Fechar
Publicidade

Sábado, 4 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

dmais@dgabc.com.br | 4435-8396

Mundial de ‘CS:GO’ tem fiasco de equipe brasileira

Blast Pro Series/Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Dérek Bittencourt
Diário do Grande ABC

31/03/2019 | 07:00


O Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, foi palco de verdadeira reunião dos principais jogadores e times de Counter Strike: Global Offensive na semana passada. A Blast Pro Series veio à Capital pela primeira vez, arrastou 7.000 pessoas às arquibancadas e ainda contou com transmissões tanto na TV por assinatura quanto em plataformas da internet. E em tempos de questionamento e correlação entre violência e jogos de tiro, o evento foi elogiado por organizadores, players e público.

O show demonstrado pelos torcedores presentes – com direito a bateria de escola de samba – não foi repetido pelo time que representou o País. O desempenho do MiBR (Made In Brazil) foi para se esquecer. Cinco jogos, cinco derrotas. “Estamos há apenas dois meses juntos nessa formação. Vamos voltar a ser o melhor time do mundo”, previu o capitão Gabriel ‘Fallen’ Toledo. “Deu samba só na bateria, porque no CS não deu”, declarou Fernando ‘Fer’ Alvarenga. “Chegamos ao fundo do poço. Esse é o pior dia da minha vida”, emendou o jogador, mais tarde, nas redes sociais. “A cobrança de jogar em casa é maior do que fora. Não tem muito o que fazer se não pensar no próximo (torneio). Já ganhamos campeonatos em todos os continentes – tirando a África, que nunca jogamos –, menos a América do Sul. Isso dói, machuca, mas é focar no próximo”, projetou Epitacio ‘Taco’ de Melo.

Quem ficou com o título e levou para casa a premiação de US$ 125 mil (aproximadamente R$ 490 mil) foi a equipe dinamarquesa da Astralis, grande destaque no cenário do jogo há pelo menos um ano. Demonstrando muita frieza e controle da mente, venceu a Team Liquid na final, de virada, por dois mapas a um.

“(Os fãs brasileiros) São loucos. Fico triste pela MiBR, porque é um bom time, um dos principais do mundo, mas este é o momento em que mais vão precisar do apoio dos fãs e sei que vão receber”, declarou Lukas ‘Gla1ve’ Rossander, da campeã Astralis. “A torcida brasileira é sempre incrível, insana”, endossou Keith ‘Naf’ Markovic, da Liquid.

Entre os dias 19 e 21, o Brasil receberá mais um evento mundial de CS:GO. Será o DreamHack Open, a ser realizado no Parque Olímpico do Rio de Janeiro. Os times brasileiros já confirmados são Fúria, Luminosity e Sharks. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;