Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 24 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Onyx reitera que reforma da Previdência será aprovada ainda no 1º semestre

Valter Campanato/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Ele disse ainda que é importante para o Brasil entrar no segundo semestre com essa etapa superada



15/05/2019 | 14:03


Apesar das dificuldades que o governo enfrenta na Câmara, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, permanece otimista de que a reforma da Previdência será aprovada ainda no primeiro semestre deste ano. Para ele, a aprovação mostraria para a sociedade que a atual gestão é "firme" e "merece confiança".

"O esforço que estamos fazendo para aprovar a Nova Previdência agora, no primeiro semestre, tem uma lógica. É a lógica de que é as pessoas vão dizer ''''pô, o governo é firme, o governo merece a nossa confiança, vai dar tudo certo''''", defendeu o ministro em coletiva de imprensa.

Ele afirmou, ainda, que a reforma será aprovada até julho e que "é importante para o Brasil entrar no segundo semestre com essa etapa superada" devido ao número de desempregados no País, que chegam a cerca de 13 milhões.

A taxa de desemprego no Brasil subiu para 12,7% no primeiro trimestre encerrado em março, de acordo com dados do IBGE.

Segundo Onyx, a tarefa do governo nos primeiros meses é buscar medidas de simplificação e desburocratização, mas falta previsibilidade para o mercado, que só viria com a aprovação da reforma. "Para isso (previsibilidade), o equilíbrio fiscal que se obtém com a reforma garante ao investidor que o dinheiro dele está seguro", continuou.

Onyx negou que a discussão entre parlamentares sobre um eventual recuo do presidente Jair Bolsonaro nos cortes de verbas no Ministério da Educação possa atrapalhar a tramitação da reforma no Congresso. "Não. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa", disse.

Ele defendeu que "é preciso ajustar tudo aquilo que é principal e acessório para a economia, para que empregos apareçam". "Agora a gente precisa de paciência e foco."



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Onyx reitera que reforma da Previdência será aprovada ainda no 1º semestre

Ele disse ainda que é importante para o Brasil entrar no segundo semestre com essa etapa superada


15/05/2019 | 14:03


Apesar das dificuldades que o governo enfrenta na Câmara, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, permanece otimista de que a reforma da Previdência será aprovada ainda no primeiro semestre deste ano. Para ele, a aprovação mostraria para a sociedade que a atual gestão é "firme" e "merece confiança".

"O esforço que estamos fazendo para aprovar a Nova Previdência agora, no primeiro semestre, tem uma lógica. É a lógica de que é as pessoas vão dizer ''''pô, o governo é firme, o governo merece a nossa confiança, vai dar tudo certo''''", defendeu o ministro em coletiva de imprensa.

Ele afirmou, ainda, que a reforma será aprovada até julho e que "é importante para o Brasil entrar no segundo semestre com essa etapa superada" devido ao número de desempregados no País, que chegam a cerca de 13 milhões.

A taxa de desemprego no Brasil subiu para 12,7% no primeiro trimestre encerrado em março, de acordo com dados do IBGE.

Segundo Onyx, a tarefa do governo nos primeiros meses é buscar medidas de simplificação e desburocratização, mas falta previsibilidade para o mercado, que só viria com a aprovação da reforma. "Para isso (previsibilidade), o equilíbrio fiscal que se obtém com a reforma garante ao investidor que o dinheiro dele está seguro", continuou.

Onyx negou que a discussão entre parlamentares sobre um eventual recuo do presidente Jair Bolsonaro nos cortes de verbas no Ministério da Educação possa atrapalhar a tramitação da reforma no Congresso. "Não. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa", disse.

Ele defendeu que "é preciso ajustar tudo aquilo que é principal e acessório para a economia, para que empregos apareçam". "Agora a gente precisa de paciência e foco."

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;