. Desta forma, não menos importante, todo morador pode contribuir sobremaneira para o fortalecimento da segurança de seu bairro, trazendo informações, assim como ocorreu neste caso. Convidamos o leitor a participar da próxima reunião do Conseg, em 10 de junho, às 20h, no Salão da Igreja Metodista, Rua Alfeu Tavares, 85, Rudge Ramos – São Bernardo.
Carlos Chermma da Silva, capitão PM chefe da seção comunicação social

Exemplares
Caro leitor Juvenal Avelino Suzélio, pare de assistir e pegar informações de certo canal de TV (Fora, Bolsonaro, dia 29). Assista a outros canais, que cobriram durante todo o dia. O problema é que deve ter acabado a ‘teta’ e agora fica cheio de mimimi. Quanto ao pior governo, estou vendo que é totalmente tendencioso. Para o senhor, FHC, Lula e Dilma foram exemplos de governos exemplares.
Ailton Natalino de Lima
São Bernardo

Prefeito das reformas
Caso Lauro Michels decida mesmo enterrar promessa feita da campanha, de construir hospital, ele estará se perpetuando na história da administração pública de Diadema como o prefeito das reformas. Desde seu primeiro mandato o que se viu foram notícias sobre a Prefeitura reformando escolas, creches, unidades de saúde e outras da municipalidade. Ou seja, decorridos quase sete anos de mandato de Michels, não se vê na cidade obra importante que possa deixar na memória da população que é a marca do mandato do chefe do Executivo. Segundo reportagem neste Diário (Política, dia 30), com a fracassada ideia de se construir grande hospital em Piraporinha, ficará restrita a mais uma reforma, no caso do prédio da Rua Oriente Monti, onde antigamente funcionou, durante anos, o Hospital Diadema.
Arlindo Ligeirinho Ribeiro
Diadema 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;