Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 20 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

diarinho@dgabc.com.br | 4435-8396

Com futuro em perigo

Pixabay Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Pouca quantidade de girafas vivas na atualidade gera alerta nos Estados Unidos e no Brasil


Tauana Marin
Diário do Grande ABC

12/05/2019 | 11:00


As girafas, mamíferos terrestres mais altos do mundo, estão prestes a serem listadas na Lei de Espécies Ameaçadas dos Estados Unidos, após solicitações de entidades ambientais. O departamento do governo norte-americano anunciou que irá revisar petição (documento que solicita algo) de 2017 para listar o animal como extinto.

No Brasil, a girafa já foi sinalizada na lista vermelha (elaborada pela União Internacional para a Conservação da Natureza) em 2016, após queda de 40% de sua população nos últimos 30 anos. O fato é que a espécie já aponta número muito menor desde então.

A extinção de qualquer animal é reflexo das interferências feitas na natureza pelo ser humano por meio do desmatamento e do excesso de poluição, destilada por carros e fábricas, por exemplo. São ações que alteram todo o meio ambiente e os seres vivos nem sempre conseguem sobreviver a essas mudanças. A caça ilegal de bichos também contribui negativamente para que extinção aconteça.

Quem nunca viu uma girafa mais de perto tem oportunidade em visita ao Zoológico de São Paulo (Av. Miguel Estefano, 4.241. Tel.: 5073-0811), casa de algumas delas e que sempre chamam a atenção do público. Originário do continente africano, o animal é herbívoro (se alimenta de vegetais) e vive na natureza por, aproximadamente, 25 anos.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Com futuro em perigo

Pouca quantidade de girafas vivas na atualidade gera alerta nos Estados Unidos e no Brasil

Tauana Marin
Diário do Grande ABC

12/05/2019 | 11:00


As girafas, mamíferos terrestres mais altos do mundo, estão prestes a serem listadas na Lei de Espécies Ameaçadas dos Estados Unidos, após solicitações de entidades ambientais. O departamento do governo norte-americano anunciou que irá revisar petição (documento que solicita algo) de 2017 para listar o animal como extinto.

No Brasil, a girafa já foi sinalizada na lista vermelha (elaborada pela União Internacional para a Conservação da Natureza) em 2016, após queda de 40% de sua população nos últimos 30 anos. O fato é que a espécie já aponta número muito menor desde então.

A extinção de qualquer animal é reflexo das interferências feitas na natureza pelo ser humano por meio do desmatamento e do excesso de poluição, destilada por carros e fábricas, por exemplo. São ações que alteram todo o meio ambiente e os seres vivos nem sempre conseguem sobreviver a essas mudanças. A caça ilegal de bichos também contribui negativamente para que extinção aconteça.

Quem nunca viu uma girafa mais de perto tem oportunidade em visita ao Zoológico de São Paulo (Av. Miguel Estefano, 4.241. Tel.: 5073-0811), casa de algumas delas e que sempre chamam a atenção do público. Originário do continente africano, o animal é herbívoro (se alimenta de vegetais) e vive na natureza por, aproximadamente, 25 anos.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;