Fechar
Publicidade

Domingo, 15 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Ajuda humanitária da Cruz Vermelha chega à Venezuela



16/04/2019 | 20:53


Voluntários da Cruz Vermelha distribuíram nesta terça-feira os primeiros itens de emergência na Venezuela, após meses de disputa entre o governo, que tem negado a existência de uma crise humanitária, e opositores que tentaram utilizar a entrega de ajuda para forçar o presidente Nicolás Maduro a deixar o poder.

No bairro operário de Catia, perto do centro de Caracas, partidários do governo conhecidos como "coletivos" dispararam para o ar quando caminhões com o logotipo da Cruz Vermelha chegaram para a distribuição de tabletes de purificação de água e galões plásticos vazios, entre outros itens. Um pequeno contingente da polícia se apresentou para restabelecer a ordem.

O governo e a oposição trocam acusações de politizar a crise, enquanto grupos de direitos humanos afirmam que vidas continuam sendo perdidas. Líder da oposição e autointitulado presidente legítimo do país, Juan Guaidó convocou a comunidade internacional a arrecadou centenas de toneladas de ajuda na fronteira com a Colômbia. O presidente Nicolás Maduro, porém, recusava-se a permitir a entrada do material. Em fevereiro, as forças de segurança locais bloquearam pontes fronteiriças e reprimiram líderes oposicionistas que tentavam entregar ajuda.

Na noite desta terça-feira, Maduro tentou conseguir crédito pela chegada do primeiro lote de ajuda internacional da Cruz Vermelha. Ele disse em rede de televisão nacional que seu governo coordenou isso de modo "legal, ordenado, cumprindo os protocolos internacionais". Mas a entrega representa também um reconhecimento tático por Maduro de que o país sul-americano enfrenta uma crise humanitária, algo que durante muito tempo ele qualificou como uma medida de propaganda dos oposicionistas. Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ajuda humanitária da Cruz Vermelha chega à Venezuela


16/04/2019 | 20:53


Voluntários da Cruz Vermelha distribuíram nesta terça-feira os primeiros itens de emergência na Venezuela, após meses de disputa entre o governo, que tem negado a existência de uma crise humanitária, e opositores que tentaram utilizar a entrega de ajuda para forçar o presidente Nicolás Maduro a deixar o poder.

No bairro operário de Catia, perto do centro de Caracas, partidários do governo conhecidos como "coletivos" dispararam para o ar quando caminhões com o logotipo da Cruz Vermelha chegaram para a distribuição de tabletes de purificação de água e galões plásticos vazios, entre outros itens. Um pequeno contingente da polícia se apresentou para restabelecer a ordem.

O governo e a oposição trocam acusações de politizar a crise, enquanto grupos de direitos humanos afirmam que vidas continuam sendo perdidas. Líder da oposição e autointitulado presidente legítimo do país, Juan Guaidó convocou a comunidade internacional a arrecadou centenas de toneladas de ajuda na fronteira com a Colômbia. O presidente Nicolás Maduro, porém, recusava-se a permitir a entrada do material. Em fevereiro, as forças de segurança locais bloquearam pontes fronteiriças e reprimiram líderes oposicionistas que tentavam entregar ajuda.

Na noite desta terça-feira, Maduro tentou conseguir crédito pela chegada do primeiro lote de ajuda internacional da Cruz Vermelha. Ele disse em rede de televisão nacional que seu governo coordenou isso de modo "legal, ordenado, cumprindo os protocolos internacionais". Mas a entrega representa também um reconhecimento tático por Maduro de que o país sul-americano enfrenta uma crise humanitária, algo que durante muito tempo ele qualificou como uma medida de propaganda dos oposicionistas. Fonte: Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;