Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 14 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Turismo

turismo@dgabc.com.br | 4435-8367


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Santander lança Seguro Viagem

Redação

31/05/2019 | 15:18


O Santander acaba de anunciar seu Seguro Viagem para clientes, correntistas e usuários de cartão de crédito, com contratação digital. Os interessados podem acessar o aplicativo Santander ou o Way e contratar o serviço para destinos nacionais ou internacionais.

LEIA MAIS: DESCUBRA POR QUE ALGUNS PAÍSES EXIGEM SEGURO VIAGEM
SEGURO VIAGEM INTERNACIONAL: COMO ENCONTRAR A MELHOR OPÇÃO

Como adquirir o Seguro Viagem Santander

No app, o usuário escolhe o destino, a data da viagem, a quantidade de viajantes para fazer o seguro e qual modelo deseja utilizar. No total, são cinco opções de planos: Nacional, América do Sul, Europa, Mundo e Estudante (que abrange Mundo e Europa).

O pagamento do pacote pode ser realizado em até três vezes no cartão de crédito. Vale destacar que as gestantes não têm custo a mais nos planos e que é possível cancelar gratuitamente o seguro até 24 horas antes da viagem.

Um dos benefícios é o acompanhamento médico remoto. Caso ocorra algum acidente e o cliente precise de atendimento hospitalar ou de uma internação, é só ligar para a central e esperar para ser realocado para um hospital. Se o usuário não falar outro idioma, além do português, o seguro providenciará um profissional brasileiro para intermediar e acompanhar as necessidades do paciente.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas de viagem? Assine nossa newsletter neste link.

Conheça os aeroportos mais perigosos do mundo

Veja nessa galeria os aeroportos mais perigosos do mundo.

  • Crédito: marcus_jb1973 on VisualHunt / CC BY-NC-ND

    Aeroporto Internacional da Barra, Escócia: os aviões utilizam a areia da praia para pousarem no local. Sendo assim, as descidas só podem ser feitas com a maré baixa, já que as três pistas de pouso somem quando o nível do mar sobe

  • Crédito: d_bickerstaff on VisualHunt.com / CC BY-NC-SA

    Aeroporto Internacional da Barra, Escócia: os aviões utilizam a areia da praia para pousarem no local. Sendo assim, as descidas só podem ser feitas com a maré baixa, já que as três pistas de pouso somem quando o nível do mar sobe

  • Crédito: leyland_locals on Visual hunt / CC BY-NC-ND

    Aeroporto da Ilha da Madeira, Portugal: localizado entre penhascos e o mar, a pista deste aeroporto é sustentada por quase 200 colunas em uma parte. Além disso, os fortes ventos atrapalham e desafiam os pilotos

  • Crédito: futureshape on VisualHunt.com / CC BY

    Aeroporto da Ilha da Madeira, Portugal: localizado entre penhascos e o mar, a pista deste aeroporto é sustentada por quase 200 colunas em uma parte. Além disso, os fortes ventos atrapalham e desafiam os pilotos

  • Crédito: Mílton Jung on Visualhunt / CC BY-NC

    Aeroporto de Congonhas, São Paulo: quando foi construído, em 1936, ficava em uma parte isolada da capital paulista. Entretanto, conforme a cidade foi crescendo, o aeroporto ficou espremido entre prédios e casas. Sua pista curta não tem uma boa área de escape, o que já causou alguns incidentes, além do acidente do voo 3054 da Tam, que vitimou todos os ocupantes em 2007

  • Crédito: pedrozembruski on Visual hunt / CC BY-ND

    Aeroporto de Congonhas, São Paulo: quando foi construído, em 1936, ficava em uma parte isolada da capital paulista. Entretanto, conforme a cidade foi crescendo, o aeroporto ficou espremido entre prédios e casas. Sua pista curta não tem uma boa área de escape, o que já causou alguns incidentes, além do acidente do voo 3054 da Tam, que vitimou todos os ocupantes em 2007

  • Crédito: Paul Appleton on Visualhunt.com / CC BY-NC

    Aeroporto Internacional de Courchevel, França: localizado em uma estação de esqui e cercado de montanhas, a pista desse aeroporto tem uma inclinação de 18,5%, e conta com pouco de 500 metros de comprimento, exigindo muita técnica dos pilotos

  • Crédito: brf on Visualhunt.com / CC BY-NC

    Aeroporto Internacional de Courchevel, França: localizado em uma estação de esqui e cercado de montanhas, a pista desse aeroporto tem uma inclinação de 18,5%, e conta com pouco de 500 metros de comprimento, exigindo muita técnica dos pilotos

  • Crédito: M McBey on Visualhunt.com / CC BY

    Aeroporto de Gibraltar: território britânico localizado na península Ibérica, ele tem o único aeroporto do mundo cuja pista é cruzada por uma avenida. Quando alguma aeronave precisa utilizá-la, semáforos e cancelas bloqueiam o trânsito de veículos

  • Crédito: LuisJouJR on Visualhunt.com / CC BY-NC-SA

    Aeroporto de Gibraltar: território britânico localizado na península Ibérica, ele tem o único aeroporto do mundo cuja pista é cruzada por uma avenida. Quando alguma aeronave precisa utilizá-la, semáforos e cancelas bloqueiam o trânsito de veículos

  • Crédito: nepalgatewaytrekking on VisualHunt / CC BY-NC-SA

    Aeroporto de Lukla, Nepal: próximo ao Monte Everest, fica a 2.900 metros de altitude. Sua pista é em declive e tem apenas 527 metros. As montanhas do Himalaia completam o cenário do aeroporto

  • Crédito: Photo credit: Aris Gionis on Visualhunt / CC BY-NC

    Aeroporto de Lukla, Nepal: próximo ao Monte Everest, fica a 2.900 metros de altitude. Sua pista é em declive e tem apenas 527 metros. As montanhas do Himalaia completam o cenário do aeroporto

  • Crédito: gordontour on Visual Hunt / CC BY-NC-ND

    Aeroporto de Narsarsuaq, Groenlândia: os fiordes desta região fazem com que fortes ventos soprem com força na pista, exigindo muita habilidade dos pilotos para pousar

  • Crédito: Photo credit: jtstewart on Visual hunt / CC BY-SA

    Aeroporto de Narsarsuaq, Groenlândia: os fiordes desta região fazem com que fortes ventos soprem com força na pista, exigindo muita habilidade dos pilotos para pousar

  • Crédito: taver on Visualhunt / CC BY-NC-ND

    Aeroporto de Paro, Butão: localizado a 2.236 m de altitude, fica cercado por montanhas que têm até 5 mil metros de altura. Poucos pilotos têm autorização para realizar voos no local

  • Crédito: Photo credit: superkimbo on Visual hunt / CC BY-NC-SA

    Aeroporto de Paro, Butão: localizado a 2.236 m de altitude, fica cercado por montanhas que têm até 5 mil metros de altura. Poucos pilotos têm autorização para realizar voos no local

  • Crédito: puroticorico on Visualhunt / CC BY-SA

    Aeroporto Juancho E. Yrausquin, Ilha de Saba (Caribe): a pista tem apenas 400 metros de comprimento. Além disso, o aeroporto é cercado pelo oceano, não dando margem para erros dos pilotos

  • Crédito: david takes photos on VisualHunt.com / CC BY-NC

    Aeroporto Juancho E. Yrausquin, Ilha de Saba (Caribe): a pista tem apenas 400 metros de comprimento. Além disso, o aeroporto é cercado pelo oceano, não dando margem para erros dos pilotos

  • Crédito: Martin Wippel on VisualHunt.com / CC BY-NC-SA

    Aeroporto Internacional Princess Juliana, St. Maarten: vizinho da praia de Maho, os aviões pousam no local a poucos metros de altura dos turistas. Não é raro encontrar vídeos de imensos aviões, como o Boeing 747, pousando na pista

  • Crédito: chris nelson dot ca on Visualhunt / CC BY-NC-ND

    Aeroporto Internacional Princess Juliana, St. Maarten: vizinho da praia de Maho, os aviões pousam no local a poucos metros de altura dos turistas. Não é raro encontrar vídeos de imensos aviões, como o Boeing 747, pousando na pista

  • Crédito: Kitty Terwolbeck on VisualHunt / CC BY

    Aeroporto de Svalbard, Noruega: foi construído em 1975 sobre uma camada permanente de gelo, que recebeu uma preparação especial para não derreter durante o verão. Não há iluminação, então os voos só podem ser feitos durante o dia

  • Crédito: rwoan on VisualHunt / CC BY-NC

    Aeroporto de Svalbard, Noruega: foi construído em 1975 sobre uma camada permanente de gelo, que recebeu uma preparação especial para não derreter durante o verão. Não há iluminação, então os voos só podem ser feitos durante o dia

  • Crédito: BeerAndLoathing on VisualHunt.com / CC BY-NC-ND

    Aeroporto de Telluride, Colorado, EUA: fica a 2.764 metros de altitude, sendo que um dos lados da pista termina bem próximo a um abismo. Ela também é curta, com 304 metros de comprimento

  • Crédito: Mark in New Zealand on VisualHunt.com / CC BY-SA

    Aeroporto Internacional de Wellington, Nova Zelândia: a região montanhosa faz com que fortes ventos balançem as aeronaves que se preparam para o pouso, e exige habilidade dos pilotos para manter os aviões no caminho certo

  • Crédito: zkarj on Visual Hunt / CC BY-NC-ND

    Aeroporto Internacional de Wellington, Nova Zelândia: a região montanhosa faz com que fortes ventos balançem as aeronaves que se preparam para o pouso, e exige habilidade dos pilotos para manter os aviões no caminho certo

  • Crédito: The National Guard on Visual hunt / CC BY

    Aeroporto da estação McMurdo, Antártida: embora fique no continente de gelo, realiza pousos regularmente durante todo o ano

  • Crédito: NASA Goddard Photo and Video on VisualHunt.com / CC BY

    Aeroporto da estação McMurdo, Antártida: embora fique no continente de gelo, realiza pousos regularmente durante todo o ano

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;