Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 16 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Turismo

turismo@dgabc.com.br | 4435-8367

Para não pensar em nada

Soraia Abreu Pedrozo/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Gonçalves é destino ideal para descansar, comer bem e entrar em contato com a natureza


Mauricio Silva
Do Diário do Grande ABC

16/05/2019 | 07:29


Qual é a pessoa que não deseja tirar férias – ou apenas dar um tempo da correria do dia a dia por um fim de semana ou feriado – em um lugar tranquilo, com muito verde e acordar pela manhã com o barulho dos pássaros? Para fazer isso, você não precisa ir longe, basta pegar o seu carro e dirigir por cerca de três horas e meia – 197 quilômetros separam o Grande ABC de Gonçalves, em Minas Gerais.

A pequena cidade é dona de grandes riquezas, como lindas cachoeiras, montanhas verdinhas, excelente gastronomia, belas pousadas e chalés. Gonçalves é, sem dúvida, um dos pontos turísticos mais interessantes, charmosos e tranquilos da Serra da Mantiqueira.

O município é um dos 19 que compõem o Circuito Turístico Serras Verdes do Sul de Minas, existente desde 2003, e que respondem atualmente por 2,5% da receita do turismo do Estado mineiro – a meta, segundo a presidente do circuito, Rosely Moraes, é dobrar a participação neste ano.

Há dois detalhes curiosos relativos à cidade: o primeiro é que na área urbana moram apenas 1.000 pessoas e, o restante, nos arredores, ou seja, na zona rural, totalizando 4.000. O segundo, é que é muito comum os sítios terem os sobrenomes das famílias, como Simão e Gonçalves. É gostoso se atentar a isso enquanto se explora a roça e segue rumo às trilhas que guardam as cachoeiras.

O CENTRO - No pacato centrinho, se tem a impressão de que o tempo não passa. A bela igreja Nossa Senhora das Dores impera no local, com sua extensa escadaria e sua torre retangular. Nas ruas, é comum ver pessoas andando a cavalo. Quem quiser ‘bater perna’ pelo local e conhecer o comércio, é bom eleger o período da manhã para isso, pois tudo lá fecha cedo, principalmente aos fins de semana. Aos sábados, as lojas só ficam abertas até umas 15h. Aos domingos, praticamente tudo é fechado, restando apenas os restaurantes. Há também galerias de arte, as quais vale a pena consultar os horários de funcionamento para garantir a visita.

JOVEM CIDADE - Em 1878, Policarpo Junior doou seis alqueires de terra da fazenda Rio Manso, nas divisas entre Minas Gerais e São Paulo, para a construção de uma capela em homenagem a Nossa Senhora das Dores, para pagar uma promessa.

Residiam no local três colonos cujo sobrenome era Gonçalves, que o legaram ao povoado que foi se formando ao redor da capela. Em 1909, os moradores já contavam com alguns estabelecimentos comerciais, como agência dos Correios e cartório civil. Foi aí que os habitantes passaram a lutar pela emancipação do território, exigindo o desligamento de Paraisópolis.

Mas foi apenas em 30 de dezembro de 1962 que foi concedida a autonomia de Gonçalves. Em 1º de março de 1963, a cidade foi oficializada. O primeiro prefeito eleito foi Francisco Tertuliano Ribeiro.

O jornalista viajou a convite da Pousada Serra Vista, com apoio da Mercedes-Benz e da Travel for Life


 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Para não pensar em nada

Gonçalves é destino ideal para descansar, comer bem e entrar em contato com a natureza

Mauricio Silva
Do Diário do Grande ABC

16/05/2019 | 07:29


Qual é a pessoa que não deseja tirar férias – ou apenas dar um tempo da correria do dia a dia por um fim de semana ou feriado – em um lugar tranquilo, com muito verde e acordar pela manhã com o barulho dos pássaros? Para fazer isso, você não precisa ir longe, basta pegar o seu carro e dirigir por cerca de três horas e meia – 197 quilômetros separam o Grande ABC de Gonçalves, em Minas Gerais.

A pequena cidade é dona de grandes riquezas, como lindas cachoeiras, montanhas verdinhas, excelente gastronomia, belas pousadas e chalés. Gonçalves é, sem dúvida, um dos pontos turísticos mais interessantes, charmosos e tranquilos da Serra da Mantiqueira.

O município é um dos 19 que compõem o Circuito Turístico Serras Verdes do Sul de Minas, existente desde 2003, e que respondem atualmente por 2,5% da receita do turismo do Estado mineiro – a meta, segundo a presidente do circuito, Rosely Moraes, é dobrar a participação neste ano.

Há dois detalhes curiosos relativos à cidade: o primeiro é que na área urbana moram apenas 1.000 pessoas e, o restante, nos arredores, ou seja, na zona rural, totalizando 4.000. O segundo, é que é muito comum os sítios terem os sobrenomes das famílias, como Simão e Gonçalves. É gostoso se atentar a isso enquanto se explora a roça e segue rumo às trilhas que guardam as cachoeiras.

O CENTRO - No pacato centrinho, se tem a impressão de que o tempo não passa. A bela igreja Nossa Senhora das Dores impera no local, com sua extensa escadaria e sua torre retangular. Nas ruas, é comum ver pessoas andando a cavalo. Quem quiser ‘bater perna’ pelo local e conhecer o comércio, é bom eleger o período da manhã para isso, pois tudo lá fecha cedo, principalmente aos fins de semana. Aos sábados, as lojas só ficam abertas até umas 15h. Aos domingos, praticamente tudo é fechado, restando apenas os restaurantes. Há também galerias de arte, as quais vale a pena consultar os horários de funcionamento para garantir a visita.

JOVEM CIDADE - Em 1878, Policarpo Junior doou seis alqueires de terra da fazenda Rio Manso, nas divisas entre Minas Gerais e São Paulo, para a construção de uma capela em homenagem a Nossa Senhora das Dores, para pagar uma promessa.

Residiam no local três colonos cujo sobrenome era Gonçalves, que o legaram ao povoado que foi se formando ao redor da capela. Em 1909, os moradores já contavam com alguns estabelecimentos comerciais, como agência dos Correios e cartório civil. Foi aí que os habitantes passaram a lutar pela emancipação do território, exigindo o desligamento de Paraisópolis.

Mas foi apenas em 30 de dezembro de 1962 que foi concedida a autonomia de Gonçalves. Em 1º de março de 1963, a cidade foi oficializada. O primeiro prefeito eleito foi Francisco Tertuliano Ribeiro.

O jornalista viajou a convite da Pousada Serra Vista, com apoio da Mercedes-Benz e da Travel for Life


 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;