Fechar
Publicidade

Domingo, 16 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

O que queremos é água boa e na torneira


Do Diário do Grande ABC

12/05/2019 | 11:15


Na última terça-feira, encaminhamos à Câmara Municipal um projeto de lei que autoriza a Prefeitura de Santo André celebrar convênio com o governo do Estado e a Sabesp. Bastou isso para que alguns gritassem: ‘Estão entregando o Semasa!’ E esta falsa informação atende a apenas dois grupos de interesse.

O primeiro, de origem ideológica da esquerda socialista, não admite que o poder público diminua o seu tamanho, ainda que determinado serviço não seja prestado adequadamente. Para este grupo político, a privatização das telecomunicações e uma futura venda dos Correios, por exemplo, são considerados crime de lesa-pátria. Ainda que eu respeite as pessoas que sustentam tal ideologia, acredito que ela já está totalmente ultrapassada.

Já o segundo grupo, menos republicano, tem olhar exclusivamente oportunista e eleitoreiro e, definitivamente, não quer que a cidade resolva dívida histórica e o problema crônico de falta de água e da falta de investimentos na rede de abastecimento. Para estes, o que importa é só a próxima eleição. E a interseção destes dois grupos, infelizmente, resulta em lamentáveis fake news.

Mas, com a transparência de sempre e a coragem para continuar ‘arrumando a casa’, vamos explicar do que se trata essa medida para quem realmente interessa: a nossa gente de Santo André. Infelizmente a nossa cidade não tem condições financeiras de investir na sua rede de distribuição de água. Temos hoje uma dívida bilionária com a Sabesp, que foi se acumulando irresponsavelmente por gestões anteriores. Só pela Justiça, já foi reconhecida uma dívida de R$ 1,4 bilhão e outros R$ 2 bilhões terão, em breve, o mesmo destino.

E a ausência de recursos, somada a essa monstruosa dívida, resulta na escassez e na baixa qualidade da água que consumimos. Assim, ao enviarmos este projeto de lei, demos o primeiro e importante passo para resolvermos este problema de décadas, pois o que foi solicitado à Câmara é apenas uma autorização para que a cidade compartilhe o serviço de saneamento com a Sabesp. 

Após a sua aprovação, as propostas e os acordos concretamente serão debatidos com toda a cidade, por meio de consultas e audiências públicas. Deste modo, para o desespero daqueles que pregam o ‘quanto pior, melhor’, temos a seguinte notícia: o Semasa não vai acabar!

Afinal, o Semasa não é só água e esgoto. A autarquia, através de uma grande equipe de comprometidos servidores, é também responsável por coleta de lixo, licenciamento ambiental, Moeda Verde, drenagem, varrição, políticas ambientais, entre outros serviços com alto padrão de qualidade, que serão mantidos e continuarão sendo de responsabilidade do município. Assim, também já esclarecemos: não haverá nenhuma demissão. 

O nosso compromisso é com o futuro da cidade. É água na torneira de todas as famílias, de forma definitiva, e com a qualidade que a nossa gente merece. É o fim de uma dívida bilionária e que propiciará a recuperação na capacidade de investimentos na cidade e na modernização da nossa rede de distribuição de água, com 100% de esgoto tratado.

E, para isso, queremos que o Semasa continue com a sua verdadeira missão: a melhoria da qualidade de vida dos andreenses.

Paulo Serra é prefeito de Santo André.

Mamães – 1

Parabéns a todas as mamães, não apenas por este dia especial, mas por todos os outros passados e também os vindouros. São merecedoras de todo carinho, de admiração, reverências e tudo de melhor neste mundo. Em especial, parabéns à minha mamãezinha, que mora no céu, mas que jamais esteve longe de mim, dos meus pensamentos, que superam qualquer distância. Santo Deus, continue cuidando de minha mamãe, que está em sua companhia, tenho certeza.

Ivone Angela

Santo André

Mamães – 2

Quantas vezes escutei frases do tipo: ‘Quando chegar em casa a gente conversa’, ‘se correr vai ser pior’, ‘eu não vou falar de novo’, ‘se eu for aí e achar vou esfregar na sua cara!’, ‘não fez mais que sua obrigação’, ‘você não é todo mundo’, ‘é da casa para a escola e da escola para casa’, ‘quando eu morrer vocês vão dar valor’. Essa última é a que ficou mais gravada em meu coração. Mãe, seja onde for que você esteja, continuo te amando.

Vanderlei A. Retondo

Santo André

Inúteis

Pelo menos três vezes por semana vejo dois agentes de trânsito no início da Perimetral, sentido bairro, na bifurcação em frente à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Central, em Santo André. Nada de anormal se estivessem trabalhando. Mas não é o que parece. Passo pelo local todos os dias e já presenciei o trânsito travado e os dois absolutamente inertes. Ao serem questionados do porquê do tráfego, um deles fez o gesto com as mãos de que nada sabia. Parecem alheios aos acontecimentos, como se nada tivessem a ver com o carregado tráfego. Acho que poderiam ser pelo menos um pouco úteis. Se estiverem em horário de descanso não é o lugar ideal. 

Suzana De Marchi

São Bernardo

Cortes

Em abril, Bolsonaro ordenou ao seu ministro da Educação para que estudasse reduzir investimento em faculdades de filosofia e sociologia, porque, segundo ele, ‘objetivo é focar em áreas que gerem retorno imediato ao contribuinte’. Disse que basta aos jovens ‘leitura, escrita e a fazer conta e, depois, ofício que gere renda à pessoa e bem-estar à família’. Ou seja, a vida acadêmica, para ele, se resume a estudar o básico e ir trabalhar para ajudar a família. Dias depois, mais de 1.000 acadêmicos de universidades de todo o mundo se manifestaram contra essa ideia absurda, de um presidente sem nenhuma noção do cargo que ocupa. Mas, ao mesmo tempo, como esperar atitudes inteligentes de um sujeito desprovido dessa capacidade? E ainda tem quem o chame de ‘mito’.

Nice do Carmo Veras

Mauá

Previdência

Notícias dão conta de que o governo contratou os comunicadores Ratinho e Luciana Gimenez para defender a proposta da reforma da Previdência. Ótimo! Que mais comunicadores possam dar esse recado. Vamos ver se através de explicações objetivas e claras o cidadão vai se convencer de que o benefício dessa reforma trará um bem às pessoas e ao País. Somente com a reforma teremos investimentos e mais empregos. Não podemos esperar que deputados e senadores queiram o bem do Brasil. Eles estão empregados e são sustentados por nós. A grande maioria aposta no caos, pois quanto mais o governo fica endividado, mais fica refém do Legislativo.

Izabel Avallone

Capital

As cartas para esta seção devem ser encaminhadas pelos Correios (Rua Catequese, 562, bairro Jardim, Santo André, CEP 09090-900) ou por e-mail (palavradoleitor@dgabc.com.br). Necessário que sejam indicados nome e endereço completos e telefone para contato. Não serão publicadas ofensas pessoais. Os assuntos devem versar sobre temas abordados pelo jornal. O Diário se reserva o direito de publicar somente trechos dos textos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

O que queremos é água boa e na torneira

Do Diário do Grande ABC

12/05/2019 | 11:15


Na última terça-feira, encaminhamos à Câmara Municipal um projeto de lei que autoriza a Prefeitura de Santo André celebrar convênio com o governo do Estado e a Sabesp. Bastou isso para que alguns gritassem: ‘Estão entregando o Semasa!’ E esta falsa informação atende a apenas dois grupos de interesse.

O primeiro, de origem ideológica da esquerda socialista, não admite que o poder público diminua o seu tamanho, ainda que determinado serviço não seja prestado adequadamente. Para este grupo político, a privatização das telecomunicações e uma futura venda dos Correios, por exemplo, são considerados crime de lesa-pátria. Ainda que eu respeite as pessoas que sustentam tal ideologia, acredito que ela já está totalmente ultrapassada.

Já o segundo grupo, menos republicano, tem olhar exclusivamente oportunista e eleitoreiro e, definitivamente, não quer que a cidade resolva dívida histórica e o problema crônico de falta de água e da falta de investimentos na rede de abastecimento. Para estes, o que importa é só a próxima eleição. E a interseção destes dois grupos, infelizmente, resulta em lamentáveis fake news.

Mas, com a transparência de sempre e a coragem para continuar ‘arrumando a casa’, vamos explicar do que se trata essa medida para quem realmente interessa: a nossa gente de Santo André. Infelizmente a nossa cidade não tem condições financeiras de investir na sua rede de distribuição de água. Temos hoje uma dívida bilionária com a Sabesp, que foi se acumulando irresponsavelmente por gestões anteriores. Só pela Justiça, já foi reconhecida uma dívida de R$ 1,4 bilhão e outros R$ 2 bilhões terão, em breve, o mesmo destino.

E a ausência de recursos, somada a essa monstruosa dívida, resulta na escassez e na baixa qualidade da água que consumimos. Assim, ao enviarmos este projeto de lei, demos o primeiro e importante passo para resolvermos este problema de décadas, pois o que foi solicitado à Câmara é apenas uma autorização para que a cidade compartilhe o serviço de saneamento com a Sabesp. 

Após a sua aprovação, as propostas e os acordos concretamente serão debatidos com toda a cidade, por meio de consultas e audiências públicas. Deste modo, para o desespero daqueles que pregam o ‘quanto pior, melhor’, temos a seguinte notícia: o Semasa não vai acabar!

Afinal, o Semasa não é só água e esgoto. A autarquia, através de uma grande equipe de comprometidos servidores, é também responsável por coleta de lixo, licenciamento ambiental, Moeda Verde, drenagem, varrição, políticas ambientais, entre outros serviços com alto padrão de qualidade, que serão mantidos e continuarão sendo de responsabilidade do município. Assim, também já esclarecemos: não haverá nenhuma demissão. 

O nosso compromisso é com o futuro da cidade. É água na torneira de todas as famílias, de forma definitiva, e com a qualidade que a nossa gente merece. É o fim de uma dívida bilionária e que propiciará a recuperação na capacidade de investimentos na cidade e na modernização da nossa rede de distribuição de água, com 100% de esgoto tratado.

E, para isso, queremos que o Semasa continue com a sua verdadeira missão: a melhoria da qualidade de vida dos andreenses.

Paulo Serra é prefeito de Santo André.

Mamães – 1

Parabéns a todas as mamães, não apenas por este dia especial, mas por todos os outros passados e também os vindouros. São merecedoras de todo carinho, de admiração, reverências e tudo de melhor neste mundo. Em especial, parabéns à minha mamãezinha, que mora no céu, mas que jamais esteve longe de mim, dos meus pensamentos, que superam qualquer distância. Santo Deus, continue cuidando de minha mamãe, que está em sua companhia, tenho certeza.

Ivone Angela

Santo André

Mamães – 2

Quantas vezes escutei frases do tipo: ‘Quando chegar em casa a gente conversa’, ‘se correr vai ser pior’, ‘eu não vou falar de novo’, ‘se eu for aí e achar vou esfregar na sua cara!’, ‘não fez mais que sua obrigação’, ‘você não é todo mundo’, ‘é da casa para a escola e da escola para casa’, ‘quando eu morrer vocês vão dar valor’. Essa última é a que ficou mais gravada em meu coração. Mãe, seja onde for que você esteja, continuo te amando.

Vanderlei A. Retondo

Santo André

Inúteis

Pelo menos três vezes por semana vejo dois agentes de trânsito no início da Perimetral, sentido bairro, na bifurcação em frente à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Central, em Santo André. Nada de anormal se estivessem trabalhando. Mas não é o que parece. Passo pelo local todos os dias e já presenciei o trânsito travado e os dois absolutamente inertes. Ao serem questionados do porquê do tráfego, um deles fez o gesto com as mãos de que nada sabia. Parecem alheios aos acontecimentos, como se nada tivessem a ver com o carregado tráfego. Acho que poderiam ser pelo menos um pouco úteis. Se estiverem em horário de descanso não é o lugar ideal. 

Suzana De Marchi

São Bernardo

Cortes

Em abril, Bolsonaro ordenou ao seu ministro da Educação para que estudasse reduzir investimento em faculdades de filosofia e sociologia, porque, segundo ele, ‘objetivo é focar em áreas que gerem retorno imediato ao contribuinte’. Disse que basta aos jovens ‘leitura, escrita e a fazer conta e, depois, ofício que gere renda à pessoa e bem-estar à família’. Ou seja, a vida acadêmica, para ele, se resume a estudar o básico e ir trabalhar para ajudar a família. Dias depois, mais de 1.000 acadêmicos de universidades de todo o mundo se manifestaram contra essa ideia absurda, de um presidente sem nenhuma noção do cargo que ocupa. Mas, ao mesmo tempo, como esperar atitudes inteligentes de um sujeito desprovido dessa capacidade? E ainda tem quem o chame de ‘mito’.

Nice do Carmo Veras

Mauá

Previdência

Notícias dão conta de que o governo contratou os comunicadores Ratinho e Luciana Gimenez para defender a proposta da reforma da Previdência. Ótimo! Que mais comunicadores possam dar esse recado. Vamos ver se através de explicações objetivas e claras o cidadão vai se convencer de que o benefício dessa reforma trará um bem às pessoas e ao País. Somente com a reforma teremos investimentos e mais empregos. Não podemos esperar que deputados e senadores queiram o bem do Brasil. Eles estão empregados e são sustentados por nós. A grande maioria aposta no caos, pois quanto mais o governo fica endividado, mais fica refém do Legislativo.

Izabel Avallone

Capital

As cartas para esta seção devem ser encaminhadas pelos Correios (Rua Catequese, 562, bairro Jardim, Santo André, CEP 09090-900) ou por e-mail (palavradoleitor@dgabc.com.br). Necessário que sejam indicados nome e endereço completos e telefone para contato. Não serão publicadas ofensas pessoais. Os assuntos devem versar sobre temas abordados pelo jornal. O Diário se reserva o direito de publicar somente trechos dos textos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;