Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 25 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Aposentado morre depois de incêndio em São Caetano

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Henrique Adamczuk, 71, estava em casa, no Centro, quando fogo tomou conta do imóvel


Yara Ferraz
do Diário do Grande ABC

20/05/2019 | 08:14


O encanador industrial aposentado Henrique Adamczuk, 71 anos, morreu vítima de incêndio na tarde de ontem, em São Caetano. A casa do idoso, localizada no Centro, pegou fogo, em circunstâncias a serem esclarecidas – mas há suspeita de que as chamas tenham sido causadas pelo cigarro.

A irmã e o cunhado da vítima, que residem no mesmo quintal na casa, nos fundos, estavam almoçando quando o incêndio começou, por volta das 14h. Os vizinhos notaram a fumaça saindo da residência e avisaram o casal. “Com ajuda, quebramos a porta para tentar abrir e começamos a chamá-lo. Ele já não respondia. As chamas consumiram tudo muito rápido”, contou o pintor Sebastião Ferreira, 67, cunhado.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e conseguiu controlar o fogo. O idoso que estava no quarto, onde as chamas tiveram início, teve o corpo carbonizado.

Apesar da causas do incêndio não ter sido esclarecidas, o que deve acontecer após o resultado da perícia, a suspeita é de que o hábito de Adamczuck de fumar na cama tenha causado a tragédia. “Ele tinha o costume de acender o cigarro e dormir. Eu sempre falei para ele ficar atento a isso e diversas vezes já apaguei a bituca”, afirmou Ferreira, que garantiu que não houve explosão do gás de cozinha no local.

A irmã da vítima, que ficou abalada e precisou ser socorrida, fez um apelo. “Foram a bebida e o cigarro que levaram o meu único irmão. Peço que os jovens tenham consciência do risco de usar essas duas coisas, porque traz muito sofrimento às famílias”, disse Ana Maria Adamczuk, 65.

O idoso não era casado e não deixa filhos. O caso foi registrado na delegacia sede.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Aposentado morre depois de incêndio em São Caetano

Henrique Adamczuk, 71, estava em casa, no Centro, quando fogo tomou conta do imóvel

Yara Ferraz
do Diário do Grande ABC

20/05/2019 | 08:14


O encanador industrial aposentado Henrique Adamczuk, 71 anos, morreu vítima de incêndio na tarde de ontem, em São Caetano. A casa do idoso, localizada no Centro, pegou fogo, em circunstâncias a serem esclarecidas – mas há suspeita de que as chamas tenham sido causadas pelo cigarro.

A irmã e o cunhado da vítima, que residem no mesmo quintal na casa, nos fundos, estavam almoçando quando o incêndio começou, por volta das 14h. Os vizinhos notaram a fumaça saindo da residência e avisaram o casal. “Com ajuda, quebramos a porta para tentar abrir e começamos a chamá-lo. Ele já não respondia. As chamas consumiram tudo muito rápido”, contou o pintor Sebastião Ferreira, 67, cunhado.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e conseguiu controlar o fogo. O idoso que estava no quarto, onde as chamas tiveram início, teve o corpo carbonizado.

Apesar da causas do incêndio não ter sido esclarecidas, o que deve acontecer após o resultado da perícia, a suspeita é de que o hábito de Adamczuck de fumar na cama tenha causado a tragédia. “Ele tinha o costume de acender o cigarro e dormir. Eu sempre falei para ele ficar atento a isso e diversas vezes já apaguei a bituca”, afirmou Ferreira, que garantiu que não houve explosão do gás de cozinha no local.

A irmã da vítima, que ficou abalada e precisou ser socorrida, fez um apelo. “Foram a bebida e o cigarro que levaram o meu único irmão. Peço que os jovens tenham consciência do risco de usar essas duas coisas, porque traz muito sofrimento às famílias”, disse Ana Maria Adamczuk, 65.

O idoso não era casado e não deixa filhos. O caso foi registrado na delegacia sede.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;