Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 19 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Superávit comercial da Argentina cai a US$ 1,131 bi em abril



24/05/2019 | 05:19


O superávit comercial da Argentina recuou a US$ 1,131 bilhão em abril, após ficar em US$ 1,183 bilhão em março, informou na quinta-feira o Instituto Nacional de Estatística e Censos (Indec). Analistas ouvidos pela Trading Economics previam US$ 800 milhões. O relatório argentino mostrou forte recuo nas compras de produtos do Brasil, na comparação anual, com modesta baixa também nas exportações argentinas ao mercado brasileiro.

Considerando-se toda a balança comercial, as exportações argentinas tiveram aumento de 1,7% em abril na comparação com o mesmo mês de 2018, a US$ 5,305 bilhões. As importações, por outro lado, recuaram 31,6%, a US$ 4,174 bilhões. O país tem enfrentado grave crise econômica, com recessão e aumento na pobreza e no desemprego.

Apenas com o Brasil, o saldo comercial argentino ficou negativo em US$ 63 milhões. A Argentina exportou US$ 889 milhões em produtos ao País em abril, mas importou US$ 952 milhões. As exportações tiveram queda de 2,9% em abril, na comparação com igual mês do ano passado, enquanto as importações recuaram 43,8%.

Os principais sócios comerciais argentinos em abril foram Brasil, China e Estados Unidos, nessa ordem. Em abril, o País foi destino de 83,6% das exportações argentinas para parceiros do Mercosul, aponta o Indec. O Brasil é ainda o principal destino das exportações argentinas em geral, seguido por China, EUA, Vietnã, Chile e Holanda.

Em janeiro, a Argentina registrou déficit comercial de US$ 42 milhões com o Brasil, seguido de déficit de US$ 33 milhões em fevereiro, superávit de US$ 73 milhões em março e, agora, déficit de US$ 63 milhões em abril.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Superávit comercial da Argentina cai a US$ 1,131 bi em abril


24/05/2019 | 05:19


O superávit comercial da Argentina recuou a US$ 1,131 bilhão em abril, após ficar em US$ 1,183 bilhão em março, informou na quinta-feira o Instituto Nacional de Estatística e Censos (Indec). Analistas ouvidos pela Trading Economics previam US$ 800 milhões. O relatório argentino mostrou forte recuo nas compras de produtos do Brasil, na comparação anual, com modesta baixa também nas exportações argentinas ao mercado brasileiro.

Considerando-se toda a balança comercial, as exportações argentinas tiveram aumento de 1,7% em abril na comparação com o mesmo mês de 2018, a US$ 5,305 bilhões. As importações, por outro lado, recuaram 31,6%, a US$ 4,174 bilhões. O país tem enfrentado grave crise econômica, com recessão e aumento na pobreza e no desemprego.

Apenas com o Brasil, o saldo comercial argentino ficou negativo em US$ 63 milhões. A Argentina exportou US$ 889 milhões em produtos ao País em abril, mas importou US$ 952 milhões. As exportações tiveram queda de 2,9% em abril, na comparação com igual mês do ano passado, enquanto as importações recuaram 43,8%.

Os principais sócios comerciais argentinos em abril foram Brasil, China e Estados Unidos, nessa ordem. Em abril, o País foi destino de 83,6% das exportações argentinas para parceiros do Mercosul, aponta o Indec. O Brasil é ainda o principal destino das exportações argentinas em geral, seguido por China, EUA, Vietnã, Chile e Holanda.

Em janeiro, a Argentina registrou déficit comercial de US$ 42 milhões com o Brasil, seguido de déficit de US$ 33 milhões em fevereiro, superávit de US$ 73 milhões em março e, agora, déficit de US$ 63 milhões em abril.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;