Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 15 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Moradores de Diadema protestam contra qualidade da água

Aline Melo/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

22/04/2019 | 16:50


Cerca de 40 pessoas estão reunidas, em frente ao Poupatempo de Diadema, para protestar contra a qualidade da água que tem sido fornecida pela Sabesp, responsável pelo saneamento básico da cidade.

Segundo relatos dos munícipes, a água que chega nas torneiras está escura, com aspecto barrento e, principalmente desde a última semana, com mau cheiro.

A professora Daiane Moreira, 30 anos, moradora do Bairro Campanário, explicou que o problema é antigo e que quando o número de reclamações aumenta, a Sabesp manda um técnico coletar amostras da água. "Toda vez eles falam que a qualidade da água está dentro do padrão, mas como pode estar, com essa cor e esse cheiro?", questionou. Para minimizar o problema, a munícipe instalou na entrada da caixa de água um purificador. "Deveria trocar a cada seis meses, mas no máximo em um mês já fazemos a troca do filtro, de tanta sujeira", afirmou.

A cuidadora de idosos Eliane Silva, 59, moradora do bairro Serraria, afirmou que com a água que chegou na última sexta-feira, dia 20, não dava nem para lavar roupa. "Está manchando todas as peças brancas. Tenho comprado água mineral até para tomar banho e lavar louça", reclamou.

A Prefeitura divulgou nota em que afirma ter notificado a Sabesp sobre o problema.

A Sabesp, por sua vez, informou que devido às chuvas intensas e recorrentes, ocorridas entre março e abril, e que também provocaram inundações nos municípios da região, houve o extravasamento da Represa do Rio Grande para a Represa Billings, algo que não ocorria desde março de 2013, aumentando a velocidade do fluxo de água da Represa do Rio Grande. Isto provocou alteração brusca e substancial na característica da água do manancial utilizado para tratamento. Principalmente a quantidade de ferro, manganês e o nível de cor da água bruta atingiram valores inéditos na história do manancial. "Esta condição tem impedido que a Sabesp realize o tratamento adequado para retirada de toda a cor da água, mas a empresa está trabalhando para readequação do processo de tratamento para adaptar-se a esta qualidade de água bruta. Manteremos informados os clientes da região sobre quaisquer alterações no processo de abastecimento. A Sabesp pede desculpa pelos transtornos."

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Moradores de Diadema protestam contra qualidade da água

Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

22/04/2019 | 16:50


Cerca de 40 pessoas estão reunidas, em frente ao Poupatempo de Diadema, para protestar contra a qualidade da água que tem sido fornecida pela Sabesp, responsável pelo saneamento básico da cidade.

Segundo relatos dos munícipes, a água que chega nas torneiras está escura, com aspecto barrento e, principalmente desde a última semana, com mau cheiro.

A professora Daiane Moreira, 30 anos, moradora do Bairro Campanário, explicou que o problema é antigo e que quando o número de reclamações aumenta, a Sabesp manda um técnico coletar amostras da água. "Toda vez eles falam que a qualidade da água está dentro do padrão, mas como pode estar, com essa cor e esse cheiro?", questionou. Para minimizar o problema, a munícipe instalou na entrada da caixa de água um purificador. "Deveria trocar a cada seis meses, mas no máximo em um mês já fazemos a troca do filtro, de tanta sujeira", afirmou.

A cuidadora de idosos Eliane Silva, 59, moradora do bairro Serraria, afirmou que com a água que chegou na última sexta-feira, dia 20, não dava nem para lavar roupa. "Está manchando todas as peças brancas. Tenho comprado água mineral até para tomar banho e lavar louça", reclamou.

A Prefeitura divulgou nota em que afirma ter notificado a Sabesp sobre o problema.

A Sabesp, por sua vez, informou que devido às chuvas intensas e recorrentes, ocorridas entre março e abril, e que também provocaram inundações nos municípios da região, houve o extravasamento da Represa do Rio Grande para a Represa Billings, algo que não ocorria desde março de 2013, aumentando a velocidade do fluxo de água da Represa do Rio Grande. Isto provocou alteração brusca e substancial na característica da água do manancial utilizado para tratamento. Principalmente a quantidade de ferro, manganês e o nível de cor da água bruta atingiram valores inéditos na história do manancial. "Esta condição tem impedido que a Sabesp realize o tratamento adequado para retirada de toda a cor da água, mas a empresa está trabalhando para readequação do processo de tratamento para adaptar-se a esta qualidade de água bruta. Manteremos informados os clientes da região sobre quaisquer alterações no processo de abastecimento. A Sabesp pede desculpa pelos transtornos."

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;