Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 18 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Aneel aprova redução de 7,4% nas tarifas da Ceron



26/03/2019 | 19:31


A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou uma redução média de 7,4% nas tarifas da Ceron, válida a partir de 1º de abril. A distribuidora atende 641 mil unidades consumidoras em Rondônia. O grupo Energisa comprou a empresa, que pertencia à Eletrobras, em um leilão realizado pelo governo em agosto do ano passado.

A queda tem dois motivos. O primeiro é a quitação antecipada do empréstimo firmado em 2014 com um pool de bancos públicos e privados. Na época, a seca levou ao acionamento de praticamente todo o parque de termelétricas do País. Esse custo foi pago por meio de um financiamento de R$ 21 bilhões, repassado às tarifas de energia pagas pelos consumidores, de forma parcelada, até 2020. Como houve saldo suficiente para quitá-lo antes, ele será pago até setembro deste ano.

Como a Ceron já tinha passado pelo processo de reajuste tarifário, a Aneel aprovou uma revisão tarifária extraordinária, de forma a retirar o custo desse empréstimo das contas de luz dos consumidores locais. Esse fator contribuiu para uma redução de 4,19%. O segundo motivo é o diferimento de parte dos componentes financeiros da Ceron, que contribuiu com uma diminuição de 3,27%.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Aneel aprova redução de 7,4% nas tarifas da Ceron


26/03/2019 | 19:31


A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou uma redução média de 7,4% nas tarifas da Ceron, válida a partir de 1º de abril. A distribuidora atende 641 mil unidades consumidoras em Rondônia. O grupo Energisa comprou a empresa, que pertencia à Eletrobras, em um leilão realizado pelo governo em agosto do ano passado.

A queda tem dois motivos. O primeiro é a quitação antecipada do empréstimo firmado em 2014 com um pool de bancos públicos e privados. Na época, a seca levou ao acionamento de praticamente todo o parque de termelétricas do País. Esse custo foi pago por meio de um financiamento de R$ 21 bilhões, repassado às tarifas de energia pagas pelos consumidores, de forma parcelada, até 2020. Como houve saldo suficiente para quitá-lo antes, ele será pago até setembro deste ano.

Como a Ceron já tinha passado pelo processo de reajuste tarifário, a Aneel aprovou uma revisão tarifária extraordinária, de forma a retirar o custo desse empréstimo das contas de luz dos consumidores locais. Esse fator contribuiu para uma redução de 4,19%. O segundo motivo é o diferimento de parte dos componentes financeiros da Ceron, que contribuiu com uma diminuição de 3,27%.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;