Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 21 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Estado abre linha de crédito para prejudicados pela chuva

Arquivo/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Serão emprestados até R$ 5,7 mi a pequenos negócios da região, com juros de 0,35% mensais


Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

15/03/2019 | 07:08


Micro e pequenos empresários do Grande ABC que tiveram prejuízos com a chuva torrencial de domingo à noite, que se estendeu pela madrugada de segunda, poderão acessar linha de crédito a juros baixos para reconstruir seu negócio. O governo do Estado de São Paulo divulgou ontem que concederá empréstimos por meio do Banco do Povo Paulista, que normalmente dispõe de recursos para que empresários iniciem ou ampliem suas atividades produtivas.

As linhas de crédito partem de R$ 200 e vão até R$ 20 mil, e os juros são de 0,35% ao mês. Os valores poderão ser pagos em até 36 parcelas, e haverá carência de 90 dias para iniciar o pagamento. O programa emergencial será oferecido até 13 de junho, três meses após a publicação do edital.

A secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo, Patricia Ellen da Silva, afirmou que estão disponíveis para serem emprestados, ao todo, R$ 5,7 milhões. No entanto, ela destaca que cada cidade possui um limite e que, para pleitear o crédito, o pequeno negócio formal (MEI, microempresa, Eireli ou Ltda.) precisa comprovar endereço em uma das cidades atingidas, dessa forma, o Banco do Povo irá avaliar em até cinco dias se a empresa foi, de fato, afetada pela chuva, e se terá direito ao empréstimo. Os negócios que tiverem com o nome no SPCS, Serasa ou Cadin estadual não poderão solicitar valores.

“Quem necessitar de até R$ 5.000, excepcionalmente, não precisará de avalista. A ideia é dar mais celeridade à concessão do crédito emergencial, a fim de socorrer os negócios que precisam se recuperar dos impactos da chuva”, explica Patrícia, ao completar que essa ação só é possível porque será utilizado o FDA (Fundo de Aval do Estado de São Paulo) instituído pela Lei 10.016, de julho de 1998. “Para quantias acima, será necessário um avalista pessoa física residente no Estado, com comprovação de renda e que não possua restrições cadastrais”, completa ela.

COMO FAZER - Para tentar obter o crédito, o empresário deverá se dirigir a unidade do Banco do Povo com comprovante de endereço do negócio, documentos de identificação – como RG, CPF ou contrato social e inscrições estaduais e municipais, no caso de pessoas jurídicas. MEIs devem comprovar que possuem empreendimento há mais de dois anos no município.

Embora nem todas as sete cidades tenham unidades ativas do Banco do Povo Paulista, o Estado negociou com as sete prefeituras para que todas disponham do empréstimo. Somente quem foi afetado e está em Mauá, deverá buscar o crédito pela unidade de São Paulo.

O prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB), elogiou a iniciativa. “Toda ajuda neste momento é positiva. Temos de somar forças”, diz, referindo-se ao fato de o governo federal ter liberado recursos do FGTS para auxiliar os atingidos pela tempestade.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Estado abre linha de crédito para prejudicados pela chuva

Serão emprestados até R$ 5,7 mi a pequenos negócios da região, com juros de 0,35% mensais

Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

15/03/2019 | 07:08


Micro e pequenos empresários do Grande ABC que tiveram prejuízos com a chuva torrencial de domingo à noite, que se estendeu pela madrugada de segunda, poderão acessar linha de crédito a juros baixos para reconstruir seu negócio. O governo do Estado de São Paulo divulgou ontem que concederá empréstimos por meio do Banco do Povo Paulista, que normalmente dispõe de recursos para que empresários iniciem ou ampliem suas atividades produtivas.

As linhas de crédito partem de R$ 200 e vão até R$ 20 mil, e os juros são de 0,35% ao mês. Os valores poderão ser pagos em até 36 parcelas, e haverá carência de 90 dias para iniciar o pagamento. O programa emergencial será oferecido até 13 de junho, três meses após a publicação do edital.

A secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo, Patricia Ellen da Silva, afirmou que estão disponíveis para serem emprestados, ao todo, R$ 5,7 milhões. No entanto, ela destaca que cada cidade possui um limite e que, para pleitear o crédito, o pequeno negócio formal (MEI, microempresa, Eireli ou Ltda.) precisa comprovar endereço em uma das cidades atingidas, dessa forma, o Banco do Povo irá avaliar em até cinco dias se a empresa foi, de fato, afetada pela chuva, e se terá direito ao empréstimo. Os negócios que tiverem com o nome no SPCS, Serasa ou Cadin estadual não poderão solicitar valores.

“Quem necessitar de até R$ 5.000, excepcionalmente, não precisará de avalista. A ideia é dar mais celeridade à concessão do crédito emergencial, a fim de socorrer os negócios que precisam se recuperar dos impactos da chuva”, explica Patrícia, ao completar que essa ação só é possível porque será utilizado o FDA (Fundo de Aval do Estado de São Paulo) instituído pela Lei 10.016, de julho de 1998. “Para quantias acima, será necessário um avalista pessoa física residente no Estado, com comprovação de renda e que não possua restrições cadastrais”, completa ela.

COMO FAZER - Para tentar obter o crédito, o empresário deverá se dirigir a unidade do Banco do Povo com comprovante de endereço do negócio, documentos de identificação – como RG, CPF ou contrato social e inscrições estaduais e municipais, no caso de pessoas jurídicas. MEIs devem comprovar que possuem empreendimento há mais de dois anos no município.

Embora nem todas as sete cidades tenham unidades ativas do Banco do Povo Paulista, o Estado negociou com as sete prefeituras para que todas disponham do empréstimo. Somente quem foi afetado e está em Mauá, deverá buscar o crédito pela unidade de São Paulo.

O prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB), elogiou a iniciativa. “Toda ajuda neste momento é positiva. Temos de somar forças”, diz, referindo-se ao fato de o governo federal ter liberado recursos do FGTS para auxiliar os atingidos pela tempestade.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;