Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Governo estadual nega aumento de custeio para o Nardini

Do Dgabc Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Daniel Macario

20/05/2019 | 17:38


Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann Ferreira, admitiu nesta segunda-feira que o Palácio dos Bandeirantes não tem condições financeiras para estadualizar, nem aumentar o custeio anual dado para a Prefeitura de Mauá para manutenção do Hospital de Clínicas Dr. Radamés Nardini.

A declaração feita em ato realizado em São Bernardo ocorre oito meses após o paço mauaense solicitar aumento de verba junto ao governo estadual para gerir o equipamento.

Atualmente, o custo para a manutenção do equipamento é de R$ 9 milhões mensais e, segundo o Paço, já há repasse de R$ 1 milhão feito por meio do governo do Estado via convênio.

“Não temos orçamento para algo deste tipo para estadualizar um hospital, nem aumento de custeio”, declarou Germann ao justificar a decisão a dificuldade orçamentária da Pasta. “Nosso orçamento está aquém do que desejávamos”.

Em setembro do ano passado, diante de sua dificuldade orçamentária, a Prefeitura de Mauá oficializou ao Estado pedido de ajuda para conseguir custear o Hospital Nardini.

Um relatório enviado a Secretaria de Saúde apontou que o hospital realiza mais de 400 mil procedimentos anualmente, entre serviços de emergência, ambulatorial, pronto-socorro, internações, cirurgias e partos. Desses atendimento, 70% é feito via SUS (Sistema Único de Saúde). Ainda de acordo com o estudo municipal, 94,74% das internações em 2017, englobaram pacientes de Mauá, Ribeirão e Rio Grande da Serra. O equipamento também é responsável por realizar 60% do número total de partos via SUS na cidade.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Governo estadual nega aumento de custeio para o Nardini

Daniel Macario

20/05/2019 | 17:38


Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann Ferreira, admitiu nesta segunda-feira que o Palácio dos Bandeirantes não tem condições financeiras para estadualizar, nem aumentar o custeio anual dado para a Prefeitura de Mauá para manutenção do Hospital de Clínicas Dr. Radamés Nardini.

A declaração feita em ato realizado em São Bernardo ocorre oito meses após o paço mauaense solicitar aumento de verba junto ao governo estadual para gerir o equipamento.

Atualmente, o custo para a manutenção do equipamento é de R$ 9 milhões mensais e, segundo o Paço, já há repasse de R$ 1 milhão feito por meio do governo do Estado via convênio.

“Não temos orçamento para algo deste tipo para estadualizar um hospital, nem aumento de custeio”, declarou Germann ao justificar a decisão a dificuldade orçamentária da Pasta. “Nosso orçamento está aquém do que desejávamos”.

Em setembro do ano passado, diante de sua dificuldade orçamentária, a Prefeitura de Mauá oficializou ao Estado pedido de ajuda para conseguir custear o Hospital Nardini.

Um relatório enviado a Secretaria de Saúde apontou que o hospital realiza mais de 400 mil procedimentos anualmente, entre serviços de emergência, ambulatorial, pronto-socorro, internações, cirurgias e partos. Desses atendimento, 70% é feito via SUS (Sistema Único de Saúde). Ainda de acordo com o estudo municipal, 94,74% das internações em 2017, englobaram pacientes de Mauá, Ribeirão e Rio Grande da Serra. O equipamento também é responsável por realizar 60% do número total de partos via SUS na cidade.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;