Fechar
Publicidade

Domingo, 21 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Tecnologia

tecnologia@dgabc.com.br | 4435-8301


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Uma foto com smartphone pode prevenir a cegueira infantil

Da Redação, com assessoria

17/04/2019 | 15:18


A campanha “Abril Marrom de Combate à Cegueira”, que movimenta toda a comunidade oftalmológica do País, tem esbarrado em um grande obstáculo: o fato de o “teste do olhinho” só ser obrigatório em 16 Estados brasileiros e no distrito federal. De acordo com o oftalmologista Leônico Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier, o exame deve ser feito logo após o parto para identificar a presença de catarata, glaucoma e tumores — além da retinopatia da prematuridade, em bebês prematuros.

Leia mais: 
3 startups brasileiras que querem reinventar o setor da saúde
Saúde mental: plataforma cria tabela com informações sobre transtornos emocionais

Essas doenças são congênitas e representam 70% dos casos de perda de visão na infância. Por isso , o teste do olhinho é uma importante ferramenta de prevenção da cegueira infantil. O exame consiste em direcionar para a menina do olho do bebê um oftalmoscópio, equipamento semelhante a uma lanterna com lente refletora.

Quando o reflexo é vermelho e contínuo, indica que todas as estruturas oculares estão íntegras. “Se o reflexo for esbranquiçado ou descontínuo sinaliza que a criança deve ser encaminhada a um oftalmologista para que possa receber o tratamento correto”, diz o especialista.

Queiroz Neto afirma que o teste do olhinho tem baixo custo, mas diversos projetos de lei com a proposta de estender a obrigatoriedade do exame a todo o território nacional vêm encontrando dificuldade de aprovação no congresso nacional. Este foi o caso do projeto de lei 4090/2015, que em março deste ano foi devolvido sem manifestação pelo relator da CFT (Comissão de Finanças e Tributação) na Câmara dos deputados.

Aliado de bolso

A boa notícia é que famílias sem plano de saúde ou que moram em estados onde o exame não é obrigatório, podem usar um celular com câmera para fazer o exame em casa. Depois, basta encaminhar a imagem a um especialista do serviço oftalmológico mais próximo credenciado ao SUS (Sistema Único de Saúde).

Para tirar a foto, será preciso segurar a cabeça do bebê, abrir as pálpebras de um olho e tirar uma foto com flash em um quarto escurecido, posicionando o celular a uma distância de 30 centímetros do rosto. Após repetir o processo no outro olho, se a foto não for avermelhada ou apresentar algum desvio, a criança deve ser levada o quanto antes para uma consulta oftalmológica.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

 
 

<
>

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;