Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 17 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Alabama aprova lei contra aborto até para casos de estupro e incesto



15/05/2019 | 14:57


O senado do Alabama aprovou na terça-feira, 14, a proibição de quase todos os abortos no Estado. Se o governador republicano assinar a lei, o Estado terá a lei de aborto mais restritiva em todos os EUA.

A nova legislação tornará a interrupção da gravidez, em qualquer fase, um crime, com quase nenhuma exceção. O texto foi aprovado por larga margem no Senado, controlado pelo partido Republicano. A única exceção é quando o aborto é realizado para proteger a vida da mãe.

A medida agora aguarda sanção da governadora republicana, Kay Ivey, que sempre foi crítica do aborto, mas ainda não se pronunciou especificamente sobre esse projeto.

O projeto de lei tornará o término de uma gravidez uma ofensa punível com até 99 anos de prisão ou prisão perpétua para quem o fizer.

Estupro e incesto

O senadores rejeitaram por 21 a 11 uma tentativa da oposição de adicionar uma emenda para o interrupção da gravidez nos casos de estupro ou incesto. A única exceção aprovada foi em caso de risco para a vida da mãe.

Se a lei for sancionada pelo governador, ela entrará em vigor em seis meses. Os críticos já avisaram que vão recorrer aos tribunais. Randall Marshall, diretor executivo da American Civil Liberties Union (ACLU), do Alabama, disse que está redigindo uma queixa.

Apenas neste ano, os Estados da Geórgia, Kentucky, Mississippi e Ohio aprovaram leis que proíbem o aborto a partir do momento da detecção de batimentos cardíacos, o que já pode acontecer a partir da sexta semana de gestação.

(Com Blake Paterson)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Alabama aprova lei contra aborto até para casos de estupro e incesto


15/05/2019 | 14:57


O senado do Alabama aprovou na terça-feira, 14, a proibição de quase todos os abortos no Estado. Se o governador republicano assinar a lei, o Estado terá a lei de aborto mais restritiva em todos os EUA.

A nova legislação tornará a interrupção da gravidez, em qualquer fase, um crime, com quase nenhuma exceção. O texto foi aprovado por larga margem no Senado, controlado pelo partido Republicano. A única exceção é quando o aborto é realizado para proteger a vida da mãe.

A medida agora aguarda sanção da governadora republicana, Kay Ivey, que sempre foi crítica do aborto, mas ainda não se pronunciou especificamente sobre esse projeto.

O projeto de lei tornará o término de uma gravidez uma ofensa punível com até 99 anos de prisão ou prisão perpétua para quem o fizer.

Estupro e incesto

O senadores rejeitaram por 21 a 11 uma tentativa da oposição de adicionar uma emenda para o interrupção da gravidez nos casos de estupro ou incesto. A única exceção aprovada foi em caso de risco para a vida da mãe.

Se a lei for sancionada pelo governador, ela entrará em vigor em seis meses. Os críticos já avisaram que vão recorrer aos tribunais. Randall Marshall, diretor executivo da American Civil Liberties Union (ACLU), do Alabama, disse que está redigindo uma queixa.

Apenas neste ano, os Estados da Geórgia, Kentucky, Mississippi e Ohio aprovaram leis que proíbem o aborto a partir do momento da detecção de batimentos cardíacos, o que já pode acontecer a partir da sexta semana de gestação.

(Com Blake Paterson)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;