Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 23 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Crise na Venezuela estará em pauta em congresso no Canadá

Claudinei Plaza/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

ParlAmericas, que começa amanhã, reúne lideranças de todo continente; pelo Brasil, Alex chefiará delegação e quer discutir situação venezuelana


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

28/05/2019 | 07:00


A situação de crise política da Venezuela estará em pauta na reunião da cúpula global do ParlAmericas, órgão internacional que reúne lideranças de Legislativos das Américas. O encontro começa amanhã em Ottawa, no Canadá, e o deputado federal Alex Manente (Cidadania), de São Bernardo, chefiará delegação da Câmara Federal no evento.

O parlamentar, que integra a secretaria de relações internacionais da Câmara, acredita que o tema Venezuela será discutido na reunião, mesmo que a pauta oficial envolva outros assuntos – como governança global, inovação, feminismo, integração de gênero e causa indígena.

“Não temos como fugir do debate (sobre Venezuela). Defesa é pela soberania do povo venezuelano, respeito à democracia, sem uso de força militar externa. Reconhecer o (Juan) Guiadó (como presidente) e defender que o povo da Venezuela possa viver dias em que a maioria da população decida sem a continuidade da ditadura de (Nicolás) Maduro”, disse Alex, que embarcou ontem ao Canadá. O evento termina na quinta-feira.

A crise na Venezuela tomou grandes proporções no começo do ano, quando o presidente da Assembleia, Juan Guaidó, se autoproclamou presidente do país. Ele contou com apoio – crescente mês a mês – da comunidade internacional e pressionou Maduro, sucessor de Hugo Chavéz (morto em 2013). A instabilidade política resultou em problemas no cotidiano do país, com hiperinflação, desabastecimento de itens básicos e fuga de moradores.

“Há divergência no que pensa os Estados Unidos sobre o tema. O presidente Donald Trump já sinalizou em uso de força militar na Venezuela. O Brasil, principalmente o Congresso, pensa de maneira diferente. Hoje a Venezuela vive uma ditadura sustentada por uso de força militar local, o que é errado também. A Venezuela precisa exercitar a democracia para valer”, afirmou Alex.

O deputado também comentou que quer ouvir de representantes de países onde reformas previdenciária e tributária já foram realizadas para tirar ideias sobre modificações estruturais no Brasil. “Mundo é globalizado e estar inserido neste contexto é fundamental para sucesso da vinda de investimento. Investimentos de fora precisam ser atraídos. Relação do ParlAmericas reúne agentes para que essa atração de investimento possa ser feita.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Crise na Venezuela estará em pauta em congresso no Canadá

ParlAmericas, que começa amanhã, reúne lideranças de todo continente; pelo Brasil, Alex chefiará delegação e quer discutir situação venezuelana

Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

28/05/2019 | 07:00


A situação de crise política da Venezuela estará em pauta na reunião da cúpula global do ParlAmericas, órgão internacional que reúne lideranças de Legislativos das Américas. O encontro começa amanhã em Ottawa, no Canadá, e o deputado federal Alex Manente (Cidadania), de São Bernardo, chefiará delegação da Câmara Federal no evento.

O parlamentar, que integra a secretaria de relações internacionais da Câmara, acredita que o tema Venezuela será discutido na reunião, mesmo que a pauta oficial envolva outros assuntos – como governança global, inovação, feminismo, integração de gênero e causa indígena.

“Não temos como fugir do debate (sobre Venezuela). Defesa é pela soberania do povo venezuelano, respeito à democracia, sem uso de força militar externa. Reconhecer o (Juan) Guiadó (como presidente) e defender que o povo da Venezuela possa viver dias em que a maioria da população decida sem a continuidade da ditadura de (Nicolás) Maduro”, disse Alex, que embarcou ontem ao Canadá. O evento termina na quinta-feira.

A crise na Venezuela tomou grandes proporções no começo do ano, quando o presidente da Assembleia, Juan Guaidó, se autoproclamou presidente do país. Ele contou com apoio – crescente mês a mês – da comunidade internacional e pressionou Maduro, sucessor de Hugo Chavéz (morto em 2013). A instabilidade política resultou em problemas no cotidiano do país, com hiperinflação, desabastecimento de itens básicos e fuga de moradores.

“Há divergência no que pensa os Estados Unidos sobre o tema. O presidente Donald Trump já sinalizou em uso de força militar na Venezuela. O Brasil, principalmente o Congresso, pensa de maneira diferente. Hoje a Venezuela vive uma ditadura sustentada por uso de força militar local, o que é errado também. A Venezuela precisa exercitar a democracia para valer”, afirmou Alex.

O deputado também comentou que quer ouvir de representantes de países onde reformas previdenciária e tributária já foram realizadas para tirar ideias sobre modificações estruturais no Brasil. “Mundo é globalizado e estar inserido neste contexto é fundamental para sucesso da vinda de investimento. Investimentos de fora precisam ser atraídos. Relação do ParlAmericas reúne agentes para que essa atração de investimento possa ser feita.” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;