Fechar
Publicidade

Sábado, 24 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Confira pescados que você pode comer sem culpa ambiental

De 35 espécies, só oito foram consideradas "recomendáveis" e ganharam "sinal verde"



19/04/2019 | 09:27


Já pensou que o peixe escolhido para a ceia da Sexta-Feira Santa pode prejudicar ecossistemas ou até mesmo contribuir para a extinção da espécie? Um estudo da ONG WWF-Brasil, publicado neste mês, listou dezenas de pescados que não são recomendáveis para consumo e, por isso, devem ser evitados à mesa. Para quem quer comer sem culpa, o melhor é abrir mão de atum, camarão e, é verdade, do bacalhau.

O Guia de Consumo Responsável de Pescado avaliou espécies de pesca e de aquicultura, a criação em cativeiro. A análise foi feita por consultoria independente e, entre as informações, considerou estoque, técnica de pesca e sustentabilidade das principais espécies consumidas no Brasil. Quanto menos agressivas ao ecossistema, por exemplo, melhor a pontuação.

O resultado é devastador. De 35 espécies, só oito foram consideradas "recomendáveis" e ganharam "sinal verde" da WWF-Brasil, que elaborou um sistema semelhante ao de faróis de trânsito para classificar os pescados. No amarelo, ficaram seis deles, incluindo a tilápia. Os outros 21 estão na categoria vermelha, destinada a espécies ameaçadas por sobrepescas ou cultivadas de forma ecologicamente incorreta.

"Atualmente, estima-se que 80% dos recursos pesqueiros do País estão sendo explorados além de sua capacidade natural de regeneração", diz o estudo. "Em outras palavras, peixes e outros frutos do mar estão sendo capturados em uma taxa superior à que conseguem se reproduzir, o que pode levar a um colapso da pesca no Brasil."

A ONG, no entanto, faz uma observação. Embora seja prudente evitar o consumo de pescados classificados no vermelho, alguns produtores possuem certificação de sustentabilidade que respeita regras internacionais, afirma. "Recomendamos, preferencialmente, o consumo de produtos certificados para estimular e incentivar cada vez mais a produção sustentável."

Confira a lista:

Vermelho: "Evite"

01. Bacalhau-do-Atlântico

02. Bacalhau-do-Pacífico

03. Albacora-branca

04. Albacora-laje

05. Atum-big-eye

06. Budião-azul

07. Camarão-pata-branca

08. Camarão-rosa

09. Camarão-lixo

10. Corvina

11. Dourado

12. Lagosta-espinhosa

13. Pargo

14. Piramutaba

15. Polvo

16. Salmão-do-Atlântico

17. Sardinha-verdadeira

18. Surubim ou Pintado

19. Tainha

20. Truta arco iris

21. Tubarão-azul

Amarelo: Consuma com moderação

22. Tilápia

23. Polaca

24. Panga

25. Castanha

26. Bonito-listrado

27. Caranguejo-uçá

Verde: "Recomendado"

28. Salmão-rosa

29. Salmão-chum

30. Salmão-sockeye

31. Mexilhão

32. Mexilhão chileno

33. Ostra-do-Pacífico

34. Ostra-do-mangue

35. Vieira



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Confira pescados que você pode comer sem culpa ambiental

De 35 espécies, só oito foram consideradas "recomendáveis" e ganharam "sinal verde"


19/04/2019 | 09:27


Já pensou que o peixe escolhido para a ceia da Sexta-Feira Santa pode prejudicar ecossistemas ou até mesmo contribuir para a extinção da espécie? Um estudo da ONG WWF-Brasil, publicado neste mês, listou dezenas de pescados que não são recomendáveis para consumo e, por isso, devem ser evitados à mesa. Para quem quer comer sem culpa, o melhor é abrir mão de atum, camarão e, é verdade, do bacalhau.

O Guia de Consumo Responsável de Pescado avaliou espécies de pesca e de aquicultura, a criação em cativeiro. A análise foi feita por consultoria independente e, entre as informações, considerou estoque, técnica de pesca e sustentabilidade das principais espécies consumidas no Brasil. Quanto menos agressivas ao ecossistema, por exemplo, melhor a pontuação.

O resultado é devastador. De 35 espécies, só oito foram consideradas "recomendáveis" e ganharam "sinal verde" da WWF-Brasil, que elaborou um sistema semelhante ao de faróis de trânsito para classificar os pescados. No amarelo, ficaram seis deles, incluindo a tilápia. Os outros 21 estão na categoria vermelha, destinada a espécies ameaçadas por sobrepescas ou cultivadas de forma ecologicamente incorreta.

"Atualmente, estima-se que 80% dos recursos pesqueiros do País estão sendo explorados além de sua capacidade natural de regeneração", diz o estudo. "Em outras palavras, peixes e outros frutos do mar estão sendo capturados em uma taxa superior à que conseguem se reproduzir, o que pode levar a um colapso da pesca no Brasil."

A ONG, no entanto, faz uma observação. Embora seja prudente evitar o consumo de pescados classificados no vermelho, alguns produtores possuem certificação de sustentabilidade que respeita regras internacionais, afirma. "Recomendamos, preferencialmente, o consumo de produtos certificados para estimular e incentivar cada vez mais a produção sustentável."

Confira a lista:

Vermelho: "Evite"

01. Bacalhau-do-Atlântico

02. Bacalhau-do-Pacífico

03. Albacora-branca

04. Albacora-laje

05. Atum-big-eye

06. Budião-azul

07. Camarão-pata-branca

08. Camarão-rosa

09. Camarão-lixo

10. Corvina

11. Dourado

12. Lagosta-espinhosa

13. Pargo

14. Piramutaba

15. Polvo

16. Salmão-do-Atlântico

17. Sardinha-verdadeira

18. Surubim ou Pintado

19. Tainha

20. Truta arco iris

21. Tubarão-azul

Amarelo: Consuma com moderação

22. Tilápia

23. Polaca

24. Panga

25. Castanha

26. Bonito-listrado

27. Caranguejo-uçá

Verde: "Recomendado"

28. Salmão-rosa

29. Salmão-chum

30. Salmão-sockeye

31. Mexilhão

32. Mexilhão chileno

33. Ostra-do-Pacífico

34. Ostra-do-mangue

35. Vieira

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;