Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 26 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Após reveses, petistas são acolhidos na Assembleia

Montagem/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Ana do Carmo, Luiz Turco e Maurici aparecem em lista com espaço aberto por correligionários


Fabio Martins
do Diário do Grande ABC

19/05/2019 | 07:09


Com reveses políticos em 2018, os ex-deputados estaduais Ana do Carmo (PT), de São Bernardo, e Luiz Turco (PT), de Santo André, além do ex-secretário andreense Mário Maurici de Lima Morais (PT), que também concorreu a uma vaga de parlamentar em São Paulo, foram acolhidos com espaço para atuar na Assembleia Legislativa. Os dois primeiros petistas tiveram derrota nas urnas no pleito – Turco na campanha de reeleição, enquanto Ana tentou cadeira na Câmara Federal –, enquanto Maurici foi eleito, mas teve o registro barrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Cotada a entrar na trincheira na condição de candidata a vereadora no ano que vem em sua cidade-reduto, Ana do Carmo, assim como Maurici, ex-homem-forte do governo de João Avamileno (PT, de 2002 a 2008), estão lotados na primeira secretaria da Assembleia, atualmente nas mãos do deputado Enio Tatto. Os petistas estão nomeados na função de assessor especial parlamentar e de gabinete, respectivamente. O salário-base de assessor parlamentar, cargo exercido por Ana, é de R$ 7.625. Já a remuneração-base de assessor de gabinete está estabelecida na folha em R$ 8.093.

O PT alcançou a primeira secretaria mais uma vez em aliança com o PSDB. Em março, o partido reeditou a parceria histórica, tendo como resultado a mesa diretora encabeçada pelo tucano Cauê Macris. Nos últimos 24 anos, período em que o tucanato comanda o Palácio dos Bandeirantes, a legenda apenas não geriu a Assembleia entre 2005 e 2007, quando o hoje vice-governador Rodrigo Garcia (DEM) derrotou Edson Aparecido (PSDB) – atual secretário de Saúde de São Paulo, no governo do tucano Bruno Covas –, então apoiado pelo petismo.

Enio Tatto registra 72 funcionários na primeira secretaria, de acordo com informações do portal da Assembleia. Entre os servidores, há no rol também os ex-deputados petistas Adriano Diogo, Antônio Mentor e Carlos Neder. Na outra legislatura, o posto era ocupado por Luiz Fernando Teixeira (PT), com domicílio em São Bernardo. Em seu gabinete, Luiz Fernando tem os ex-vereadores Matias Fiúza, Luizinho – ambos de São Bernardo – e Lilian Cabrera, de Diadema, além dos ex-secretários Alfredo Buso (São Bernardo) e Alberto Alves de Souza (Santo André). São 35 contratados.

Deputado com reduto na região e líder do PT na casa, Teonilio Barba nomeou também os ex-vereadores Zé Antônio (Diadema) e Paulo Dias (São Bernardo) no gabinete, além do ex-secretário José Albino. Ele possui 27 nomes de aliados na ativa. Na liderança do petismo, Barba mantém 38 nomeações. Entre elas, o ex-secretário Airton Germano (Diadema) e Luiz Turco, quadro cogitado para encabeçar chapa da sigla à Prefeitura de Santo André em 2020. Turco está lotado no posto de assistente parlamentar 7.

CONTAS REJEITADAS
Ao contrário de Ana e Turco, Maurici, que é ex-prefeito de Franco da Rocha, obteve votação suficiente para conquistar assento – recebeu 74,2 mil votos –, mas o seu registro de candidatura foi indeferido. A impugnação se deu com base na rejeição das contas pelo TCU (Tribunal de Contas da União) relativas a 2010 da Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo), quando presidiu o órgão.

Ana, Turco e Maurici não retornaram aos contatos. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Após reveses, petistas são acolhidos na Assembleia

Ana do Carmo, Luiz Turco e Maurici aparecem em lista com espaço aberto por correligionários

Fabio Martins
do Diário do Grande ABC

19/05/2019 | 07:09


Com reveses políticos em 2018, os ex-deputados estaduais Ana do Carmo (PT), de São Bernardo, e Luiz Turco (PT), de Santo André, além do ex-secretário andreense Mário Maurici de Lima Morais (PT), que também concorreu a uma vaga de parlamentar em São Paulo, foram acolhidos com espaço para atuar na Assembleia Legislativa. Os dois primeiros petistas tiveram derrota nas urnas no pleito – Turco na campanha de reeleição, enquanto Ana tentou cadeira na Câmara Federal –, enquanto Maurici foi eleito, mas teve o registro barrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Cotada a entrar na trincheira na condição de candidata a vereadora no ano que vem em sua cidade-reduto, Ana do Carmo, assim como Maurici, ex-homem-forte do governo de João Avamileno (PT, de 2002 a 2008), estão lotados na primeira secretaria da Assembleia, atualmente nas mãos do deputado Enio Tatto. Os petistas estão nomeados na função de assessor especial parlamentar e de gabinete, respectivamente. O salário-base de assessor parlamentar, cargo exercido por Ana, é de R$ 7.625. Já a remuneração-base de assessor de gabinete está estabelecida na folha em R$ 8.093.

O PT alcançou a primeira secretaria mais uma vez em aliança com o PSDB. Em março, o partido reeditou a parceria histórica, tendo como resultado a mesa diretora encabeçada pelo tucano Cauê Macris. Nos últimos 24 anos, período em que o tucanato comanda o Palácio dos Bandeirantes, a legenda apenas não geriu a Assembleia entre 2005 e 2007, quando o hoje vice-governador Rodrigo Garcia (DEM) derrotou Edson Aparecido (PSDB) – atual secretário de Saúde de São Paulo, no governo do tucano Bruno Covas –, então apoiado pelo petismo.

Enio Tatto registra 72 funcionários na primeira secretaria, de acordo com informações do portal da Assembleia. Entre os servidores, há no rol também os ex-deputados petistas Adriano Diogo, Antônio Mentor e Carlos Neder. Na outra legislatura, o posto era ocupado por Luiz Fernando Teixeira (PT), com domicílio em São Bernardo. Em seu gabinete, Luiz Fernando tem os ex-vereadores Matias Fiúza, Luizinho – ambos de São Bernardo – e Lilian Cabrera, de Diadema, além dos ex-secretários Alfredo Buso (São Bernardo) e Alberto Alves de Souza (Santo André). São 35 contratados.

Deputado com reduto na região e líder do PT na casa, Teonilio Barba nomeou também os ex-vereadores Zé Antônio (Diadema) e Paulo Dias (São Bernardo) no gabinete, além do ex-secretário José Albino. Ele possui 27 nomes de aliados na ativa. Na liderança do petismo, Barba mantém 38 nomeações. Entre elas, o ex-secretário Airton Germano (Diadema) e Luiz Turco, quadro cogitado para encabeçar chapa da sigla à Prefeitura de Santo André em 2020. Turco está lotado no posto de assistente parlamentar 7.

CONTAS REJEITADAS
Ao contrário de Ana e Turco, Maurici, que é ex-prefeito de Franco da Rocha, obteve votação suficiente para conquistar assento – recebeu 74,2 mil votos –, mas o seu registro de candidatura foi indeferido. A impugnação se deu com base na rejeição das contas pelo TCU (Tribunal de Contas da União) relativas a 2010 da Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo), quando presidiu o órgão.

Ana, Turco e Maurici não retornaram aos contatos. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;