Fechar
Publicidade

Domingo, 19 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Premiê chinês nega que empresas do país pratiquem espionagem no exterior



15/03/2019 | 01:46


O primeiro-ministro da China, Li Keqiang, negou nesta sexta-feira, 15, que o país recomende que suas empresas pratiquem espionagem no exterior, refutando as suspeitas levantadas pelos Estados Unidos de que fornecedores de tecnologia de origem chinesa representem um risco de segurança.

Li, o segundo homem na hieraquia do país (atrás do presidente Xi Jinping), foi questionado em entrevista coletiva se Pequim pede às companhias chinesas que atuem como espiãs. "Deixe-me lhe dizer explicitamente que isso não é consistente com a lei chinesa. Esta não é a forma como a China se comporta. Nós não fazemos isso e não o faremos no futuro."

Os EUA e outros países ocidentais impuseram restrições ao uso de tecnologia chinesa, incluindo da gigante Huawei, por causa do temor de espionagem. A Huawei, que é maior fabricante do mundo de equipamentos para sistemas de telefonia e internet, nega que pratique atos irregulares.

Li deu as declarações no encerramento do Congresso Nacional do Povo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Premiê chinês nega que empresas do país pratiquem espionagem no exterior


15/03/2019 | 01:46


O primeiro-ministro da China, Li Keqiang, negou nesta sexta-feira, 15, que o país recomende que suas empresas pratiquem espionagem no exterior, refutando as suspeitas levantadas pelos Estados Unidos de que fornecedores de tecnologia de origem chinesa representem um risco de segurança.

Li, o segundo homem na hieraquia do país (atrás do presidente Xi Jinping), foi questionado em entrevista coletiva se Pequim pede às companhias chinesas que atuem como espiãs. "Deixe-me lhe dizer explicitamente que isso não é consistente com a lei chinesa. Esta não é a forma como a China se comporta. Nós não fazemos isso e não o faremos no futuro."

Os EUA e outros países ocidentais impuseram restrições ao uso de tecnologia chinesa, incluindo da gigante Huawei, por causa do temor de espionagem. A Huawei, que é maior fabricante do mundo de equipamentos para sistemas de telefonia e internet, nega que pratique atos irregulares.

Li deu as declarações no encerramento do Congresso Nacional do Povo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;