Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 15 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Sudene busca como custear plano para o Nordeste



23/05/2019 | 11:30


O governo ainda não tem ideia do custo nem de onde vai tirar recursos para colocar em prática o Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE), cujo lançamento ocorre nesta sexta-feira, 24, durante a viagem do presidente Jair Bolsonaro ao Nordeste, a primeira depois de eleito à região onde ele recebeu menos votos e enfrenta os piores índices de avaliação.

"Não tenho como lhe dar uma ideia mais precisa (do custo). Temos muito caminho pela frente", disse Mario de Paula Guimarães Gordilho, que chefia a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). "Vamos ter que fazer uma articulação buscando todos os esforços dos Estados, municípios e União. Não tem nada definido. O BNDES pode entrar com recursos também. É uma estruturação maior que vai acontecer", completou.

O PRDNE prevê mais de 800 ações nos 11 Estados da região da Sudene (além dos nove do Nordeste, Minas e Espírito Santo), entre eles pontes, estradas, ampliações de portos, ferrovias, habitação, tecnologia e educação, no momento em que o governo faz um forte contingenciamento orçamentário.

O projeto elaborado depois de meses de conversas com todos os governos da região será votado nesta sexta na reunião do Conselho Deliberativo da Sudene com a presença de Bolsonaro e dos governadores, a grande maioria de oposição.

Governadores vão participar do encontro. "Eu irei porque a ideia do plano regional é boa. O problema é que o governo está perdido. Particularmente, não acredito que eles implementem o plano, mas só o fato de quererem aprovar já é bom", disse Flávio Dino (PCdoB), governador do Maranhão.

Bolsonaro deve aproveitar a viagem para anunciar a liberação de R$ 2,1 bilhões para o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FDNE) e a criação de uma rede de fibra ótica nas 41 cidades-polo que serão priorizadas pelo PRDNE, além de entregar unidades do Minha Casa Minha Vida, mas deve ouvir cobranças e pedidos.

"Queremos retomar as obras paralisadas ou não iniciadas", afirmou o governador do Piauí, Wellington Dias (PT). "Então é hora de todo mundo descer do palanque e trabalhar muito."

O texto do PRDNE não foge da dificuldade de financiamento e traz um capítulo para tratar especificamente do tema. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sudene busca como custear plano para o Nordeste


23/05/2019 | 11:30


O governo ainda não tem ideia do custo nem de onde vai tirar recursos para colocar em prática o Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE), cujo lançamento ocorre nesta sexta-feira, 24, durante a viagem do presidente Jair Bolsonaro ao Nordeste, a primeira depois de eleito à região onde ele recebeu menos votos e enfrenta os piores índices de avaliação.

"Não tenho como lhe dar uma ideia mais precisa (do custo). Temos muito caminho pela frente", disse Mario de Paula Guimarães Gordilho, que chefia a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). "Vamos ter que fazer uma articulação buscando todos os esforços dos Estados, municípios e União. Não tem nada definido. O BNDES pode entrar com recursos também. É uma estruturação maior que vai acontecer", completou.

O PRDNE prevê mais de 800 ações nos 11 Estados da região da Sudene (além dos nove do Nordeste, Minas e Espírito Santo), entre eles pontes, estradas, ampliações de portos, ferrovias, habitação, tecnologia e educação, no momento em que o governo faz um forte contingenciamento orçamentário.

O projeto elaborado depois de meses de conversas com todos os governos da região será votado nesta sexta na reunião do Conselho Deliberativo da Sudene com a presença de Bolsonaro e dos governadores, a grande maioria de oposição.

Governadores vão participar do encontro. "Eu irei porque a ideia do plano regional é boa. O problema é que o governo está perdido. Particularmente, não acredito que eles implementem o plano, mas só o fato de quererem aprovar já é bom", disse Flávio Dino (PCdoB), governador do Maranhão.

Bolsonaro deve aproveitar a viagem para anunciar a liberação de R$ 2,1 bilhões para o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FDNE) e a criação de uma rede de fibra ótica nas 41 cidades-polo que serão priorizadas pelo PRDNE, além de entregar unidades do Minha Casa Minha Vida, mas deve ouvir cobranças e pedidos.

"Queremos retomar as obras paralisadas ou não iniciadas", afirmou o governador do Piauí, Wellington Dias (PT). "Então é hora de todo mundo descer do palanque e trabalhar muito."

O texto do PRDNE não foge da dificuldade de financiamento e traz um capítulo para tratar especificamente do tema. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;