Fechar
Publicidade

Sábado, 24 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Rodovias da região concentram 40% das mortes por atropelamento

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Dos 80 óbitos ocorridos no ano passado, 32 foram nas estradas que cortam o Grande ABC


Aline Melo

05/05/2019 | 07:39


As rodovias que cortam o Grande ABC concentraram 40% das mortes por atropelamentos ocorridas em 2018. Segundo dados do Infosiga (Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo), apesar da queda de 7% nas ocorrências totais entre o ano passado e 2017 – que recuaram de 86 para 80 –, a proporção de óbitos por atropelamentos nas estradas da região aumentou, passando de 29 para 32 no período.

As vias mais perigosas para os pedestres são as do SAI (Sistema Anchieta-Imigrantes), onde 26 pessoas morreram no ano passado. Em seguida, aparece o Rodoanel Mário Covas, cujos trechos Sul e Leste passam pela região, com quatro mortes. Os demais óbitos ocorreram na SP-122 (estrada que liga Santo André a Paranapiacaba, passando por Rio Grande da Serra) e na SP-148, também conhecida como Caminho do Mar.

Para o diretor de comunicação da Abramet (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego), Dirceu Rodrigues Alves, o índice de 40% de mortes em rodovias é, além de alto, preocupante. “Os governos têm falado da necessidade de retirar radares e equipamentos eletrônicos de controle de velocidade, mas, na prática, o que vemos são trechos em áreas urbanas onde os motoristas trafegam a 100 km/h, 110 km/h”, destacou.

Na avaliação de Alves, as secretarias de trânsito das cidades devem fazer trabalho articulado junto às empresas responsáveis pelas rodovias (no caso do SAI, a Ecovias; no Rodoanel, a SPMar) no sentido de haver redução da velocidade máxima permitida. “É preciso, também, campanhas constantes, não apenas em períodos sazonais, para os motoristas e para os pedestres, para conscientizar sobre os riscos de se atravessar fora de passarelas e entre os veículos”, concluiu.

A Ecovias, que administra o SAI, informou que, semanalmente, reúne profissionais de diversas áreas da companhia para discutir medidas de segurança viária por meio do PRA (Programa de Redução de Acidentes). Entre elas, ações de engenharia, operacionais e de fiscalização e educativas, com campanhas de conscientização nas rodovias, ações de saúde e segurança para caminhoneiros e motociclistas, café na passarela para pedestres, entre outros projetos voltados à segurança viária nas rodovias.

A SPMar, concessionária que administra os trechos Sul e Leste do Rodoanel Mário Covas, destacou, por meio de nota, que, desde o início da operação, trabalha em parceria com a Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) em campanhas de conscientização junto aos motoristas e às comunidades lindeiras com objetivo de reduzir o número de acidentes na rodovia sobre sua concessão, incluindo colisões e atropelamentos. “O resultado verificado é uma queda neste tipo de ocorrência ano a ano. Em 2018, por exemplo, enquanto o fluxo de veículos nos trechos sob concessão da SPMar registrou aumentou de 3,6%, o número de acidentes fatais sofreu redução de 5%.”

O DER (Departamento de Estradas de Rodagem), responsável pela SP-122 e pela SP-148, comentou que as duas rodovias possuem pista simples e acostamentos pavimentados e que as sinalizações horizontal e vertical atendem às resoluções do Contran (Conselho Nacional de Trânsito). Na SP-148, há quatro equipamentos para fiscalização de velocidade, que também auxiliam na travessia de pedestres em quatro pontos, sendo lombadas eletrônicas e radar fixo. Já na SP-122 há item de fiscalização no km 40,4 para coibir o excesso de velocidade. 

Grande ABC se mobiliza durante o maio amarelo

As cidade da região se mobilizam durante o maio amarelo, campanha que visa reduzir os acidentes e as mortes no trânsito brasileiro.

Santo André informou que intensifica as ações que são realizadas durante todo o ano e que visam conscientizar os munícipes sobre a importância de obedecer as regras de trânsito. Desde o ano passado, o foco para a campanha na cidade é a proteção ao pedestre.

O calendário conta com atividades para motoristas, pedestres e também alunos das escolas municipais, como campanhas focadas na segurança do pedestre nas vias de maior movimento da cidade, entre outras atividades. Diadema está finalizando o escopo das ações que serão realizadas a partir do dia 13. Além das atividades voltadas à travessia segura e ao respeito à faixa de segurança, serão intensificadas ações com foco em motociclistas.

A Prefeitura de Mauá informou que participa do maio amarelo intensificando os trabalhos de conscientização da municipalidade e que, ao longo do mês, haverá palestras, panfletagem e outdoor móvel sobre o tema. “A Secretaria de Trânsito e Sistema Viário realiza diversas ações a fim de diminuir os índices de letalidade em suas vias, promovendo ações e projetos que auxiliem na segurança viária, seja por meio de intervenções de manutenção e adaptação do viário, passando pela sinalização e restauração, iluminação pública, ações educativas para condutores, pedestres e crianças em geral”, relatou em nota.

Em Ribeirão Pires, profissionais da Secretaria de Transportes e Trânsito realizam palestras em unidades escolares, bloqueios educativos e diversas atividades lúdicas e informativas, durante todo o mês. São Bernardo, São Caetano e Rio Grande da Serra não responderam até o fechamento desta edição.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Rodovias da região concentram 40% das mortes por atropelamento

Dos 80 óbitos ocorridos no ano passado, 32 foram nas estradas que cortam o Grande ABC

Aline Melo

05/05/2019 | 07:39


As rodovias que cortam o Grande ABC concentraram 40% das mortes por atropelamentos ocorridas em 2018. Segundo dados do Infosiga (Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo), apesar da queda de 7% nas ocorrências totais entre o ano passado e 2017 – que recuaram de 86 para 80 –, a proporção de óbitos por atropelamentos nas estradas da região aumentou, passando de 29 para 32 no período.

As vias mais perigosas para os pedestres são as do SAI (Sistema Anchieta-Imigrantes), onde 26 pessoas morreram no ano passado. Em seguida, aparece o Rodoanel Mário Covas, cujos trechos Sul e Leste passam pela região, com quatro mortes. Os demais óbitos ocorreram na SP-122 (estrada que liga Santo André a Paranapiacaba, passando por Rio Grande da Serra) e na SP-148, também conhecida como Caminho do Mar.

Para o diretor de comunicação da Abramet (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego), Dirceu Rodrigues Alves, o índice de 40% de mortes em rodovias é, além de alto, preocupante. “Os governos têm falado da necessidade de retirar radares e equipamentos eletrônicos de controle de velocidade, mas, na prática, o que vemos são trechos em áreas urbanas onde os motoristas trafegam a 100 km/h, 110 km/h”, destacou.

Na avaliação de Alves, as secretarias de trânsito das cidades devem fazer trabalho articulado junto às empresas responsáveis pelas rodovias (no caso do SAI, a Ecovias; no Rodoanel, a SPMar) no sentido de haver redução da velocidade máxima permitida. “É preciso, também, campanhas constantes, não apenas em períodos sazonais, para os motoristas e para os pedestres, para conscientizar sobre os riscos de se atravessar fora de passarelas e entre os veículos”, concluiu.

A Ecovias, que administra o SAI, informou que, semanalmente, reúne profissionais de diversas áreas da companhia para discutir medidas de segurança viária por meio do PRA (Programa de Redução de Acidentes). Entre elas, ações de engenharia, operacionais e de fiscalização e educativas, com campanhas de conscientização nas rodovias, ações de saúde e segurança para caminhoneiros e motociclistas, café na passarela para pedestres, entre outros projetos voltados à segurança viária nas rodovias.

A SPMar, concessionária que administra os trechos Sul e Leste do Rodoanel Mário Covas, destacou, por meio de nota, que, desde o início da operação, trabalha em parceria com a Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) em campanhas de conscientização junto aos motoristas e às comunidades lindeiras com objetivo de reduzir o número de acidentes na rodovia sobre sua concessão, incluindo colisões e atropelamentos. “O resultado verificado é uma queda neste tipo de ocorrência ano a ano. Em 2018, por exemplo, enquanto o fluxo de veículos nos trechos sob concessão da SPMar registrou aumentou de 3,6%, o número de acidentes fatais sofreu redução de 5%.”

O DER (Departamento de Estradas de Rodagem), responsável pela SP-122 e pela SP-148, comentou que as duas rodovias possuem pista simples e acostamentos pavimentados e que as sinalizações horizontal e vertical atendem às resoluções do Contran (Conselho Nacional de Trânsito). Na SP-148, há quatro equipamentos para fiscalização de velocidade, que também auxiliam na travessia de pedestres em quatro pontos, sendo lombadas eletrônicas e radar fixo. Já na SP-122 há item de fiscalização no km 40,4 para coibir o excesso de velocidade. 

Grande ABC se mobiliza durante o maio amarelo

As cidade da região se mobilizam durante o maio amarelo, campanha que visa reduzir os acidentes e as mortes no trânsito brasileiro.

Santo André informou que intensifica as ações que são realizadas durante todo o ano e que visam conscientizar os munícipes sobre a importância de obedecer as regras de trânsito. Desde o ano passado, o foco para a campanha na cidade é a proteção ao pedestre.

O calendário conta com atividades para motoristas, pedestres e também alunos das escolas municipais, como campanhas focadas na segurança do pedestre nas vias de maior movimento da cidade, entre outras atividades. Diadema está finalizando o escopo das ações que serão realizadas a partir do dia 13. Além das atividades voltadas à travessia segura e ao respeito à faixa de segurança, serão intensificadas ações com foco em motociclistas.

A Prefeitura de Mauá informou que participa do maio amarelo intensificando os trabalhos de conscientização da municipalidade e que, ao longo do mês, haverá palestras, panfletagem e outdoor móvel sobre o tema. “A Secretaria de Trânsito e Sistema Viário realiza diversas ações a fim de diminuir os índices de letalidade em suas vias, promovendo ações e projetos que auxiliem na segurança viária, seja por meio de intervenções de manutenção e adaptação do viário, passando pela sinalização e restauração, iluminação pública, ações educativas para condutores, pedestres e crianças em geral”, relatou em nota.

Em Ribeirão Pires, profissionais da Secretaria de Transportes e Trânsito realizam palestras em unidades escolares, bloqueios educativos e diversas atividades lúdicas e informativas, durante todo o mês. São Bernardo, São Caetano e Rio Grande da Serra não responderam até o fechamento desta edição.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;