Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 15 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Número de mortes no trânsito dobra no Grande ABC

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Em abril, foram 24 óbitos contra 13 casos de vítimas fatais no mesmo período de 2018


Daniel Macário
Do Diário do Grande ABC

21/05/2019 | 16:37


 O número de vítimas fatais em acidentes de trânsito que aconteceram em municípios do Grande ABC praticamente dobrou na comparação entre abril deste ano e o mesmo período de 2018. Foram 24 mortes no mês passado, contra 13 registros de óbitos no ano anterior. As informações constam em relatório do Infosiga (Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo).

Conforme o levantamento, divulgado neste semana, no período analisado, o número de mortes de motociclistas quase triplicou na região, passando de quatro para 11 óbitos. A maioria das vítimas fatais se envolveu em ocorrências de colisões frontais com veículos. Houve ainda outros oito óbitos de pedestres em atropelamentos.

Este foi o segundo mês seguido que municípios do Grande ABC registram aumento no número de vítimas fatais em acidentes de trânsito. Em março, foram 16 casos de mortes. O relatório do Infosiga aponta ainda que a região teve o mês de abril mais violento desde 2016, quando também houve registro de 24 pessoas.

Na análise por município, Santo André e São Bernardo lideraram em abril os acidentes fatais com seis óbitos cada. Ambas as cidades dobraram o número de óbitos em relação ao mesmo período de 2018.

Na sequência aparecem Diadema (quatro), São Caetano (três), Mauá (três) e Ribeirão Pires (dois). Rio Grande da Serra não teve registros de vítimas fatais no mês passado.

Apesar de a região ser cortada por importantes rodovias, as vias municipais da região foram apontadas como as mais perigosas. No período, 20 acidentes fatais aconteceram nesses eixos viários, enquanto quatro foram em rodovias. O relatório aponta ainda que mais da metade das mortes ocorreu entre sexta e sábado.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Número de mortes no trânsito dobra no Grande ABC

Em abril, foram 24 óbitos contra 13 casos de vítimas fatais no mesmo período de 2018

Daniel Macário
Do Diário do Grande ABC

21/05/2019 | 16:37


 O número de vítimas fatais em acidentes de trânsito que aconteceram em municípios do Grande ABC praticamente dobrou na comparação entre abril deste ano e o mesmo período de 2018. Foram 24 mortes no mês passado, contra 13 registros de óbitos no ano anterior. As informações constam em relatório do Infosiga (Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo).

Conforme o levantamento, divulgado neste semana, no período analisado, o número de mortes de motociclistas quase triplicou na região, passando de quatro para 11 óbitos. A maioria das vítimas fatais se envolveu em ocorrências de colisões frontais com veículos. Houve ainda outros oito óbitos de pedestres em atropelamentos.

Este foi o segundo mês seguido que municípios do Grande ABC registram aumento no número de vítimas fatais em acidentes de trânsito. Em março, foram 16 casos de mortes. O relatório do Infosiga aponta ainda que a região teve o mês de abril mais violento desde 2016, quando também houve registro de 24 pessoas.

Na análise por município, Santo André e São Bernardo lideraram em abril os acidentes fatais com seis óbitos cada. Ambas as cidades dobraram o número de óbitos em relação ao mesmo período de 2018.

Na sequência aparecem Diadema (quatro), São Caetano (três), Mauá (três) e Ribeirão Pires (dois). Rio Grande da Serra não teve registros de vítimas fatais no mês passado.

Apesar de a região ser cortada por importantes rodovias, as vias municipais da região foram apontadas como as mais perigosas. No período, 20 acidentes fatais aconteceram nesses eixos viários, enquanto quatro foram em rodovias. O relatório aponta ainda que mais da metade das mortes ocorreu entre sexta e sábado.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;