Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 23 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

'Donos da TV', Corinthians e Flamengo vivem situações financeiras opostas

Claudinei Plaza/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


14/05/2019 | 08:31


O Corinthians recebe nesta quarta-feira o Flamengo na arena em Itaquera, no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. A partida colocará frente a frente os times que conseguiram os melhores contratos de TV, ambos com a Rede Globo, e que motivaram a revolta do Palmeiras - o clube alviverde ainda não fechou contrato para a TV aberta e pay-per-view e na fechada tem vínculo com a Turner.

O Corinthians espera faturar pelo menos R$ 240 milhões com a Globo neste ano, de acordo com seu balanço financeiro. O Flamengo não divulgou valores, mas os números são semelhantes. O dinheiro de um e outro pode ser maior ou menor porque há variáveis no contrato, como porcentagem referente ao número de jogos exibidos e mais um valor pago de acordo com o desempenho.

Apesar de estarem em padrão de igualdade, as realidades financeiras das equipes são quase opostas. "O Flamengo vem de reestruturação financeira muito grande nos últimos cinco anos: reduziu despesas e fez caixa. Por isso, nos últimos dois, está com patamar financeiro mais interessante para contratar e pagar bons salários. O clube não depende só da TV, é o segundo que mais arrecada com patrocínios, tem a bilheteria... são fontes de receitas diversificadas", informou Pedro Daniel, líder de esportes da EY, empresa de consultoria.

O clube paulista vive momento mais complicado por causa da dívida de seu estádio, que hoje é de R$ 1,1 bilhão - mensalmente, o Corinthians tem de desembolsar R$ 6 milhões para pagar o financiamento junto ao BNDES e isso compromete quase toda a bilheteria. "O clube fica muito refém da TV. E fica com dificuldade em termos competitivos para poder contratar e pagar seus principais atletas", analisou Daniel.

Os números divulgados pelo site Transfermaket exemplificam um pouco o que o analista comentou sobre os clubes. O Corinthians investiu 6,59 milhões de euros (cerca de R$ 29,5 milhões) em contratações nos últimos 12 meses, enquanto o Flamengo gastou 51 milhões de euros (R$ 228 milhões).

Apesar de ter trazido 12 jogadores para a atual temporada, além do técnico Fábio Carille, o presidente Andrés Sanchez estipulou um teto salarial e reduziu a folha 4% em relação a 2018. Hoje paga mensalmente algo em torno de R$ 11 milhões.

O Flamengo investiu alto nas contratações e só de salário para o atacante Gabriel gasta cerca de R$ 1,25 milhão - o jogador está emprestado pela Inter de Milão. A folha salarial do elenco está em torno de R$ 15 milhões.

"Em curto prazo o Corinthians não tem como competir com o Flamengo. Para conseguir isso, precisa antes de qualquer coisa, de alguma maneira, reduzir despesa e com o tempo fazer caixa para poder contratar atletas de peso. O Flamengo fez a lição de casa recentemente e colhe os frutos", encerrou Daniel.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

'Donos da TV', Corinthians e Flamengo vivem situações financeiras opostas


14/05/2019 | 08:31


O Corinthians recebe nesta quarta-feira o Flamengo na arena em Itaquera, no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. A partida colocará frente a frente os times que conseguiram os melhores contratos de TV, ambos com a Rede Globo, e que motivaram a revolta do Palmeiras - o clube alviverde ainda não fechou contrato para a TV aberta e pay-per-view e na fechada tem vínculo com a Turner.

O Corinthians espera faturar pelo menos R$ 240 milhões com a Globo neste ano, de acordo com seu balanço financeiro. O Flamengo não divulgou valores, mas os números são semelhantes. O dinheiro de um e outro pode ser maior ou menor porque há variáveis no contrato, como porcentagem referente ao número de jogos exibidos e mais um valor pago de acordo com o desempenho.

Apesar de estarem em padrão de igualdade, as realidades financeiras das equipes são quase opostas. "O Flamengo vem de reestruturação financeira muito grande nos últimos cinco anos: reduziu despesas e fez caixa. Por isso, nos últimos dois, está com patamar financeiro mais interessante para contratar e pagar bons salários. O clube não depende só da TV, é o segundo que mais arrecada com patrocínios, tem a bilheteria... são fontes de receitas diversificadas", informou Pedro Daniel, líder de esportes da EY, empresa de consultoria.

O clube paulista vive momento mais complicado por causa da dívida de seu estádio, que hoje é de R$ 1,1 bilhão - mensalmente, o Corinthians tem de desembolsar R$ 6 milhões para pagar o financiamento junto ao BNDES e isso compromete quase toda a bilheteria. "O clube fica muito refém da TV. E fica com dificuldade em termos competitivos para poder contratar e pagar seus principais atletas", analisou Daniel.

Os números divulgados pelo site Transfermaket exemplificam um pouco o que o analista comentou sobre os clubes. O Corinthians investiu 6,59 milhões de euros (cerca de R$ 29,5 milhões) em contratações nos últimos 12 meses, enquanto o Flamengo gastou 51 milhões de euros (R$ 228 milhões).

Apesar de ter trazido 12 jogadores para a atual temporada, além do técnico Fábio Carille, o presidente Andrés Sanchez estipulou um teto salarial e reduziu a folha 4% em relação a 2018. Hoje paga mensalmente algo em torno de R$ 11 milhões.

O Flamengo investiu alto nas contratações e só de salário para o atacante Gabriel gasta cerca de R$ 1,25 milhão - o jogador está emprestado pela Inter de Milão. A folha salarial do elenco está em torno de R$ 15 milhões.

"Em curto prazo o Corinthians não tem como competir com o Flamengo. Para conseguir isso, precisa antes de qualquer coisa, de alguma maneira, reduzir despesa e com o tempo fazer caixa para poder contratar atletas de peso. O Flamengo fez a lição de casa recentemente e colhe os frutos", encerrou Daniel.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;