Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 23 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Sinal Amarelo


Márcio Bernardes

06/05/2019 | 17:18


(São Paulo) – A Conmebol fez uma advertência para as confederações do continente: ninguém pode admitir e muito menos ressaltar que serão enviadas equipes do segundo escalão para a Copa América. A preocupação da entidade é não desvalorizar a competição.

A seleção brasileira, principalmente por defender o país anfitrião, vai jogar com seu time completo. Mas já se comentou na Europa que Messi estaria pensando em não jogar pela Argentina. Algumas equipes importantes da Europa teriam sinalizado desconforto para ceder jogadores para as seleções.

A batata pode assar. Em campo os organizadores e a CBF estão conversando com os mais rebeldes para minimizar os problemas. Porque a Copa América, se esvaziada, poderá se tornar uma competição sem qualquer importância.

Museu Pelé

A Prefeitura de Santos, que administra o Museu Pelé, deixou vazar que está tendo prejuízos mensais para a manutenção do local. Fala-se extraoficialmente em R$ 80 mil mensais, quase R$ 1 milhão por ano.

Recentemente comentamos aqui na coluna que o espaço dedicado à Pelé é muito legal. Fica no centro velho de Santos, no bairro portuário do Valongo. Claro que se comparado a outros museus semelhantes instalados nos Estados Unidos e Europa, há necessidade de algumas modernizações tecnológicas. Outra coisa que precisa ser incrementado é um trabalho de marketing e divulgação internacional. Quem visita São Paulo com tempo, pode estender a viagem até Santos e conhecer o Museu Pelé.

Fala-se também que a Prefeitura quer passar a administração do local para o Santos FC. Sugiro que o jornalista e escritor Odir Cunha, ligado ao presidente José Carlos Peres, assuma essa negociação.

A Prefeitura pode também privatizar a gestão do Museu Pelé. Obedecendo a lei poderia fazer uma licitação. Aliás, há empresas especializadas nesse segmento no mundo inteiro.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sinal Amarelo

Márcio Bernardes

06/05/2019 | 17:18


(São Paulo) – A Conmebol fez uma advertência para as confederações do continente: ninguém pode admitir e muito menos ressaltar que serão enviadas equipes do segundo escalão para a Copa América. A preocupação da entidade é não desvalorizar a competição.

A seleção brasileira, principalmente por defender o país anfitrião, vai jogar com seu time completo. Mas já se comentou na Europa que Messi estaria pensando em não jogar pela Argentina. Algumas equipes importantes da Europa teriam sinalizado desconforto para ceder jogadores para as seleções.

A batata pode assar. Em campo os organizadores e a CBF estão conversando com os mais rebeldes para minimizar os problemas. Porque a Copa América, se esvaziada, poderá se tornar uma competição sem qualquer importância.

Museu Pelé

A Prefeitura de Santos, que administra o Museu Pelé, deixou vazar que está tendo prejuízos mensais para a manutenção do local. Fala-se extraoficialmente em R$ 80 mil mensais, quase R$ 1 milhão por ano.

Recentemente comentamos aqui na coluna que o espaço dedicado à Pelé é muito legal. Fica no centro velho de Santos, no bairro portuário do Valongo. Claro que se comparado a outros museus semelhantes instalados nos Estados Unidos e Europa, há necessidade de algumas modernizações tecnológicas. Outra coisa que precisa ser incrementado é um trabalho de marketing e divulgação internacional. Quem visita São Paulo com tempo, pode estender a viagem até Santos e conhecer o Museu Pelé.

Fala-se também que a Prefeitura quer passar a administração do local para o Santos FC. Sugiro que o jornalista e escritor Odir Cunha, ligado ao presidente José Carlos Peres, assuma essa negociação.

A Prefeitura pode também privatizar a gestão do Museu Pelé. Obedecendo a lei poderia fazer uma licitação. Aliás, há empresas especializadas nesse segmento no mundo inteiro.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;