Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 23 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Desgastado, PT na região tenta evitar tradicionais prévias internas para definição de prefeituráveis

Montagem/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Diretórios municipais iniciam discussão; proposta busca atenuar momento


Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

22/04/2019 | 07:40


Diante de desgaste político que se arrasta há pelo menos cinco anos, os diretórios do PT no Grande ABC colocam como norte a curto prazo evitar as tradicionais prévias internas para escolher os nomes que entrarão na disputa às prefeituras da região no pleito de 2020. Cabe frisar que as prévias partidárias foram criadas no estatuto sob a ótica de dar espaço a todos os militantes.

Em Santo André, onde a sigla apresenta diagnóstico mais difícil, filiados revelaram a existência de cinco nomes para o páreo do ano que vem. Além do ex-prefeito Carlos Grana, o petismo não descarta a chance do também ex-chefe do Executivo e último a ser reeleito na cidade (em 2004) João Avamileno. Fora esses quadros, correm por fora os vereadores Eduardo Leite e Bete Siraque, ambos em segundo mandato. O ex-deputado estadual Luiz Turco é outra figura na lista de cotados. Frente a esse cenário, a legenda pretende adotar o chamado consenso progressivo até que reste apenas uma opção.

O vereador Luiz Alberto, de Santo André, afirmou que o partido irá se reunir no dia 3 de maio mirando reduzir o número de nomes à empreitada. “Segundo o presidente municipal do PT, José Paulo Nogueira, temos de reduzir esse número até fecharmos em um nome. Mas ele também não descartou a possibilidade de aumentar (a quantidade).”

Na vizinha São Bernardo, a proposta petista, mesmo que de forma extraoficial, é de lançar o ex-prefeito e candidato derrotado ao governo do Estado em outubro Luiz Marinho, mas o deputado estadual Luiz Fernando Teixeira é cogitado nos bastidores. Com as contas do ano de 2015 prestes a serem apreciadas na Câmara, o clima é de reprovação em plenário, o que pode atrapalhar o caminho de Marinho.

Em Mauá, a situação se concentra também em nomes conhecidos na cidade. Prefeito em três oportunidades, Oswaldo Dias é uma das alternativas. Pesa contra ele, contudo, desconfiança em relação a sua elegibilidade. Ex-vice-prefeito, Paulo Eugenio Pereira Júnior integra o rol. Além deles, o vereador Marcelo Oliveira é sondado. Tem afirmado que pode usar o fato de ser o único parlamentar a não constar na lista de investigados da Operação Prato Feito, da PF (Polícia Federal), como trunfo para bancar candidatura majoritária.

Já em Diadema, o triprefeito José de Filippi Júnior é nome cotado mesmo que com desempenho frustrante como candidato a deputado federal em outubro. Obteve somente 43.382 votos. O vereador Ronaldo Lacerda, por sua vez, tem se colocado à disposição ao Executivo. Ele foi procurado por ao menos três siglas: PDT, PCdoB e PSTU. No ano passado, afiançou voo a federal e disputou votos com Filippi por cadeira em Brasília. Mesmo isolado, saiu do pleito com 15.868 votos. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Desgastado, PT na região tenta evitar tradicionais prévias internas para definição de prefeituráveis

Diretórios municipais iniciam discussão; proposta busca atenuar momento

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

22/04/2019 | 07:40


Diante de desgaste político que se arrasta há pelo menos cinco anos, os diretórios do PT no Grande ABC colocam como norte a curto prazo evitar as tradicionais prévias internas para escolher os nomes que entrarão na disputa às prefeituras da região no pleito de 2020. Cabe frisar que as prévias partidárias foram criadas no estatuto sob a ótica de dar espaço a todos os militantes.

Em Santo André, onde a sigla apresenta diagnóstico mais difícil, filiados revelaram a existência de cinco nomes para o páreo do ano que vem. Além do ex-prefeito Carlos Grana, o petismo não descarta a chance do também ex-chefe do Executivo e último a ser reeleito na cidade (em 2004) João Avamileno. Fora esses quadros, correm por fora os vereadores Eduardo Leite e Bete Siraque, ambos em segundo mandato. O ex-deputado estadual Luiz Turco é outra figura na lista de cotados. Frente a esse cenário, a legenda pretende adotar o chamado consenso progressivo até que reste apenas uma opção.

O vereador Luiz Alberto, de Santo André, afirmou que o partido irá se reunir no dia 3 de maio mirando reduzir o número de nomes à empreitada. “Segundo o presidente municipal do PT, José Paulo Nogueira, temos de reduzir esse número até fecharmos em um nome. Mas ele também não descartou a possibilidade de aumentar (a quantidade).”

Na vizinha São Bernardo, a proposta petista, mesmo que de forma extraoficial, é de lançar o ex-prefeito e candidato derrotado ao governo do Estado em outubro Luiz Marinho, mas o deputado estadual Luiz Fernando Teixeira é cogitado nos bastidores. Com as contas do ano de 2015 prestes a serem apreciadas na Câmara, o clima é de reprovação em plenário, o que pode atrapalhar o caminho de Marinho.

Em Mauá, a situação se concentra também em nomes conhecidos na cidade. Prefeito em três oportunidades, Oswaldo Dias é uma das alternativas. Pesa contra ele, contudo, desconfiança em relação a sua elegibilidade. Ex-vice-prefeito, Paulo Eugenio Pereira Júnior integra o rol. Além deles, o vereador Marcelo Oliveira é sondado. Tem afirmado que pode usar o fato de ser o único parlamentar a não constar na lista de investigados da Operação Prato Feito, da PF (Polícia Federal), como trunfo para bancar candidatura majoritária.

Já em Diadema, o triprefeito José de Filippi Júnior é nome cotado mesmo que com desempenho frustrante como candidato a deputado federal em outubro. Obteve somente 43.382 votos. O vereador Ronaldo Lacerda, por sua vez, tem se colocado à disposição ao Executivo. Ele foi procurado por ao menos três siglas: PDT, PCdoB e PSTU. No ano passado, afiançou voo a federal e disputou votos com Filippi por cadeira em Brasília. Mesmo isolado, saiu do pleito com 15.868 votos. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;