Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 20 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Em ritmo de treino, Fluminense derrota o Boavista e abre vantagem na liderança



14/03/2019 | 22:21


O Fluminense derrotou o Boavista, por 3 a 0, nesta quinta-feira à noite, em Saquarema, em jogo antecipado da quinta rodada da Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca. Com o resultado, o time tricolor alcançou os dez pontos e aumentou sua vantagem na liderança do Grupo B. O Boavista continua com dois pontos e é o lanterna do Grupo C.

O gol contra de Márcio Costa, logo aos três minutos de jogo, após cobrança de escanteio de Caio Henrique, diminuiu o ritmo do Fluminense na partida. O Boavista continuou em seu campo, na espera dos contra-ataques, coisa que o time das Laranjeiras não permitia, pois não se expunha.

No meio-campo, a presença de dois meias que tinham tudo para ocuparem lugar de destaque no futebol mundial, mas são apenas sombras do que foram no passado. Do lado do Boavista, Carlos Alberto, que não lembra em nada o jogador campeão da Liga dos Campeões em 2004. Aos 9 minutos, o meia de 34 anos, visivelmente fora de forma, bateu uma falta da intermediária e forçou a defesa do goleiro Rodolfo.

Pelo Fluminense, Paulo Henrique Ganso, ainda longe de sua melhor forma, atuou como um segundo volante. Lento em demasia, limitou-se a dar passes laterais, sem nenhum comprometimento com a partida.

Diante de um adversário que faz uma das piores campanhas da Taça Rio, o Fluminense exagerou na troca de passes no meio campo. Sempre que procurou acelerar as jogadas, passou com facilidade pela marcação adversária. Foi o que ocorreu aos 38 minutos.

O lateral-direito Gilberto recebeu de Yony González e chutou colocado para a defesa parcial de Rafael. Everaldo pegou no rebote e bateu cruzado. No meio do caminho, Luciano, de letra, fez o segundo do Fluminense.

A exemplo do primeiro tempo, o Fluminense conseguiu marcar logo no início da segunda etapa. Na intermediária do Boavista, Elivelton deu um bicão na bola e acertou as pernas de Luciano. A bola ganhou um efeito espetacular e encobriu o goleiro Rafael.

O juiz anotou o gol para Luciano, que assumiu a artilharia do Campeonato Carioca, com seis gols, ao lado do companheiro Yony Gonzalez.

Com o resultado definido, o jogo voltou a ficar morno. O clima só esquentou quando Carlos Alberto fez algumas firulas no meio campo e acabou tomando o troco de Everaldo, que caiu no gramado após choque com Thiago Silva.

Em um jogo sonolento, a torcida do Fluminense sofreu dois sustos. Aos 28 minutos, Paulo Henrique Ganso pediu substituição, mas os médicos do clube afirmaram que o jogador sentiu apenas cansaço. Aos 31, Allan falhou feio e quase possibilitou o primeiro gol do Boavista. Stephanno, sem goleiro, chutou para fora.

Daí até o apito final do juiz, a bola foi tocada de lado, sem nenhuma ambição pelos dois times.

FICHA TÉCNICA:

BOAVISTA 0 x 3 FLUMINENSE

BOAVISTA - Rafael; Wellington Silva, Douglas Pedroso, Elivelton e Márcio Costa; Thiago Silva, Júlio César, Carlos Alberto (Pachu); Tartá, Leandrão (Stephanno) e Thiago Mosquito (Renan Donizete). Técnico: Eduyardo Allax.

FLUMINENSE - Rodolfo; Gilberto (Ezequiel), Matheus Ferraz, Léo Santos e Caio Henrique; Airton (Allan), Bruno Silva e Ganso (Daniel); Luciano, Yony González e Everaldo. Técnico: Fernando Diniz.

GOLS - Márcio Costa, aos 3, e Luciano aos 38 minutos do primeiro tempo. Luciano, aos 6 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Carlos Alberto, Everaldo, Airton.

ÁRBITRO - João Batista de Arruda.

RENDA - R$ 57.750,00.

PÚBLICO - 3.223 torcedores.

LOCAL - Estádio Elcyr Resende, em Saquarema (RJ).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Em ritmo de treino, Fluminense derrota o Boavista e abre vantagem na liderança


14/03/2019 | 22:21


O Fluminense derrotou o Boavista, por 3 a 0, nesta quinta-feira à noite, em Saquarema, em jogo antecipado da quinta rodada da Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca. Com o resultado, o time tricolor alcançou os dez pontos e aumentou sua vantagem na liderança do Grupo B. O Boavista continua com dois pontos e é o lanterna do Grupo C.

O gol contra de Márcio Costa, logo aos três minutos de jogo, após cobrança de escanteio de Caio Henrique, diminuiu o ritmo do Fluminense na partida. O Boavista continuou em seu campo, na espera dos contra-ataques, coisa que o time das Laranjeiras não permitia, pois não se expunha.

No meio-campo, a presença de dois meias que tinham tudo para ocuparem lugar de destaque no futebol mundial, mas são apenas sombras do que foram no passado. Do lado do Boavista, Carlos Alberto, que não lembra em nada o jogador campeão da Liga dos Campeões em 2004. Aos 9 minutos, o meia de 34 anos, visivelmente fora de forma, bateu uma falta da intermediária e forçou a defesa do goleiro Rodolfo.

Pelo Fluminense, Paulo Henrique Ganso, ainda longe de sua melhor forma, atuou como um segundo volante. Lento em demasia, limitou-se a dar passes laterais, sem nenhum comprometimento com a partida.

Diante de um adversário que faz uma das piores campanhas da Taça Rio, o Fluminense exagerou na troca de passes no meio campo. Sempre que procurou acelerar as jogadas, passou com facilidade pela marcação adversária. Foi o que ocorreu aos 38 minutos.

O lateral-direito Gilberto recebeu de Yony González e chutou colocado para a defesa parcial de Rafael. Everaldo pegou no rebote e bateu cruzado. No meio do caminho, Luciano, de letra, fez o segundo do Fluminense.

A exemplo do primeiro tempo, o Fluminense conseguiu marcar logo no início da segunda etapa. Na intermediária do Boavista, Elivelton deu um bicão na bola e acertou as pernas de Luciano. A bola ganhou um efeito espetacular e encobriu o goleiro Rafael.

O juiz anotou o gol para Luciano, que assumiu a artilharia do Campeonato Carioca, com seis gols, ao lado do companheiro Yony Gonzalez.

Com o resultado definido, o jogo voltou a ficar morno. O clima só esquentou quando Carlos Alberto fez algumas firulas no meio campo e acabou tomando o troco de Everaldo, que caiu no gramado após choque com Thiago Silva.

Em um jogo sonolento, a torcida do Fluminense sofreu dois sustos. Aos 28 minutos, Paulo Henrique Ganso pediu substituição, mas os médicos do clube afirmaram que o jogador sentiu apenas cansaço. Aos 31, Allan falhou feio e quase possibilitou o primeiro gol do Boavista. Stephanno, sem goleiro, chutou para fora.

Daí até o apito final do juiz, a bola foi tocada de lado, sem nenhuma ambição pelos dois times.

FICHA TÉCNICA:

BOAVISTA 0 x 3 FLUMINENSE

BOAVISTA - Rafael; Wellington Silva, Douglas Pedroso, Elivelton e Márcio Costa; Thiago Silva, Júlio César, Carlos Alberto (Pachu); Tartá, Leandrão (Stephanno) e Thiago Mosquito (Renan Donizete). Técnico: Eduyardo Allax.

FLUMINENSE - Rodolfo; Gilberto (Ezequiel), Matheus Ferraz, Léo Santos e Caio Henrique; Airton (Allan), Bruno Silva e Ganso (Daniel); Luciano, Yony González e Everaldo. Técnico: Fernando Diniz.

GOLS - Márcio Costa, aos 3, e Luciano aos 38 minutos do primeiro tempo. Luciano, aos 6 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Carlos Alberto, Everaldo, Airton.

ÁRBITRO - João Batista de Arruda.

RENDA - R$ 57.750,00.

PÚBLICO - 3.223 torcedores.

LOCAL - Estádio Elcyr Resende, em Saquarema (RJ).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;