Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 23 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

dmais@dgabc.com.br | 4435-8396

Menino possuído é atração nas telonas no filme 'Maligno'

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Luís Felipe Soares

17/03/2019 | 07:08


A sacada de colocar crianças como personagens principais de filmes de terror e suspense não é nova, mas parece causar calafrios no público ainda hoje. Figuras infantojuvenis ganharam espaço em O Exorcista (1973), Poltergeist – O Fenômeno (1982), O Sexto Sentido (1999) e O Chamado (2002) são só alguns exemplos dessa lista. Acaba sendo mescla da inocência dessas figuras mirins com espíritos e demônios.

Agora, as sustos estão voltados para as ações do pequeno Miles (Jackson Robert Scott) em Maligno, recém-chegado aos cinemas brasileiros. Sua estreia estava agendada para fevereiro, mas acabou adiada. A atração é recomendada para maiores de 16 anos.

No longa-metragem, a família do menino passa a perceber que seu comportamento tem demonstrado aspectos ruins, muitos deles violentos. A mãe, Sarah (Taylor Schilling, a Piper Chapman do seriado Orange is The New Black, da Netflix), passa a investigar os passos do menino ao mesmo tempo em que o público entende que os fatos envolvem sequestro e satanismo.

Diversos jumpscares estão espalhados pelo filme, com o diretor Nicholas McCarthy apostando em revelações e momentos de tensão que remetem a produções mais antigas. Maligno surge como opção nas telonas em época em que filmes de terror dificilmente têm chances de estar em cartaz. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Menino possuído é atração nas telonas no filme 'Maligno'

Luís Felipe Soares

17/03/2019 | 07:08


A sacada de colocar crianças como personagens principais de filmes de terror e suspense não é nova, mas parece causar calafrios no público ainda hoje. Figuras infantojuvenis ganharam espaço em O Exorcista (1973), Poltergeist – O Fenômeno (1982), O Sexto Sentido (1999) e O Chamado (2002) são só alguns exemplos dessa lista. Acaba sendo mescla da inocência dessas figuras mirins com espíritos e demônios.

Agora, as sustos estão voltados para as ações do pequeno Miles (Jackson Robert Scott) em Maligno, recém-chegado aos cinemas brasileiros. Sua estreia estava agendada para fevereiro, mas acabou adiada. A atração é recomendada para maiores de 16 anos.

No longa-metragem, a família do menino passa a perceber que seu comportamento tem demonstrado aspectos ruins, muitos deles violentos. A mãe, Sarah (Taylor Schilling, a Piper Chapman do seriado Orange is The New Black, da Netflix), passa a investigar os passos do menino ao mesmo tempo em que o público entende que os fatos envolvem sequestro e satanismo.

Diversos jumpscares estão espalhados pelo filme, com o diretor Nicholas McCarthy apostando em revelações e momentos de tensão que remetem a produções mais antigas. Maligno surge como opção nas telonas em época em que filmes de terror dificilmente têm chances de estar em cartaz. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;