Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 20 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Menos de um quarto da indústria em SP buscará crédito em 2019, mostra Fiesp



15/03/2019 | 13:55


Uma pesquisa inédita feita pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e divulgada nesta sexta-feira, 15, aponta que menos de um quarto das empresas paulistas pretende buscar crédito em 2019. Entre elas, a necessidade de recursos é maior para capital de giro do que para investimento. Das que não decidiram se vão demandar crédito este ano, a maioria aguarda melhora da economia.

O levantamento foi feito no fim do ano passado e ouviu 513 empresas. Do total, 24,1% afirmaram que devem procurar financiamento em 2019. As que não devem recorrer ao crédito são maioria, com 45,1% de participação. Os que ainda não sabem somam 27,7%. Os demais, 3,1%, não responderam.

O capital de giro é a maior necessidade daqueles que devem recorrer a recursos de instituições financeiras em 2019, sendo citado por 59,2% dessas empresas, que puderam responder mais de uma necessidade. A busca de crédito para financiar investimentos aparece na segunda posição, com 49,6% de menções. Também estão em destaque o pagamento ou a renegociação de dívidas, com 28,8%, e o financiamento de exportações, com 5,6%.

A pesquisa mostra também que 67,2% das empresas que buscarão crédito recorrerão a bancos comerciais tradicionais e 56% devem recorrer ao BNDES. As cooperativas de crédito foram citadas por 12,8% dos entrevistados, mesmo nível de menções para investidores.

Das empresas que não pretendem buscar crédito este ano, a maioria (62%) justificou a decisão afirmando que só utiliza recursos próprios. Outra parcela, de 31,2%, não acredita que terá necessidade de financiar capital de giro nem investimentos em 2019.

Entre aqueles que ainda não se decidiram, o principal motivo é a espera pela melhora do cenário econômico. Essa justificativa foi mencionada por 62,5% das empresas indecisas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Menos de um quarto da indústria em SP buscará crédito em 2019, mostra Fiesp


15/03/2019 | 13:55


Uma pesquisa inédita feita pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e divulgada nesta sexta-feira, 15, aponta que menos de um quarto das empresas paulistas pretende buscar crédito em 2019. Entre elas, a necessidade de recursos é maior para capital de giro do que para investimento. Das que não decidiram se vão demandar crédito este ano, a maioria aguarda melhora da economia.

O levantamento foi feito no fim do ano passado e ouviu 513 empresas. Do total, 24,1% afirmaram que devem procurar financiamento em 2019. As que não devem recorrer ao crédito são maioria, com 45,1% de participação. Os que ainda não sabem somam 27,7%. Os demais, 3,1%, não responderam.

O capital de giro é a maior necessidade daqueles que devem recorrer a recursos de instituições financeiras em 2019, sendo citado por 59,2% dessas empresas, que puderam responder mais de uma necessidade. A busca de crédito para financiar investimentos aparece na segunda posição, com 49,6% de menções. Também estão em destaque o pagamento ou a renegociação de dívidas, com 28,8%, e o financiamento de exportações, com 5,6%.

A pesquisa mostra também que 67,2% das empresas que buscarão crédito recorrerão a bancos comerciais tradicionais e 56% devem recorrer ao BNDES. As cooperativas de crédito foram citadas por 12,8% dos entrevistados, mesmo nível de menções para investidores.

Das empresas que não pretendem buscar crédito este ano, a maioria (62%) justificou a decisão afirmando que só utiliza recursos próprios. Outra parcela, de 31,2%, não acredita que terá necessidade de financiar capital de giro nem investimentos em 2019.

Entre aqueles que ainda não se decidiram, o principal motivo é a espera pela melhora do cenário econômico. Essa justificativa foi mencionada por 62,5% das empresas indecisas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;