Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 19 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

diarinho@dgabc.com.br | 4435-8396

Jovens talentos atrás de habilidades artísticas

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Paixão pela pintura leva crianças a se aperfeiçoar em aulas específicas e a desenvolver dom


Tauana Marin
Diário do Grande ABC

05/05/2019 | 07:00


Para muitos, desenhar e pintar são apenas passatempos preferidos, enquanto outras pessoas acreditam que o ‘dom’ de projetar personagens e cenas da vida real em papéis e telas é atividade levada a sério. O mundo artístico está aberto para todos.

Heitor Augusto Oliveira Franco de Camargo, 9 anos, de São Caetano, decidiu que queria aperfeiçoar sua paixão por essas linguagens e entrou em escola temática, há cerca de oito meses. “Contei com o incentivo da minha mãe, que, desde cedo, já elogiava meus desenhos e a criatividade. Estou gostando da experiência porque aprendo técnicas, como a de luz e sombra, que fazem diferença no resultado final.”

Assim como ele, Lucas Macêdo Lima, 8, de São Bernardo, e Emily de Moraes Oliveira, 8, de São Paulo, colocam suas habilidades à prova na unidade andreense da ESA (Escola Studio de Artes), onde frequentam aulas sobre os assuntos. “Pedi aos meus pais para me colocarem na escola porque gosto muito de desenhar personagens como Homem de Fero e Hulk (ambos da Marvel Comics) e quero melhorar nisso. Aprendi que há muitos tipos de lápis, por exemplo, cada um para dar um efeito, e há jeitos de desenhar que deixam as figuras melhores”, diz Lucas. “Colorir é outro desafio, já que temos que combinar os tons, esfumaçar...”

Os sonhos de Emily incluem, um dia, ser muito famosa pelos quadros que desenvolve. “Sou igual minha vó, que gosta de pintar flores e passarinhos. Nos quadros, os artistas podem ser livres e fazer do jeito que gostam, usado muitas cores.”

QUADRINHOS - Desenhar mangás e personagens de histórias em quadrinhos inspirou Vinícius da Silva Troti, 11, de Santo André, e Maria Clara da Silva Vara, 10, de São Paulo, a frequentarem oficina de artes na ESA. Apesar de aprender a melhorar seus decalques, foram surpreendidos com outras formas de arte. “Pintar uma tela é muito mais difícil do que parece, mas estou gostando porque aprendi sobre as cores, combinações e misturas. Hoje sei que o traço do desenho, antes da tinta vir, precisa se fino e leve, coisas que só aprendemos na prática”, comenta o menino.

Para ela, o universo artístico é vasto e abre oportunidade de trabalho para muitos. “Não descarto trabalhar com isso um dia”, afirma. “Há muitas coisas abstratas legais. Pintar coisas reais sempre exige mais, principalmente rostos, porque é preciso ficar como uma fotografia.”

Infância é melhor época para contato com linguagens

Desenhar e pintar são habilidades que acompanham o desenvolvimento do ser humano. Desde a Pré-História, por volta de 30 mil a.C. (antes de Cristo), o homem da caverna narrava sua vida por meio de ilustrações em pedras – para isso usava sangue de animais, saliva, fragmentos de rochas ou até mesmo argila. De lá para cá, muita coisa mudou. Atualmente, há inúmeros materiais para esse fim, escolas específicas para aperfeiçoamento e informações discutidas na internet, este último meio que dinamizou a dissipação de trabalhos para todo o mundo.

A verdade é que a arte nasce com as pessoas e quanto mais estimulados formos na infância, melhor. Bebês respondem com movimentos a ritmos musicais e, claro, se interessam por cores e gravuras. É nesse período que já se pode notar quem demostra ter mais aptidão para certas habilidades.

Por meio dos lápis e pincéis, por exemplo, pode-se expressar sentimentos e experiências vividas. No caso das pinturas, ilustrações abstratas retratam elementos aleatórios (casos de pinceladas livres), mas que também provocam sentimentos e reação. Outros estilos exploram realismos e necessitam de conhecimento de perspectiva, jogos de luz e sombra e combinação de cores para originar retratos e replicações de cenários.

Dança, encenação, música e fotografia se unem ao time da arte e também são meios para que as pessoas exponham seus pensamentos e percepções sobre o universo ao seu redor.

O Dia do Artista Pintor ou Plástico é festejado na quarta-feira (8) no Brasil, sendo homenagem ao paulista José Ferraz de Almeida Junior (1850-1899)

Consultoria de Cristina Bueno, arte-educadora e professora de artes da ESA (Escola Studio de Artes), em Santo André.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Jovens talentos atrás de habilidades artísticas

Paixão pela pintura leva crianças a se aperfeiçoar em aulas específicas e a desenvolver dom

Tauana Marin
Diário do Grande ABC

05/05/2019 | 07:00


Para muitos, desenhar e pintar são apenas passatempos preferidos, enquanto outras pessoas acreditam que o ‘dom’ de projetar personagens e cenas da vida real em papéis e telas é atividade levada a sério. O mundo artístico está aberto para todos.

Heitor Augusto Oliveira Franco de Camargo, 9 anos, de São Caetano, decidiu que queria aperfeiçoar sua paixão por essas linguagens e entrou em escola temática, há cerca de oito meses. “Contei com o incentivo da minha mãe, que, desde cedo, já elogiava meus desenhos e a criatividade. Estou gostando da experiência porque aprendo técnicas, como a de luz e sombra, que fazem diferença no resultado final.”

Assim como ele, Lucas Macêdo Lima, 8, de São Bernardo, e Emily de Moraes Oliveira, 8, de São Paulo, colocam suas habilidades à prova na unidade andreense da ESA (Escola Studio de Artes), onde frequentam aulas sobre os assuntos. “Pedi aos meus pais para me colocarem na escola porque gosto muito de desenhar personagens como Homem de Fero e Hulk (ambos da Marvel Comics) e quero melhorar nisso. Aprendi que há muitos tipos de lápis, por exemplo, cada um para dar um efeito, e há jeitos de desenhar que deixam as figuras melhores”, diz Lucas. “Colorir é outro desafio, já que temos que combinar os tons, esfumaçar...”

Os sonhos de Emily incluem, um dia, ser muito famosa pelos quadros que desenvolve. “Sou igual minha vó, que gosta de pintar flores e passarinhos. Nos quadros, os artistas podem ser livres e fazer do jeito que gostam, usado muitas cores.”

QUADRINHOS - Desenhar mangás e personagens de histórias em quadrinhos inspirou Vinícius da Silva Troti, 11, de Santo André, e Maria Clara da Silva Vara, 10, de São Paulo, a frequentarem oficina de artes na ESA. Apesar de aprender a melhorar seus decalques, foram surpreendidos com outras formas de arte. “Pintar uma tela é muito mais difícil do que parece, mas estou gostando porque aprendi sobre as cores, combinações e misturas. Hoje sei que o traço do desenho, antes da tinta vir, precisa se fino e leve, coisas que só aprendemos na prática”, comenta o menino.

Para ela, o universo artístico é vasto e abre oportunidade de trabalho para muitos. “Não descarto trabalhar com isso um dia”, afirma. “Há muitas coisas abstratas legais. Pintar coisas reais sempre exige mais, principalmente rostos, porque é preciso ficar como uma fotografia.”

Infância é melhor época para contato com linguagens

Desenhar e pintar são habilidades que acompanham o desenvolvimento do ser humano. Desde a Pré-História, por volta de 30 mil a.C. (antes de Cristo), o homem da caverna narrava sua vida por meio de ilustrações em pedras – para isso usava sangue de animais, saliva, fragmentos de rochas ou até mesmo argila. De lá para cá, muita coisa mudou. Atualmente, há inúmeros materiais para esse fim, escolas específicas para aperfeiçoamento e informações discutidas na internet, este último meio que dinamizou a dissipação de trabalhos para todo o mundo.

A verdade é que a arte nasce com as pessoas e quanto mais estimulados formos na infância, melhor. Bebês respondem com movimentos a ritmos musicais e, claro, se interessam por cores e gravuras. É nesse período que já se pode notar quem demostra ter mais aptidão para certas habilidades.

Por meio dos lápis e pincéis, por exemplo, pode-se expressar sentimentos e experiências vividas. No caso das pinturas, ilustrações abstratas retratam elementos aleatórios (casos de pinceladas livres), mas que também provocam sentimentos e reação. Outros estilos exploram realismos e necessitam de conhecimento de perspectiva, jogos de luz e sombra e combinação de cores para originar retratos e replicações de cenários.

Dança, encenação, música e fotografia se unem ao time da arte e também são meios para que as pessoas exponham seus pensamentos e percepções sobre o universo ao seu redor.

O Dia do Artista Pintor ou Plástico é festejado na quarta-feira (8) no Brasil, sendo homenagem ao paulista José Ferraz de Almeida Junior (1850-1899)

Consultoria de Cristina Bueno, arte-educadora e professora de artes da ESA (Escola Studio de Artes), em Santo André.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;