Fechar
Publicidade

Domingo, 21 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Petrobras garante à ANP que terá bunker com baixo enxofre a partir de 2020



23/05/2019 | 17:19


A Petrobras garantiu à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), responsável pela regulação do setor, que está apta a produzir combustível de navio (bunker) com baixo enxofre em volume suficiente para atender a demanda do Brasil a partir de janeiro de 2020, quando entra em vigor uma lei internacional que limita em 0,5% o teor de enxofre de embarcações, informou durante reunião da agência o diretor da ANP, Aurélio Amaral.

A agência publicou nesta quinta-feira, 23, a Resolução 789/2019, que reduz o limite máximo do teor de enxofre dos óleos combustíveis marítimos para as embarcações que não dispuserem de sistema de limpeza de gases de escape. A norma altera dispositivos da Resolução ANP nº 52/2010, que estabelece as especificações dos combustíveis destinados ao uso aquaviário.

Segundo Amaral, "havia dúvidas se a Petrobras poderia atender a demanda", mas que foi informado que a estatal fará um mix em suas refinarias do petróleo extraído do pré-sal para conseguir um produto menos poluente. "A gente não fiscaliza embarcação, e sim os produtores", lembrou Amaral durante a reunião.

Segundo Amaral, não há previsão de aumento do preço do produto. "Isso não está no nosso radar", afirmou, ao ser perguntado sobre o impacto financeiro que a mudança vai trazer para o consumidor.

A redução do teor de enxofre no bunker atende à Convenção Internacional para a Prevenção da Poluição por Navios (Marpol), da qual o Brasil é signatário.

As mudanças começaram a ser debatidas após estudos demonstrarem que o transporte marítimo é o maior emissor de enxofre, com teores que chegam a 3,5% em massa.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Petrobras garante à ANP que terá bunker com baixo enxofre a partir de 2020


23/05/2019 | 17:19


A Petrobras garantiu à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), responsável pela regulação do setor, que está apta a produzir combustível de navio (bunker) com baixo enxofre em volume suficiente para atender a demanda do Brasil a partir de janeiro de 2020, quando entra em vigor uma lei internacional que limita em 0,5% o teor de enxofre de embarcações, informou durante reunião da agência o diretor da ANP, Aurélio Amaral.

A agência publicou nesta quinta-feira, 23, a Resolução 789/2019, que reduz o limite máximo do teor de enxofre dos óleos combustíveis marítimos para as embarcações que não dispuserem de sistema de limpeza de gases de escape. A norma altera dispositivos da Resolução ANP nº 52/2010, que estabelece as especificações dos combustíveis destinados ao uso aquaviário.

Segundo Amaral, "havia dúvidas se a Petrobras poderia atender a demanda", mas que foi informado que a estatal fará um mix em suas refinarias do petróleo extraído do pré-sal para conseguir um produto menos poluente. "A gente não fiscaliza embarcação, e sim os produtores", lembrou Amaral durante a reunião.

Segundo Amaral, não há previsão de aumento do preço do produto. "Isso não está no nosso radar", afirmou, ao ser perguntado sobre o impacto financeiro que a mudança vai trazer para o consumidor.

A redução do teor de enxofre no bunker atende à Convenção Internacional para a Prevenção da Poluição por Navios (Marpol), da qual o Brasil é signatário.

As mudanças começaram a ser debatidas após estudos demonstrarem que o transporte marítimo é o maior emissor de enxofre, com teores que chegam a 3,5% em massa.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;