Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 22 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Troca de itens recicláveis por alimentos chega ao Jd.Sto.André

Claudinei Plaza/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Em um ano e meio, iniciativa já atendeu 22 mil moradores, de nove comunidades carentes


Bia Moço
Do Diário do Grande ABC

26/04/2019 | 07:00


 A comunidade do Jardim Santo André (Cruzados 1 e 2) passou a integrar, ontem, o Programa Moeda Verde, que troca cinco quilos de reciclável por um quilo de itens de feira. Trata-se da nona comunidade carente da cidade a participar da ação. Em um ano e meio, a iniciativa já distribuiu 17 toneladas de alimentos, entre verduras, legumes e hortaliças, e recebeu 86 toneladas de lixo, beneficiando quase 22 mil moradores.

O início do programa, realizado em parceria entre a Prefeitura e o Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André), foi em 23 de de novembro de 2017, no núcleo dos Ciganos. Até o fim do ano, o Moeda Verde chegará a outras sete comunidades da cidade, ampliando a abrangência do programa para 14 pontos de troca, e beneficiando, direta e indiretamente, cerca de 78% da população de núcleos e assentamentos precários de Santo André.

Para o prefeito Paulo Serra (PSDB), o programa é motivo de orgulho. “Duas cidades do Interior vieram conhecer o Moeda Verde para levar o modelo aos municípios. É um projeto que veio para revolucionar, mudando a visão da população e criando sentimento de pertencimento às suas áreas.” Ele destacou ainda que um dos principais objetivos do projeto foi alcançado. Exemplo é a mudança de comportamento dos moradores do núcleo dos Ciganos, que deixou de ser ponto viciado de descarte irregular. “É esse o efeito que esperamos em todas as comunidades” ressaltou.

Moradores do bairro fizeram fila para trocar lixo reciclável por alimento. Chamou atenção grupo de seis pessoas com grande quantidade de material para entrega. Orientados pela professora de biologia da EE Engenheiro Celso Augusto Daniel, Mayara Guimarães de Moura, 29 anos, cinco alunos do colégio aderiram à ação. “Além de ajudar na merenda da escola, incluímos no grêmio estudantil algumas famílias que estão em situação de dificuldade para mandar os alimentos trocados”, destacou a docente. O grupo somou 15 quilos de sucata e angariou três quilos de alimentos, divididos entre alface, carambola, laranja e chuchu.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Troca de itens recicláveis por alimentos chega ao Jd.Sto.André

Em um ano e meio, iniciativa já atendeu 22 mil moradores, de nove comunidades carentes

Bia Moço
Do Diário do Grande ABC

26/04/2019 | 07:00


 A comunidade do Jardim Santo André (Cruzados 1 e 2) passou a integrar, ontem, o Programa Moeda Verde, que troca cinco quilos de reciclável por um quilo de itens de feira. Trata-se da nona comunidade carente da cidade a participar da ação. Em um ano e meio, a iniciativa já distribuiu 17 toneladas de alimentos, entre verduras, legumes e hortaliças, e recebeu 86 toneladas de lixo, beneficiando quase 22 mil moradores.

O início do programa, realizado em parceria entre a Prefeitura e o Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André), foi em 23 de de novembro de 2017, no núcleo dos Ciganos. Até o fim do ano, o Moeda Verde chegará a outras sete comunidades da cidade, ampliando a abrangência do programa para 14 pontos de troca, e beneficiando, direta e indiretamente, cerca de 78% da população de núcleos e assentamentos precários de Santo André.

Para o prefeito Paulo Serra (PSDB), o programa é motivo de orgulho. “Duas cidades do Interior vieram conhecer o Moeda Verde para levar o modelo aos municípios. É um projeto que veio para revolucionar, mudando a visão da população e criando sentimento de pertencimento às suas áreas.” Ele destacou ainda que um dos principais objetivos do projeto foi alcançado. Exemplo é a mudança de comportamento dos moradores do núcleo dos Ciganos, que deixou de ser ponto viciado de descarte irregular. “É esse o efeito que esperamos em todas as comunidades” ressaltou.

Moradores do bairro fizeram fila para trocar lixo reciclável por alimento. Chamou atenção grupo de seis pessoas com grande quantidade de material para entrega. Orientados pela professora de biologia da EE Engenheiro Celso Augusto Daniel, Mayara Guimarães de Moura, 29 anos, cinco alunos do colégio aderiram à ação. “Além de ajudar na merenda da escola, incluímos no grêmio estudantil algumas famílias que estão em situação de dificuldade para mandar os alimentos trocados”, destacou a docente. O grupo somou 15 quilos de sucata e angariou três quilos de alimentos, divididos entre alface, carambola, laranja e chuchu.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;