Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 21 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Ganso se diz feliz e adaptado no Flu e comenta reencontro com Paulo Autuori

Reprodução/Instragram Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


22/05/2019 | 15:20


Paulo Henrique Ganso está feliz no Fluminense. O meia, que chegou ao time carioca há quatro meses vindo do Amiens, da França, disse nesta quarta-feira, véspera da partida contra o Atlético Nacional, da Colômbia, no Rio de Janeiro, pela Copa Sul-Americana, estar adaptado e à vontade, mas afirmou que só ficará completamente satisfeito quando a equipe conquistar alguma taça nesta temporada.

"É difícil. Não dá para ficar satisfeito. Eu fiquei contente quando a gente venceu. Falta ser campeão. Na hora que a gente for campeão, aí a nota será 10", analisou Ganso, em entrevista coletiva nesta quarta-feira. "Já me sinto em casa, fui bem recepcionado e estou bem adaptado. O carinho do torcedor tem sido excepcional, mas a gente tem que mostrar sempre dentro de campo, sempre levando o Fluminense a fazer grandes jogos", completou.

Ganso disse estar contente com o desempenho recente do time, que goleou o Cruzeiro no último sábado por 4 a 1, pelo Campeonato Brasileiro, e falou sobre o Atlético Nacional, rival desta quinta-feira no estádio do Maracanã, a partir das 21h30. "Teremos um jogo bem complicado, contra uma equipe que sabe jogar esse tipo de competição, já foi campeão da Libertadores e da sul-americana. Então, vai ser um jogo duro, mas a gente tem que fazer o nosso papel dentro de casa", disse.

Na partida, o meia vai reencontrar o técnico Paulo Autuori, que foi seu comandante no São Paulo em 2013 e com o qual não teve um bom rendimento. Agora, pressionado pelos maus resultados, o treinador também não vive boa fase e esteve próximo de deixar o comando da equipe colombiana recentemente, mas seguiu no cargo após conversar com o elenco.

"O Autuori é um cara que cuida muito do vestiário, dos atletas, protege muito os jogadores e acho que isso fez a diferença para que ele siga no comando. Acredito que os jogadores do Atlético devem ter conversado com ele para seguir e, por isso, nossa atenção tem que ser bem maior para o jogo de amanhã (quinta-feira)", afirmou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ganso se diz feliz e adaptado no Flu e comenta reencontro com Paulo Autuori


22/05/2019 | 15:20


Paulo Henrique Ganso está feliz no Fluminense. O meia, que chegou ao time carioca há quatro meses vindo do Amiens, da França, disse nesta quarta-feira, véspera da partida contra o Atlético Nacional, da Colômbia, no Rio de Janeiro, pela Copa Sul-Americana, estar adaptado e à vontade, mas afirmou que só ficará completamente satisfeito quando a equipe conquistar alguma taça nesta temporada.

"É difícil. Não dá para ficar satisfeito. Eu fiquei contente quando a gente venceu. Falta ser campeão. Na hora que a gente for campeão, aí a nota será 10", analisou Ganso, em entrevista coletiva nesta quarta-feira. "Já me sinto em casa, fui bem recepcionado e estou bem adaptado. O carinho do torcedor tem sido excepcional, mas a gente tem que mostrar sempre dentro de campo, sempre levando o Fluminense a fazer grandes jogos", completou.

Ganso disse estar contente com o desempenho recente do time, que goleou o Cruzeiro no último sábado por 4 a 1, pelo Campeonato Brasileiro, e falou sobre o Atlético Nacional, rival desta quinta-feira no estádio do Maracanã, a partir das 21h30. "Teremos um jogo bem complicado, contra uma equipe que sabe jogar esse tipo de competição, já foi campeão da Libertadores e da sul-americana. Então, vai ser um jogo duro, mas a gente tem que fazer o nosso papel dentro de casa", disse.

Na partida, o meia vai reencontrar o técnico Paulo Autuori, que foi seu comandante no São Paulo em 2013 e com o qual não teve um bom rendimento. Agora, pressionado pelos maus resultados, o treinador também não vive boa fase e esteve próximo de deixar o comando da equipe colombiana recentemente, mas seguiu no cargo após conversar com o elenco.

"O Autuori é um cara que cuida muito do vestiário, dos atletas, protege muito os jogadores e acho que isso fez a diferença para que ele siga no comando. Acredito que os jogadores do Atlético devem ter conversado com ele para seguir e, por isso, nossa atenção tem que ser bem maior para o jogo de amanhã (quinta-feira)", afirmou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;