Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 17 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Força-tarefa retira 506 toneladas de entulho das vias do Grande ABC

André Henriques/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Sto.André, S.Caetano e Diadema estimam concluir os trabalhos em prazo de até 15 dias


Daniel Macário
Do Diário do Grande ABC

13/03/2019 | 07:00


 Pelo menos 506 toneladas de entulho foram recolhidas de ruas do Grande ABC, entre segunda-feira e ontem, após temporal causar série de estragos na região, no início desta semana, deixando dez vítimas fatais. Os dados foram informados por três dos sete municípios: Santo André, São Caetano e Diadema.

O índice, que equivale a praticamente 80% de todo volume de lixo produzido em Santo André, onde o aterro municipal recebe diariamente 630 toneladas de dejetos, segundo as prefeituras, é reflexo da quantidade atípica de materiais descartados por moradores devido às perdas causadas por pontos de alagamentos.

Em Santo André, balanço do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) aponta que durante a limpeza da cidade, nestes dias de rescaldo, 466,8 toneladas de resíduos foram removidas dos bairros mais afetados pelo temporal.

Nas vilas Palmares e Sacadura Cabral, os trabalhos chegaram a ser finalizados ontem, inclusive com lavagem e raspagem das vias. No entanto, para encerrar a limpeza em toda a cidade serão necessários entre 10 a 15 dias de trabalho.

Com empenho de 40 profissionais, a Prefeitura de Diadema afirma ter removido 30 toneladas de entulho das ruas da cidade, em especial de trechos alagados no bairro Piraporinha, onde quatro caminhões, sendo um deles pipa, duas máquinas e 25 funcionários, atuaram na força-tarefa nos últimos dois dias. A expectativa é a de que o trabalho seja finalizado ainda hoje.

Já São Caetano, onde a limpeza deve seguir ainda nos próximos dias, cerca de dez toneladas de entulho foram recolhidas por funcionários da Prefeitura.

Em entrevista concedida ao Diário, na segunda-feira, o secretário da Casa Militar e Defesa Civil do Estado, coronel Walter Nyakas Júnior, fez alerta referente ao risco de novos alagamentos em decorrência do volume atípico de lixo e móveis danificados nas ruas da região. “Mesmo diante do atual cenário de estrago, é importante que as pessoas guardem esses materiais em casa até que o caminhão da prefeitura faça o recolhimento desse entulho. Caso contrário, em dia de chuva, esse volume voltará para os rios, podendo agravar a situação”, disse.

Ontem, no entanto, ao percorrer vias do Grande ABC ainda era possível observar diversos pontos de descarte irregular desses materiais nas vias.

Entre os itens espalhados pelas ruas estão móveis danificados como sofás e armários, madeiras, além de sacolas com lixo e caixas com alimentos atingidos pela água.

“Infelizmente, para conseguirmos lavar a casa fomos obrigados a nos desfazer desse entulho. E o jeito foi colocar na rua mesmo”, explicou a dona de casa Sueli Britto, 49 anos, do Rudge Ramos, em São Bernardo.

Em São Caetano, moradores do bairro Fundação chegaram ontem a bloquear trecho da Avenida dos Estados devido à demora no recolhimento dos materiais descartados pelas vítimas da enchente.

Pelo menos 506 toneladas de entulho foram recolhidas de ruas do Grande ABC, entre segunda-feira e ontem, após temporal causar série de estragos na região, no início desta semana, deixando dez vítimas fatais. Os dados foram informados por três dos sete municípios: Santo André, São Caetano e Diadema.

O índice, que equivale a praticamente 80% de todo volume de lixo produzido em Santo André, onde o aterro municipal recebe diariamente 630 toneladas de dejetos, segundo as prefeituras, é reflexo da quantidade atípica de materiais descartados por moradores devido às perdas causadas por pontos de alagamentos.

Em Santo André, balanço do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) aponta que durante a limpeza da cidade, nestes dias de rescaldo, 466,8 toneladas de resíduos foram removidas dos bairros mais afetados pelo temporal.

Nas vilas Palmares e Sacadura Cabral, os trabalhos chegaram a ser finalizados ontem, inclusive com lavagem e raspagem das vias. No entanto, para encerrar a limpeza em toda a cidade serão necessários entre 10 a 15 dias de trabalho.

Com empenho de 40 profissionais, a Prefeitura de Diadema afirma ter removido 30 toneladas de entulho das ruas da cidade, em especial de trechos alagados no bairro Piraporinha, onde quatro caminhões, sendo um deles pipa, duas máquinas e 25 funcionários, atuaram na força-tarefa nos últimos dois dias. A expectativa é a de que o trabalho seja finalizado ainda hoje.

Já São Caetano, onde a limpeza deve seguir ainda nos próximos dias, cerca de dez toneladas de entulho foram recolhidas por funcionários da Prefeitura.

Em entrevista concedida ao Diário, na segunda-feira, o secretário da Casa Militar e Defesa Civil do Estado, coronel Walter Nyakas Júnior, fez alerta referente ao risco de novos alagamentos em decorrência do volume atípico de lixo e móveis danificados nas ruas da região. “Mesmo diante do atual cenário de estrago, é importante que as pessoas guardem esses materiais em casa até que o caminhão da prefeitura faça o recolhimento desse entulho. Caso contrário, em dia de chuva, esse volume voltará para os rios, podendo agravar a situação”, disse.

Ontem, no entanto, ao percorrer vias do Grande ABC ainda era possível observar diversos pontos de descarte irregular desses materiais nas vias.

Entre os itens espalhados pelas ruas estão móveis danificados como sofás e armários, madeiras, além de sacolas com lixo e caixas com alimentos atingidos pela água.

“Infelizmente, para conseguirmos lavar a casa fomos obrigados a nos desfazer desse entulho. E o jeito foi colocar na rua mesmo”, explicou a dona de casa Sueli Britto, 49 anos, do Rudge Ramos, em São Bernardo.

Em São Caetano, moradores do bairro Fundação chegaram ontem a bloquear trecho da Avenida dos Estados devido à demora no recolhimento dos materiais descartados pelas vítimas da enchente.

 

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Força-tarefa retira 506 toneladas de entulho das vias do Grande ABC

Sto.André, S.Caetano e Diadema estimam concluir os trabalhos em prazo de até 15 dias

Daniel Macário
Do Diário do Grande ABC

13/03/2019 | 07:00


 Pelo menos 506 toneladas de entulho foram recolhidas de ruas do Grande ABC, entre segunda-feira e ontem, após temporal causar série de estragos na região, no início desta semana, deixando dez vítimas fatais. Os dados foram informados por três dos sete municípios: Santo André, São Caetano e Diadema.

O índice, que equivale a praticamente 80% de todo volume de lixo produzido em Santo André, onde o aterro municipal recebe diariamente 630 toneladas de dejetos, segundo as prefeituras, é reflexo da quantidade atípica de materiais descartados por moradores devido às perdas causadas por pontos de alagamentos.

Em Santo André, balanço do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) aponta que durante a limpeza da cidade, nestes dias de rescaldo, 466,8 toneladas de resíduos foram removidas dos bairros mais afetados pelo temporal.

Nas vilas Palmares e Sacadura Cabral, os trabalhos chegaram a ser finalizados ontem, inclusive com lavagem e raspagem das vias. No entanto, para encerrar a limpeza em toda a cidade serão necessários entre 10 a 15 dias de trabalho.

Com empenho de 40 profissionais, a Prefeitura de Diadema afirma ter removido 30 toneladas de entulho das ruas da cidade, em especial de trechos alagados no bairro Piraporinha, onde quatro caminhões, sendo um deles pipa, duas máquinas e 25 funcionários, atuaram na força-tarefa nos últimos dois dias. A expectativa é a de que o trabalho seja finalizado ainda hoje.

Já São Caetano, onde a limpeza deve seguir ainda nos próximos dias, cerca de dez toneladas de entulho foram recolhidas por funcionários da Prefeitura.

Em entrevista concedida ao Diário, na segunda-feira, o secretário da Casa Militar e Defesa Civil do Estado, coronel Walter Nyakas Júnior, fez alerta referente ao risco de novos alagamentos em decorrência do volume atípico de lixo e móveis danificados nas ruas da região. “Mesmo diante do atual cenário de estrago, é importante que as pessoas guardem esses materiais em casa até que o caminhão da prefeitura faça o recolhimento desse entulho. Caso contrário, em dia de chuva, esse volume voltará para os rios, podendo agravar a situação”, disse.

Ontem, no entanto, ao percorrer vias do Grande ABC ainda era possível observar diversos pontos de descarte irregular desses materiais nas vias.

Entre os itens espalhados pelas ruas estão móveis danificados como sofás e armários, madeiras, além de sacolas com lixo e caixas com alimentos atingidos pela água.

“Infelizmente, para conseguirmos lavar a casa fomos obrigados a nos desfazer desse entulho. E o jeito foi colocar na rua mesmo”, explicou a dona de casa Sueli Britto, 49 anos, do Rudge Ramos, em São Bernardo.

Em São Caetano, moradores do bairro Fundação chegaram ontem a bloquear trecho da Avenida dos Estados devido à demora no recolhimento dos materiais descartados pelas vítimas da enchente.

Pelo menos 506 toneladas de entulho foram recolhidas de ruas do Grande ABC, entre segunda-feira e ontem, após temporal causar série de estragos na região, no início desta semana, deixando dez vítimas fatais. Os dados foram informados por três dos sete municípios: Santo André, São Caetano e Diadema.

O índice, que equivale a praticamente 80% de todo volume de lixo produzido em Santo André, onde o aterro municipal recebe diariamente 630 toneladas de dejetos, segundo as prefeituras, é reflexo da quantidade atípica de materiais descartados por moradores devido às perdas causadas por pontos de alagamentos.

Em Santo André, balanço do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) aponta que durante a limpeza da cidade, nestes dias de rescaldo, 466,8 toneladas de resíduos foram removidas dos bairros mais afetados pelo temporal.

Nas vilas Palmares e Sacadura Cabral, os trabalhos chegaram a ser finalizados ontem, inclusive com lavagem e raspagem das vias. No entanto, para encerrar a limpeza em toda a cidade serão necessários entre 10 a 15 dias de trabalho.

Com empenho de 40 profissionais, a Prefeitura de Diadema afirma ter removido 30 toneladas de entulho das ruas da cidade, em especial de trechos alagados no bairro Piraporinha, onde quatro caminhões, sendo um deles pipa, duas máquinas e 25 funcionários, atuaram na força-tarefa nos últimos dois dias. A expectativa é a de que o trabalho seja finalizado ainda hoje.

Já São Caetano, onde a limpeza deve seguir ainda nos próximos dias, cerca de dez toneladas de entulho foram recolhidas por funcionários da Prefeitura.

Em entrevista concedida ao Diário, na segunda-feira, o secretário da Casa Militar e Defesa Civil do Estado, coronel Walter Nyakas Júnior, fez alerta referente ao risco de novos alagamentos em decorrência do volume atípico de lixo e móveis danificados nas ruas da região. “Mesmo diante do atual cenário de estrago, é importante que as pessoas guardem esses materiais em casa até que o caminhão da prefeitura faça o recolhimento desse entulho. Caso contrário, em dia de chuva, esse volume voltará para os rios, podendo agravar a situação”, disse.

Ontem, no entanto, ao percorrer vias do Grande ABC ainda era possível observar diversos pontos de descarte irregular desses materiais nas vias.

Entre os itens espalhados pelas ruas estão móveis danificados como sofás e armários, madeiras, além de sacolas com lixo e caixas com alimentos atingidos pela água.

“Infelizmente, para conseguirmos lavar a casa fomos obrigados a nos desfazer desse entulho. E o jeito foi colocar na rua mesmo”, explicou a dona de casa Sueli Britto, 49 anos, do Rudge Ramos, em São Bernardo.

Em São Caetano, moradores do bairro Fundação chegaram ontem a bloquear trecho da Avenida dos Estados devido à demora no recolhimento dos materiais descartados pelas vítimas da enchente.

 

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;