Fechar
Publicidade

Domingo, 21 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Tecnologia

tecnologia@dgabc.com.br | 4435-8301


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Compressorhead: conheça a banda de rock formada por robôs

Bianca Bellucci

12/07/2019 | 14:48


Compressorhead é uma banda de rock alemã. Mas, diferentemente dos conterrâneos do Rammstein, é composta apenas por robôs. Obra do especialista em robótica Frank Barnes, em colaboração com Markus Kolb e Stock Plum, o grupo alcançou o sucesso com um cover de “Ace of Spades”, do Motörhead, lançado no YouTube em meados de 2013.

Leia mais
Daddy’s Car e Mister Shadow: escute as canções compostas pela inteligência artificial da Sony
Conheça o BattleBots, o campeonato mundial de luta entre robôs
Transformers da vida real: empresa turca cria robô a partir de uma BMW

Os integrantes do Compressorhead

O primeiro robô criado foi Stickboy, o baterista de quatro braços e duas pernas. Depois, surgiu Fingers, o guitarrista de 78 dedos. Por fim, veio o baixista Bones. O trio foi responsável por lançar o Compressorhead no mainstream.

A primeira apresentação ao vivo da banda ocorreu em 2013, no festival Big Day Out, na Austrália. Por ali, os robôs apresentaram covers de bandas como AC/DC, Pantera, Ramones e Motörhead – claro.

Com o sucesso, a equipe por trás da banda começou um crowdfunding na plataforma Kickstarter para construir o vocalista. A campanha arrecadou apenas US$ 46 mil dos US$ 325 mil pedidos. Mesmo não alcançando a meta, Mega-Wattson ganhou vida.

A última integrante a se juntar à banda é Hellgå Tarr. Ela chegou em 2017 e tem duas funções: guitarrista e backing vocal.

A tecnologia por trás

Os robôs da Compressorhead foram construídos com metal reciclável e são controlados via MIDI, tecnologia bem comum no meio musical. É uma linguagem que permite que computadores, instrumentos musicais e outros hardwares se comuniquem entre si.

Na prática, uma pessoa é responsável por programar e ensinar as canções aos robôs. Depois, eles irão reproduzi-las sozinhos com instrumentos reais. Aqui, o nome desse cara é John Wright, um compositor e diretor musical, que fez parte de bandas como The Hanson Brothers e Nomeansno.

Covers e músicas originais

Além de ensinar os integrantes, John Wright escreveu as músicas do álbum de estreia da Compressorhead. “Party Machine” saiu em 2017 e possui 15 faixas. Todas foram pensadas exclusivamente no que os robôs poderiam reproduzir. É possível ouvir o CD no Spotify.

Os covers, entretanto, nunca foram deixados de lado. Vira e mexe, a banda posta uma nova apresentação no YouTube. Abaixo, você confere a versão de “Ace of Spades”, do Motörhead, uma das favoritas do público:

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Vale ressaltar que há tempos o cenário da música deixou de ser dominado por humanos. Relembre as principais bandas virtuais:

 
 

<
>

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;