Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 21 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Denunciados pela morte de Marielle devem ficar em silêncio durante depoimento



14/03/2019 | 22:28


Detidos desde a última terça-feira, 12, os dois denunciados pela morte da vereadora Marielle Franco, Ronnie Lessa e Elcio Queiroz, chegaram na tarde desta quinta-feira, 14, à Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro, na Barra da Tijuca (zona oeste), após participarem de audiência de custódia em que a Justiça decidiu mantê-los presos.

Lessa e Queiroz vão prestar depoimento sobre o assassinato de Marielle, mas isso só deve ocorrer na manhã de sexta-feira, 15. A expectativa é que os dois permaneçam em silêncio, como a lei permite, sem responder a nenhuma pergunta dos policiais civis.

Após os depoimentos, Lessa e Queiroz devem ser recolhidos ao presídio de Bangu 1, no complexo penitenciário de Gericinó, na zona oeste do Rio.

Nas investigações sobre as mortes de Marielle e do motorista Anderson Gomes, no entanto, Lessa é apontado como autor dos 13 disparos. Queiróz, por sua vez, estaria ao volante do Cobalt Prata. Lessa e Élcio também foram denunciados pela tentativa de assassinato de Fernanda Chaves, a assessora da vereadora que também estava no carro mas sobreviveu ao ataque.

Os advogados de Lessa e Queiróz dizem que seus clientes são inocentes. Eles descartaram a hipótese de seus clientes fazerem uma delação premiada para apontar os mandantes do crime - hipótese levantada pelo governador do Rio, Wilson Witzel.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Denunciados pela morte de Marielle devem ficar em silêncio durante depoimento


14/03/2019 | 22:28


Detidos desde a última terça-feira, 12, os dois denunciados pela morte da vereadora Marielle Franco, Ronnie Lessa e Elcio Queiroz, chegaram na tarde desta quinta-feira, 14, à Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro, na Barra da Tijuca (zona oeste), após participarem de audiência de custódia em que a Justiça decidiu mantê-los presos.

Lessa e Queiroz vão prestar depoimento sobre o assassinato de Marielle, mas isso só deve ocorrer na manhã de sexta-feira, 15. A expectativa é que os dois permaneçam em silêncio, como a lei permite, sem responder a nenhuma pergunta dos policiais civis.

Após os depoimentos, Lessa e Queiroz devem ser recolhidos ao presídio de Bangu 1, no complexo penitenciário de Gericinó, na zona oeste do Rio.

Nas investigações sobre as mortes de Marielle e do motorista Anderson Gomes, no entanto, Lessa é apontado como autor dos 13 disparos. Queiróz, por sua vez, estaria ao volante do Cobalt Prata. Lessa e Élcio também foram denunciados pela tentativa de assassinato de Fernanda Chaves, a assessora da vereadora que também estava no carro mas sobreviveu ao ataque.

Os advogados de Lessa e Queiróz dizem que seus clientes são inocentes. Eles descartaram a hipótese de seus clientes fazerem uma delação premiada para apontar os mandantes do crime - hipótese levantada pelo governador do Rio, Wilson Witzel.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;