Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 21 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Vasconcelos: modelagem do leilão busca evitar casos de inviabilidade financeira



15/03/2019 | 13:54


A modelagem do leilão de concessões dos aeroportos, realizado nesta manhã de sexta-feira, 15, na B3, representa um aprimoramento do processo em busca de contratos autossustentáveis , segundo o secretário especial da Secretaria do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Adalberto Santos de Vasconcelos. "Com isso, a intenção é evitar casos de inviabilidade financeira no cumprimento dos contratos", afirmou o secretário durante coletiva de imprensa sobre o certame.

Nesse sentido, uma premissa desse modelo distribuído em blocos é não deixar nenhuma região do País desassistida. "Trouxemos para o contrato um compartilhamento de risco de demanda. Até então esse risco ficava só com a iniciativa privada", observou. Os investimentos, destacou Vasconcelos, serão realizados de acordo com a demanda e, agora, o valor de outorga é variável. "A União e o concessionário ganham", concluiu.

Essa estratégia, disse Vasconcelos, transmite segurança jurídica e econômico-financeira para os investidores. "São aprimoramentos que trouxemos, mas temos muito a fazer ainda", ponderou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Vasconcelos: modelagem do leilão busca evitar casos de inviabilidade financeira


15/03/2019 | 13:54


A modelagem do leilão de concessões dos aeroportos, realizado nesta manhã de sexta-feira, 15, na B3, representa um aprimoramento do processo em busca de contratos autossustentáveis , segundo o secretário especial da Secretaria do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Adalberto Santos de Vasconcelos. "Com isso, a intenção é evitar casos de inviabilidade financeira no cumprimento dos contratos", afirmou o secretário durante coletiva de imprensa sobre o certame.

Nesse sentido, uma premissa desse modelo distribuído em blocos é não deixar nenhuma região do País desassistida. "Trouxemos para o contrato um compartilhamento de risco de demanda. Até então esse risco ficava só com a iniciativa privada", observou. Os investimentos, destacou Vasconcelos, serão realizados de acordo com a demanda e, agora, o valor de outorga é variável. "A União e o concessionário ganham", concluiu.

Essa estratégia, disse Vasconcelos, transmite segurança jurídica e econômico-financeira para os investidores. "São aprimoramentos que trouxemos, mas temos muito a fazer ainda", ponderou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;