Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

MP ainda aguarda esclarecimentos da FSA

Nario Barbosa/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Instituição de ensino tem até a segunda quinzena de maio para se manifestar sobre concurso público


Bia Moço
Do Diário do Grande ABC

17/04/2019 | 07:00


Depois de 20 dias de o MP (Ministério Público) ter instaurado inquérito civil – número 1.121/19 – para “apurar eventual irregularidade em concurso público recentemente realizado pela Fundação Santo André”, a promotoria de Justiça de Fundações do município andreense ainda aguarda resposta dos ofícios encaminhados à instituição de ensino superior, os quais solicita informações e documentos. O prazo para reitoria apresentar resposta vai até a segunda quinzena de maio.

Segundo o MP, o procedimento foi instaurado a partir de notícias veiculadas na imprensa e, por esse motivo, a promotora responsável, Ana Carolina Fuliaro Bittencourt, solicitou informações à FSA.

O Diário denunciou, no dia 23 de março – três dias antes de o inquérito ser instaurado – , que o reitor da instituição, Francisco José Santos Milreu, foi aprovado em primeiro lugar na etapa inicial do certame, que tinha como objetivo preencher 16 vagas de professores, além de 26 cadastros reservas. Milreu acertou 19 de 20 questões. O docente também é alvo de denúncia sobre contratação ilegal há pelo menos dois anos. O reitor chegou a afirmar ao Diário, em março de 2018, que seu ingresso na Fundação Santo André, em 1989, se deu sem concurso público – o que é proibido por lei. Na sequência, a instituição negou a afirmativa do reitor, alegando que há documentos de aprovação no certame público, no entanto, a reitoria recusa-se a apresentar a papelada à imprensa.

Diante dos escândalos que envolvem a FSA, uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) foi instalada na Câmara Municipal com intuito de apurar as irregularidades denunciadas, tanto pela imprensa como por docentes da unidade educacional, em especial a contratação de Milreu.

Durante reunião, na última segunda-feita, a vereadora Bete Siraque (PT), presidente da comissão, junto do relator, o presidente do Legislativo Pedrinho Botaro (PSDB), e demais vereadores integrantes do grupo, deram até 15 dias para FSA apresentar provas de que Milreu é concursado. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

MP ainda aguarda esclarecimentos da FSA

Instituição de ensino tem até a segunda quinzena de maio para se manifestar sobre concurso público

Bia Moço
Do Diário do Grande ABC

17/04/2019 | 07:00


Depois de 20 dias de o MP (Ministério Público) ter instaurado inquérito civil – número 1.121/19 – para “apurar eventual irregularidade em concurso público recentemente realizado pela Fundação Santo André”, a promotoria de Justiça de Fundações do município andreense ainda aguarda resposta dos ofícios encaminhados à instituição de ensino superior, os quais solicita informações e documentos. O prazo para reitoria apresentar resposta vai até a segunda quinzena de maio.

Segundo o MP, o procedimento foi instaurado a partir de notícias veiculadas na imprensa e, por esse motivo, a promotora responsável, Ana Carolina Fuliaro Bittencourt, solicitou informações à FSA.

O Diário denunciou, no dia 23 de março – três dias antes de o inquérito ser instaurado – , que o reitor da instituição, Francisco José Santos Milreu, foi aprovado em primeiro lugar na etapa inicial do certame, que tinha como objetivo preencher 16 vagas de professores, além de 26 cadastros reservas. Milreu acertou 19 de 20 questões. O docente também é alvo de denúncia sobre contratação ilegal há pelo menos dois anos. O reitor chegou a afirmar ao Diário, em março de 2018, que seu ingresso na Fundação Santo André, em 1989, se deu sem concurso público – o que é proibido por lei. Na sequência, a instituição negou a afirmativa do reitor, alegando que há documentos de aprovação no certame público, no entanto, a reitoria recusa-se a apresentar a papelada à imprensa.

Diante dos escândalos que envolvem a FSA, uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) foi instalada na Câmara Municipal com intuito de apurar as irregularidades denunciadas, tanto pela imprensa como por docentes da unidade educacional, em especial a contratação de Milreu.

Durante reunião, na última segunda-feita, a vereadora Bete Siraque (PT), presidente da comissão, junto do relator, o presidente do Legislativo Pedrinho Botaro (PSDB), e demais vereadores integrantes do grupo, deram até 15 dias para FSA apresentar provas de que Milreu é concursado. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;