Fechar
Publicidade

Sábado, 20 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Paulo Serra apresenta acordo com Sabesp para zerar dívida

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Prefeito protocola projeto de concessão dos serviços de água e esgoto para extinguir passivo de R$ 3,4 bi


Fábio Martins
Do Dgabc.com.br

07/05/2019 | 16:36


O prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), protocolou na tarde desta terça-feira (7) projeto de lei pedindo autorização da Câmara para firmar parceria com a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) com o objetivo de zerar a dívida de R$ 3,4 bilhões que a estatal cobra da cidade pelo pagamento incompleto da tarifa de água comprada no atacado.

O texto prevê serviço compartilhado entre Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André), Sabesp e Arsesp (Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo). O acordo envolve contrato de 40 anos, sendo a Sabesp responsável pelo serviço de oferta de água e coleta de esgoto. Há projeção de investimento para melhoria da rede de água do município – a estimativa da administração de Paulo Serra é obter até R$ 700 milhões para obras.

“Com a presente concessão haverá a suspensão dos pagamentos da dívida bilionária do Semasa perante a Sabesp e o valor da dívida será progressivamente abatida durante a execução do contrato, de modo a regularizar o passivo do município, que impacta diretamente na execução orçamentária, compreendendo grande parte da receita corrente líquida com pagamento de precatórios”, justificou o chefe do Executivo.

Ainda no projeto, Paulo Serra assegura que o Semasa seguirá existindo, cuidando do serviço de varrição, destinação de lixo e gestão ambiental.

A dívida de Santo André com a Sabesp remonta decisão da década de 1990 do então prefeito Celso Daniel (PT, morto em 2002), de não pagar integralmente o valor cobrado pelo metro cúbico de água adquirida junto à estatal paulista. A empresa estadual ingressou na Justiça contra o município e ganhou as ações, fazendo com que a dívida virassem precatórios. Atualmente o passivo está em R$ 3,4 bilhões. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Paulo Serra apresenta acordo com Sabesp para zerar dívida

Prefeito protocola projeto de concessão dos serviços de água e esgoto para extinguir passivo de R$ 3,4 bi

Fábio Martins
Do Dgabc.com.br

07/05/2019 | 16:36


O prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), protocolou na tarde desta terça-feira (7) projeto de lei pedindo autorização da Câmara para firmar parceria com a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) com o objetivo de zerar a dívida de R$ 3,4 bilhões que a estatal cobra da cidade pelo pagamento incompleto da tarifa de água comprada no atacado.

O texto prevê serviço compartilhado entre Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André), Sabesp e Arsesp (Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo). O acordo envolve contrato de 40 anos, sendo a Sabesp responsável pelo serviço de oferta de água e coleta de esgoto. Há projeção de investimento para melhoria da rede de água do município – a estimativa da administração de Paulo Serra é obter até R$ 700 milhões para obras.

“Com a presente concessão haverá a suspensão dos pagamentos da dívida bilionária do Semasa perante a Sabesp e o valor da dívida será progressivamente abatida durante a execução do contrato, de modo a regularizar o passivo do município, que impacta diretamente na execução orçamentária, compreendendo grande parte da receita corrente líquida com pagamento de precatórios”, justificou o chefe do Executivo.

Ainda no projeto, Paulo Serra assegura que o Semasa seguirá existindo, cuidando do serviço de varrição, destinação de lixo e gestão ambiental.

A dívida de Santo André com a Sabesp remonta decisão da década de 1990 do então prefeito Celso Daniel (PT, morto em 2002), de não pagar integralmente o valor cobrado pelo metro cúbico de água adquirida junto à estatal paulista. A empresa estadual ingressou na Justiça contra o município e ganhou as ações, fazendo com que a dívida virassem precatórios. Atualmente o passivo está em R$ 3,4 bilhões. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;