Fechar
Publicidade

Sábado, 19 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Mitologia e cultura africana unidas

Celso Luiz/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Escritor de São Bernardo lança amanhã obra inspirada em experiências religiosas


Gabriela Ellin
Especial para o Diário

03/04/2019 | 07:00


Ficção misturada com a cultura do povo iorubá, mitologia africana e cenas épicas de batalhas. Essa é a ‘receita’ inusitada que o escritor de São Bernardo Gabriel Campi, 29 anos, traz para sua primeira obra literária, intitulada de A Coroa de Dadá (Editora Metanoia, 380 páginas, R$ 50, em média). 

“Posso dizer que é o primeiro nessa linha com esse tema aqui no Brasil. A ideia de fazer uma ficção de mitologia africana surgiu de um objetivo muito simples: divulgar a cultura rica que é a Iorubá para o público em geral que não conhece”, comenta o autor.

A obra, que passou por longo processo até ser registrada na Biblioteca Nacional, tem data de lançamento marcada para amanhã, a partir das 19h30, na Livraria Curitiba do Shopping Praça da Moça (Rua Manoel da Nóbrega, 712). A participação é gratuita.

O projeto surgiu por conta da paixão de Campi pela cultura iorubá, mas mais que isso, de sua inserção na mesma, já que desde criança o escritor tem interesse em culturas de matrizes africanas, além das questões religiosa e filosófica, que lhe despertaram a inspiração para o título. “O processo criativo se dava ao meu conhecimento à cultura iorubá, mas meu envolvimento na cultura africana também contribuiu muito”, explica ele.

O escritor desenvolveu todo seu conhecimento dentro do templo africano Covoyá, em São Bernardo, que segue apenas como base aos ensinamentos e vertentes filosóficas da umbanda e do candomblé. Hoje o escritor ajuda a manter o local, além de ampliar sua espiritualidade e aumentar ainda mais sua paixão pela abrangência que a crença africana oferece.

“Quando se trata de religiosidade, às vezes as pessoas se afastam do assunto, mas algo voltado para cultura e filosofia de vida contada por meio de uma história fictícia ajuda a cumprir meu objetivo de dar visibilidade a cultura africana e iorubá”, explica.

Ao descrever sua história em poucas palavras, o autor conta que a obra possui uma narrativa incomum, cheia de mistérios e mensagens reflexivas, juntamente com épicas batalhas de deuses africanos. “Eu descreveria como uma recontagem das mitologias africanas. Uma ficção de ação e aventura, com um toque envolvente, devido ao cenário e à história contada”, diz.

Ele ressalta ainda que é uma história dinâmica com altos e baixos, pois, apesar de muita ação, também tem o lado filosófico da cultura mencionada. “Considero como um fator pontual a descrição das batalhas e as cenas de ação, que é a aposta principal para atrair também um público mais jovem. Para quem gosta de contos épicos, será um livro cativante e encantador”, conclui.

Lançamento do livro A Coroa de Dadá – Literatura. Na Livraria Curitiba – Shopping Praça da Moça (Rua Manoel da Nóbrega, 712), em Diadema. Amanhã, às 19h30. Entrada gratuita.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mitologia e cultura africana unidas

Escritor de São Bernardo lança amanhã obra inspirada em experiências religiosas

Gabriela Ellin
Especial para o Diário

03/04/2019 | 07:00


Ficção misturada com a cultura do povo iorubá, mitologia africana e cenas épicas de batalhas. Essa é a ‘receita’ inusitada que o escritor de São Bernardo Gabriel Campi, 29 anos, traz para sua primeira obra literária, intitulada de A Coroa de Dadá (Editora Metanoia, 380 páginas, R$ 50, em média). 

“Posso dizer que é o primeiro nessa linha com esse tema aqui no Brasil. A ideia de fazer uma ficção de mitologia africana surgiu de um objetivo muito simples: divulgar a cultura rica que é a Iorubá para o público em geral que não conhece”, comenta o autor.

A obra, que passou por longo processo até ser registrada na Biblioteca Nacional, tem data de lançamento marcada para amanhã, a partir das 19h30, na Livraria Curitiba do Shopping Praça da Moça (Rua Manoel da Nóbrega, 712). A participação é gratuita.

O projeto surgiu por conta da paixão de Campi pela cultura iorubá, mas mais que isso, de sua inserção na mesma, já que desde criança o escritor tem interesse em culturas de matrizes africanas, além das questões religiosa e filosófica, que lhe despertaram a inspiração para o título. “O processo criativo se dava ao meu conhecimento à cultura iorubá, mas meu envolvimento na cultura africana também contribuiu muito”, explica ele.

O escritor desenvolveu todo seu conhecimento dentro do templo africano Covoyá, em São Bernardo, que segue apenas como base aos ensinamentos e vertentes filosóficas da umbanda e do candomblé. Hoje o escritor ajuda a manter o local, além de ampliar sua espiritualidade e aumentar ainda mais sua paixão pela abrangência que a crença africana oferece.

“Quando se trata de religiosidade, às vezes as pessoas se afastam do assunto, mas algo voltado para cultura e filosofia de vida contada por meio de uma história fictícia ajuda a cumprir meu objetivo de dar visibilidade a cultura africana e iorubá”, explica.

Ao descrever sua história em poucas palavras, o autor conta que a obra possui uma narrativa incomum, cheia de mistérios e mensagens reflexivas, juntamente com épicas batalhas de deuses africanos. “Eu descreveria como uma recontagem das mitologias africanas. Uma ficção de ação e aventura, com um toque envolvente, devido ao cenário e à história contada”, diz.

Ele ressalta ainda que é uma história dinâmica com altos e baixos, pois, apesar de muita ação, também tem o lado filosófico da cultura mencionada. “Considero como um fator pontual a descrição das batalhas e as cenas de ação, que é a aposta principal para atrair também um público mais jovem. Para quem gosta de contos épicos, será um livro cativante e encantador”, conclui.

Lançamento do livro A Coroa de Dadá – Literatura. Na Livraria Curitiba – Shopping Praça da Moça (Rua Manoel da Nóbrega, 712), em Diadema. Amanhã, às 19h30. Entrada gratuita.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;