Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 17 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

O Legislativo nos debates da Linha 18


Do Diário do Grande ABC

20/05/2019 | 09:07


Antiga reivindicação de todo Grande ABC, a Linha 18-Bronze segue adormecida desde 2014, quando o contrato foi assinado. Atualmente, o assunto foi retomado pelo governador João Doria com a mudança de modal de monotrilho, ferrovia constituída por único trilho, para BRT, transporte rápido por ônibus. Não há projeto. Não se tem definição dos detalhes técnicos e operacionais, muito menos dos resultados que trarão. Sabe-se que o BRT é muito mais barato. Porém, solução de longo prazo é o monotrilho. Faz-se necessário debate consistente e transparente com o governo estadual, secretários, deputados, prefeitos e vereadores das cidades envolvidas para que, assim, possamos discutir e apresentar sugestões e críticas e em seguida repassarmos para nossos munícipes.

Nada mais oportuno que os Legislativos dos municípios que serão beneficiados pela Linha 18 (Santo André, São Bernardo e São Caetano) participem plenamente das discussões sobre os assuntos pertinentes a essa importante obra. Pensando nisso, protocolei em 5 de abril na Câmara de São Caetano requerimento ao Metrô solicitando informações sobre a possibilidade de disponibilizar vagas aos vereadores do Grande ABC no grupo de estudos sobre o modal. O objetivo do documento é a busca da integralização de ideias e participação efetiva em decisões. Acredito que ter representantes do Legislativo da região nessa comissão será mais uma forma de fazer com que as ações tenham fundamentações, possibilitando a voz do usuário nas análises e a conclusão dos estudos para iniciar as obras, tão esperadas pela população. Nós, parlamentares, podemos colaborar nos pró e contra sobre as opções colocadas, o monotrilho ou o BRT, que podem ser embasadas e aprofundadas com a participação mais efetiva dos agentes locais.

Houve consenso que se repete na opinião de demais especialistas e setores do Grande ABC durante o V Eimus (Encontro Ibero-Americano de Mobilidade Urbana Sustentável), sediado em São Caetano entre os dias 7 e 9 de maio. O modal ideal para nossa região seria o monotrilho por diversas razões, como rapidez e menor consumo de energia e do impacto ambiental. Entretanto, as discussões prosseguem e, no momento, o BRT se destaca como a opção econômica por demandar menos custos. Na solenidade de abertura, como presidente em exercício do Legislativo, destaquei o importante momento para reflexão e troca de ideias. Seja qual for o modal escolhido pelo governo do Estado para a Linha 18-Bronze, que ligará o Grande ABC à Capital, nós, enquanto representantes da população no Poder Legislativo, vamos continuar participando dos debates e decisões a fim de buscar o melhor para nossas cidades.

Edison Parra é empresário, vereador e vice-presidente da Câmara de São Caetano. 

Ofensor

Meu repúdio a Dallas, nos Estados Unidos, por se prestar a homenagear indivíduo sórdido, ignóbil, como Bolsonaro. Olhem a situação a qual nos encontramos depois de alguns terem colocado no poder sujeito anencéfalo, que, na chegada aos Estados Unidos, dia 15, ofendeu os manifestantes contrários aos cortes de verbas para a educação, chamando-os de ‘idiotas’ e ‘imbecis’. Quem é esse ser repugnante para dizer isso dos estudantes brasileiros? Será que ele não sabe que vivemos em democracia, que dá o direito à manifestação? Ainda teve coragem de dizer que pegou o País ‘destruído economicamente, com baixas arrecadações’ e que não gostaria de cortar verbas às federais. Mentiroso! Então, se o Brasil está mesmo assim como prega, por que deu R$ 40 milhões a cada parlamentar para votar a favor do texto da reforma da Previdência? Sem educação já basta Bolsonaro. Analfabeto funcional. Estudemos, para que nunca nos tornemos eleitores de Bolsonaro.

Alberto de Souza e Silva

Diadema

Cada um por si

Os ministros do Supremo Tribunal Federal, penso eu, acham que moram em outro país, porque Brasília ganha do principado de Monaco nos gastos! Enquanto muitos brasileiros às vezes não têm o que comer, os nossos ministros saciam seus gostos com lagostas com molho na manteiga queimada, vitela, bacalhau, camarão, e o vinho deve ser envelhecido em barril de carvalho francês. Outra pérola de Brasília é que os senadores, que já tinham nada mais, nada menos que 2.420 assessores, ‘ganharam’ mais 334, dando total de 2.754. Caros leitores, imaginem a quantia para pagar todo esse pessoal. Agora, nós, aposentados e os da ativa, vamos ‘quebrar’ o País? Não, não somos nós, trabalhadores, que vamos falir a Previdência e, sim, essa classe política corrupta, que só trabalha em benefício próprio.

Copiniano de Souza

Santo André

Quanto pior, melhor?

Os mesmos que participam das manifestações contra o contingenciamento da educação são os que estão contra a reforma da Previdência. Será que não veem a relação entre os dois temas? Se querem investimento em educação devem apoiar a reforma, que fará ajuste fiscal ao País junto com investimentos externos e empregos. Se querem barrar a reforma, terão de suportar cortes em serviços essenciais. O País já está em situação crítica. Paulo Guedes foi ao Congresso pedir R$ 248 bilhões em créditos suplementares para pagar Previdência, BPC (Benefício de Prestação Continuado) e Bolsa Família de 2019 – está algemado na LOA (Lei Orçamentária Anual) aprovada em 2018. Cada protestante olha só para seu interesse sem fazer sacrifícios e não deixam Bolsonaro governar. A impressão que dá é que a esquerda quebrou o País quando era situação e continua quebrando como oposição. Muitos embarcando nessa, mesmo com dados concretos de deficit e crescimento de 1,5%, reflexo de políticas passadas. É a turma do quanto pior, melhor, mas uma hora piora e não tem volta. 

Eduardo de Carvalho Alves

São Bernardo

Universitário

Até o fim do ano o Hospital São Caetano, em São Caetano, passará a ser administrado pela USCS (Universidade Municipal de São Caetano) e será universitário. Agora, espero que o atendimento aos munícipes seja mais humanitário, porque, dia 14 de maio, minha mulher passou mal e foi levada ao complexo hospitalar que engloba o Albert Sabin e a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e somente após duas horas que estava lá é que foi atendida. Isso é lamentável para a cidade, que se diz de primeiro mundo. Prefeito, comece logo a humanizar a saúde, senão seu plano de reeleição irá por água abaixo e os eleitores nas urnas saberão em quem se deve ou não votar.

Fernando Zucatelli

São Caetano

Bicicletas

Solicito ao nosso prefeito Paulo Serra atenção quanto ao uso de bicicletas nas calçadas no Centro da cidade, o que pode provocar acidentes às pessoas que circulam pela região, e também nos parques, como no Celso Daniel. Dia 13 quase fui atropelado por ciclista na Rua Coronel Oliveira Lima. Garoto de bicicleta, a toda velocidade, quase me pegou, causando-me transtornos. Acho que a Guarda Civil Municipal poderia ajudar, ou uma medida tomada pela Câmara para regulalizar esse problema nas ruas do município. Quero apenas ajudar com essa sugestão, para o bem de todos.

Maurício Goduto

Santo André

Estacionamento

Deveria haver mais fiscalização em São Bernardo, tendo em vista que posto de gasolina desativado na esquina da Rua Afonsina com a Avenida Senador Vergueiro agora funciona estacionamento de maneira precária, com carros parados entre bombas de combustíveis. E nem se sabe como está a situação dos tanques ou se tem combustível. Isso sem contar que está a menos de 100 metros de escola municipal infantil, e perto da Subprefeitura do Rudge Ramos, e até agora nada de fiscalização quanto à situação do estabelecimento. E no estacionamento do Poliesportivo na Avenida Kennedy, nos fins de semana, e nas quintas e sextas à noite, flanelinhas, com jaqueta verde, cobram estacionamento dos usuários do poliesportivo e parque, sendo que é municipal. E até a cadeira de praia fica no meio do estacionamento, como se fossem donos do pedaço. E sempre com presença de menores. Deveria haver, também, presença do conselho tutelar para evitar esses fatos. O mais correto seria gradear o estacionamento ou cobrar Zona Azul para coibir os espertinhos.

Maria de Lourdes Barbosa Santos

São Bernardo

As cartas para esta seção devem ser encaminhadas pelos Correios (Rua Catequese, 562, bairro Jardim, Santo André, CEP 09090-900) ou por e-mail (palavradoleitor@dgabc.com.br). Necessário que sejam indicados nome e endereço completos e telefone para contato. Não serão publicadas ofensas pessoais. Os assuntos devem versar sobre temas abordados pelo jornal. O Diário se reserva o direito de publicar somente trechos dos textos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

O Legislativo nos debates da Linha 18

Do Diário do Grande ABC

20/05/2019 | 09:07


Antiga reivindicação de todo Grande ABC, a Linha 18-Bronze segue adormecida desde 2014, quando o contrato foi assinado. Atualmente, o assunto foi retomado pelo governador João Doria com a mudança de modal de monotrilho, ferrovia constituída por único trilho, para BRT, transporte rápido por ônibus. Não há projeto. Não se tem definição dos detalhes técnicos e operacionais, muito menos dos resultados que trarão. Sabe-se que o BRT é muito mais barato. Porém, solução de longo prazo é o monotrilho. Faz-se necessário debate consistente e transparente com o governo estadual, secretários, deputados, prefeitos e vereadores das cidades envolvidas para que, assim, possamos discutir e apresentar sugestões e críticas e em seguida repassarmos para nossos munícipes.

Nada mais oportuno que os Legislativos dos municípios que serão beneficiados pela Linha 18 (Santo André, São Bernardo e São Caetano) participem plenamente das discussões sobre os assuntos pertinentes a essa importante obra. Pensando nisso, protocolei em 5 de abril na Câmara de São Caetano requerimento ao Metrô solicitando informações sobre a possibilidade de disponibilizar vagas aos vereadores do Grande ABC no grupo de estudos sobre o modal. O objetivo do documento é a busca da integralização de ideias e participação efetiva em decisões. Acredito que ter representantes do Legislativo da região nessa comissão será mais uma forma de fazer com que as ações tenham fundamentações, possibilitando a voz do usuário nas análises e a conclusão dos estudos para iniciar as obras, tão esperadas pela população. Nós, parlamentares, podemos colaborar nos pró e contra sobre as opções colocadas, o monotrilho ou o BRT, que podem ser embasadas e aprofundadas com a participação mais efetiva dos agentes locais.

Houve consenso que se repete na opinião de demais especialistas e setores do Grande ABC durante o V Eimus (Encontro Ibero-Americano de Mobilidade Urbana Sustentável), sediado em São Caetano entre os dias 7 e 9 de maio. O modal ideal para nossa região seria o monotrilho por diversas razões, como rapidez e menor consumo de energia e do impacto ambiental. Entretanto, as discussões prosseguem e, no momento, o BRT se destaca como a opção econômica por demandar menos custos. Na solenidade de abertura, como presidente em exercício do Legislativo, destaquei o importante momento para reflexão e troca de ideias. Seja qual for o modal escolhido pelo governo do Estado para a Linha 18-Bronze, que ligará o Grande ABC à Capital, nós, enquanto representantes da população no Poder Legislativo, vamos continuar participando dos debates e decisões a fim de buscar o melhor para nossas cidades.

Edison Parra é empresário, vereador e vice-presidente da Câmara de São Caetano. 

Ofensor

Meu repúdio a Dallas, nos Estados Unidos, por se prestar a homenagear indivíduo sórdido, ignóbil, como Bolsonaro. Olhem a situação a qual nos encontramos depois de alguns terem colocado no poder sujeito anencéfalo, que, na chegada aos Estados Unidos, dia 15, ofendeu os manifestantes contrários aos cortes de verbas para a educação, chamando-os de ‘idiotas’ e ‘imbecis’. Quem é esse ser repugnante para dizer isso dos estudantes brasileiros? Será que ele não sabe que vivemos em democracia, que dá o direito à manifestação? Ainda teve coragem de dizer que pegou o País ‘destruído economicamente, com baixas arrecadações’ e que não gostaria de cortar verbas às federais. Mentiroso! Então, se o Brasil está mesmo assim como prega, por que deu R$ 40 milhões a cada parlamentar para votar a favor do texto da reforma da Previdência? Sem educação já basta Bolsonaro. Analfabeto funcional. Estudemos, para que nunca nos tornemos eleitores de Bolsonaro.

Alberto de Souza e Silva

Diadema

Cada um por si

Os ministros do Supremo Tribunal Federal, penso eu, acham que moram em outro país, porque Brasília ganha do principado de Monaco nos gastos! Enquanto muitos brasileiros às vezes não têm o que comer, os nossos ministros saciam seus gostos com lagostas com molho na manteiga queimada, vitela, bacalhau, camarão, e o vinho deve ser envelhecido em barril de carvalho francês. Outra pérola de Brasília é que os senadores, que já tinham nada mais, nada menos que 2.420 assessores, ‘ganharam’ mais 334, dando total de 2.754. Caros leitores, imaginem a quantia para pagar todo esse pessoal. Agora, nós, aposentados e os da ativa, vamos ‘quebrar’ o País? Não, não somos nós, trabalhadores, que vamos falir a Previdência e, sim, essa classe política corrupta, que só trabalha em benefício próprio.

Copiniano de Souza

Santo André

Quanto pior, melhor?

Os mesmos que participam das manifestações contra o contingenciamento da educação são os que estão contra a reforma da Previdência. Será que não veem a relação entre os dois temas? Se querem investimento em educação devem apoiar a reforma, que fará ajuste fiscal ao País junto com investimentos externos e empregos. Se querem barrar a reforma, terão de suportar cortes em serviços essenciais. O País já está em situação crítica. Paulo Guedes foi ao Congresso pedir R$ 248 bilhões em créditos suplementares para pagar Previdência, BPC (Benefício de Prestação Continuado) e Bolsa Família de 2019 – está algemado na LOA (Lei Orçamentária Anual) aprovada em 2018. Cada protestante olha só para seu interesse sem fazer sacrifícios e não deixam Bolsonaro governar. A impressão que dá é que a esquerda quebrou o País quando era situação e continua quebrando como oposição. Muitos embarcando nessa, mesmo com dados concretos de deficit e crescimento de 1,5%, reflexo de políticas passadas. É a turma do quanto pior, melhor, mas uma hora piora e não tem volta. 

Eduardo de Carvalho Alves

São Bernardo

Universitário

Até o fim do ano o Hospital São Caetano, em São Caetano, passará a ser administrado pela USCS (Universidade Municipal de São Caetano) e será universitário. Agora, espero que o atendimento aos munícipes seja mais humanitário, porque, dia 14 de maio, minha mulher passou mal e foi levada ao complexo hospitalar que engloba o Albert Sabin e a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e somente após duas horas que estava lá é que foi atendida. Isso é lamentável para a cidade, que se diz de primeiro mundo. Prefeito, comece logo a humanizar a saúde, senão seu plano de reeleição irá por água abaixo e os eleitores nas urnas saberão em quem se deve ou não votar.

Fernando Zucatelli

São Caetano

Bicicletas

Solicito ao nosso prefeito Paulo Serra atenção quanto ao uso de bicicletas nas calçadas no Centro da cidade, o que pode provocar acidentes às pessoas que circulam pela região, e também nos parques, como no Celso Daniel. Dia 13 quase fui atropelado por ciclista na Rua Coronel Oliveira Lima. Garoto de bicicleta, a toda velocidade, quase me pegou, causando-me transtornos. Acho que a Guarda Civil Municipal poderia ajudar, ou uma medida tomada pela Câmara para regulalizar esse problema nas ruas do município. Quero apenas ajudar com essa sugestão, para o bem de todos.

Maurício Goduto

Santo André

Estacionamento

Deveria haver mais fiscalização em São Bernardo, tendo em vista que posto de gasolina desativado na esquina da Rua Afonsina com a Avenida Senador Vergueiro agora funciona estacionamento de maneira precária, com carros parados entre bombas de combustíveis. E nem se sabe como está a situação dos tanques ou se tem combustível. Isso sem contar que está a menos de 100 metros de escola municipal infantil, e perto da Subprefeitura do Rudge Ramos, e até agora nada de fiscalização quanto à situação do estabelecimento. E no estacionamento do Poliesportivo na Avenida Kennedy, nos fins de semana, e nas quintas e sextas à noite, flanelinhas, com jaqueta verde, cobram estacionamento dos usuários do poliesportivo e parque, sendo que é municipal. E até a cadeira de praia fica no meio do estacionamento, como se fossem donos do pedaço. E sempre com presença de menores. Deveria haver, também, presença do conselho tutelar para evitar esses fatos. O mais correto seria gradear o estacionamento ou cobrar Zona Azul para coibir os espertinhos.

Maria de Lourdes Barbosa Santos

São Bernardo

As cartas para esta seção devem ser encaminhadas pelos Correios (Rua Catequese, 562, bairro Jardim, Santo André, CEP 09090-900) ou por e-mail (palavradoleitor@dgabc.com.br). Necessário que sejam indicados nome e endereço completos e telefone para contato. Não serão publicadas ofensas pessoais. Os assuntos devem versar sobre temas abordados pelo jornal. O Diário se reserva o direito de publicar somente trechos dos textos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;